Covid-19 | Mulher de 95 anos superou a doença e teve hoje alta em Tomar (c/áudio)

Foto: Pixabay

O primeiro óbito declarado no Médio Tejo devido à infeção por covid-19 foi o de um homem de 95 anos, residente em Tomar, que não resistiu à doença. Curiosamente hoje, também em Tomar, uma mulher de 95 anos foi dada como recuperada, caso que deu um renovado ânimo aos profissionais de saúde. A infeção por covid-19, mesmo entre os mais idosos e mais fragilizados, não tem de ser uma sentença de morte.

PUB

Além deste caso, hoje há ainda a registar a recuperação de uma outra senhora de 88 anos. Não há novos registos de infeção na área de atuação do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo e os 109 testes realizados na segunda-feira aos idosos da Santa Casa da Misericórdia de Abrantes deram todos resultado negativo, confirmou ao mediotejo.net a Delegada de Saúde Maria dos Anjos Esperança.

Ponto de situação do dia com a Delegada de Saúde do ACES Médio Tejo (áudio)

PUB

O ACES Médio Tejo apresenta assim esta quarta-feira, 1 de julho, um total acumulado de 288 pessoas infetadas (+2), 155 recuperadas (+2), 123 pessoas em vigilância ativa (+6), e 14 óbitos (-). Ourém é o município com mais pessoas em vigilância ativa (67), seguido do Entroncamento (15), Torres Novas (15),  Abrantes (11), Tomar (8), Mação (4), e Ferreira do Zêzere (3). Com os casos da Sertã (6) e Vila de Rei (1) a região do Médio Tejo soma um total de 295 pessoas infetadas, 162 recuperadas e 14 óbitos.

Esta quarta-feira, 1 de julho, iniciou-se também o “Estado de Alarme” a nível nacional, justificado pelo governo com a evolução da situação na Área Metropolitana da Grande Lisboa, que fez o nome de Portugal saltar para as notícias internacionais. O nosso país tem, neste momento, uma das maiores taxas de infeção por milhão de habitantes, no espaço europeu.

Ainda assim, as fronteiras com Espanha, que se encontravam encerradas desde 17 de março, foram hoje reabertas, numa cerimónia que juntou representantes de ambos os países ao mais alto nível.

Os dados pós confinamento e depois do levantamento do Estado de Emergência mostram uma evolução de 146 casos positivos nos 13 municípios, quase tantos como os confirmados no período de quarentena obrigatória.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Covid-19 | Portugal regista mais três mortos e 313 infetados

Portugal regista hoje mais três mortes causadas pela covid-19 do que na terça-feira e mais 313 infetados, cerca de 70% dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, divulgou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim epidemiológico da DGS, o número de mortos relacionadas com a covid-19 ascende hoje a 1.579 pessoas enquanto os casos confirmados desde o início da pandemia totalizam 42.454 infetados.

Em comparação com os dados de terça-feira, constatou-se hoje um aumento de óbitos de 0,19%, crescimento percentual idêntico ao verificado na evolução dos casos de infeção (mais 0,74%).  Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu hoje os 19.383 casos, mais 218 do que na terça-feira.   Esta região tem atualmente quase metade dos infetados em todo o país (45,65%).

PUB

Houve um aumento de doze pessoas internadas em relação a terça-feira, sendo agora 503, das quais 79 estão em unidades de cuidados intensivos (mais seis do que na contabilização anterior). Em Portugal continental registou-se um aumento do número de infetados, com o norte a representar a segunda região com maior crescimento. Nesta região, a DGS contabiliza mais 64 pessoas infetadas com o novo coronavírus, atingindo hoje as 17.585.

A região Centro surge na posição seguinte da lista das regiões com maior crescimento do número de infetados, tendo registado mais 11 do que na terça-feira, o que totaliza 4.121 pessoas infetadas com covid-19. Também no Alentejo foram detetados mais sete infetados, tal como na terça-feira, atingindo agora os 491. No Algarve houve um aumento de 14 novos doentes, chegando aos 632. Nas ilhas, os números de infetados e mortos mantêm-se inalterados: Nos Açores há registo de 150 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 e 15 mortos, enquanto na Madeira há 92 pessoas infetadas e sem qualquer óbito registado.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a segunda com maior número de óbitos (475), mais dois do que na terça-feira. O Norte regista hoje mais um morto, totalizando 819. No resto do país, não houve aumento de casos de mortos: O Centro mantém os 248 óbitos, o Algarve com 15 mortos e o Alentejo regista sete mortos.

Do total de pessoas infetadas em Portugal, 503 estão internadas, mais doze do que na terça-feira, estando 79 em unidades de cuidados intensivos, mais seis do que na contabilização anterior. Na distribuição dos casos infetados por concelhos, Lisboa é o que regista o maior número de casos, com 3.544 (mais 42 do que na terça-feira), seguido por Sintra, com 2.704 (mais 36). No terceiro lugar dos concelhos com mais infetados encontra-se Loures, com um total de 1856 (mais 29), seguindo-se a Amadora, com 1.718 (mais 21 infetados do que na terça-feira), e Vila Nova de Gaia, com 1.661 (mais 11). Na região de Lisboa e Vale do Tejo, destaca-se ainda Odivelas que subiu para 1.125 infetados, ou seja mais 24 casos do que na terça-feira.

Numa análise de todo o país, surgem outros quatro concelhos com mais de mil casos, mas sem qualquer alteração em relação a terça-feira: Porto manteve os 1.414 casos de infeção, Matosinhos continua com 1.292, Braga soma 1.256 doentes, e Gondomar com 1.093 casos.

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas até hoje, 787 são homens e 792 são mulheres. O que significa que de terça para quarta-feira faleceram um homem e duas mulheres, e todos com 80 ou mais anos. Por faixa etária, o maior número de mortes regista-se precisamente entre as pessoas com 80 ou mais anos (1.059), mais três do que na terça-feira. Depois surgem 304 vítimas que tinham entre os 70 e os 79 anos. Entre a população com idades compreendidas entre os 60 e 69 anos há 144 mortes, além de 50 mortes entre as pessoas com idade entre os 50 e os 59 anos. Entre os 40 e os 49 anos houve 18 mortos, duas entre os 30 e os 39 anos e duas na faixa etária dos 20 aos 29 anos.

Em termos globais, a faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (7.052), mas foi entre os 20 e os 40 anos que se registou um aumento maior de infetados em relação a terça-feira. Na faixa entre os 30 e os 39 anos há agora 6.789 infetados, ou seja, mais 68 do que no dia anterior. E entre os jovens dos 20 aos 29 registou-se um aumento de 69 casos, havendo agora 6.215 infetados. Entre as pessoas com idades compreendidas entre os 50 e os 59 anos há 6.654. Nas faixas etárias mais jovens, entre os 10 e os 19 anos, 1.740, enquanto nas crianças até aos nove anos há 1.243 casos (mais 11 do que na terça-feira). A DGS contabiliza ainda 4.374 casos na faixa etária dos 60 aos 69 anos, 3.053 entre os 70 e os 79 anos, e 5.300 com mais de 80 anos.  A aguardar resultado laboratorial de testes estão 1.450 pessoas e em vigilância pelas autoridades de saúde estão 31.389.

Desde o dia 01 de janeiro, Portugal registou 382.818 casos suspeitos, segundo adianta o boletim, referindo que 27.798 recuperaram, mais 293 do que na terça-feira.

c/LUSA

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here