Covid-19 | Médio Tejo sem novos casos de doença há três dias consecutivos (C/AUDIO)

Região do Médio Tejo sem novos doentes por covid-19 nas últimas 24 horas. Foto: DR

A Unidade de Saúde Pública (USP) do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo não regista novos casos de infeção por covid-19 há três dias consecutivos. A travagem no número de novos doentes é acompanhada por uma redução das pessoas em vigilância ativa, sendo agora apenas 36 os cidadãos nesta situação. A Delegada de Saúde Pública não escondeu a sua satisfação pelos dados dos últimos dias e comentou ainda o facto das pessoas que vivem no Interior serem obrigadas a ir às juntas médicas da ADSE a Lisboa, uma situação levantada por uma leitora do nosso jornal e que a responsável considerou ser muito pertinente. Na região de Lisboa e Vale do Tejo as revisões das baixas médicas são presenciais e realizam-se apenas em Lisboa.

PUB

As pessoas que estão de baixa médica, logo, mais vulneráveis, são obrigadas a deslocar-se a Lisboa, uma área do país com elevado número de casos de covid-19, uma vez que a junta médica tem de ser presencial, ao contrário das consultas médicas que são feitas por telefone. Uma situação que Maria dos Anjos Esperança disse ser “interessante”, tendo confirmado que na região de Lisboa e Vale do Tejo as juntas médicas, ou revisões das baixas medicas, apenas se realizam em Lisboa. Uma medida que para o futuro pode ser repensada no sentido de se realizarem juntas médicas noutros locais da região para não obrigar as pessoas a irem a Lisboa.

O ACES Médio Tejo regista hoje um total de 311 pessoas infetadas (-), 184 recuperadas (-), 36 em vigilância ativa (-20), e 15 óbitos (-). Nos 11 concelhos do ACES Médio Tejo, o município de Ourém é o que regista maior número de casos positivos (107), seguido de Torres Novas (60), Abrantes (44), Entroncamento (32), Tomar (24), Alcanena (21), Vila Nova da Barquinha (8), Mação (7), Constância e Ferreira do Zêzere (3) e Sardoal (2).

PUB

Com os sete casos registados no ACES Pinhal Interior Sul, onde se inclui Sertã (6 casos) e Vila de Rei (1 caso), a região do Médio Tejo soma um total de 318 casos de covid-19, 191 pessoas recuperadas e 15 óbitos.

No ACES Médio Tejo, Ourém continua a ser o concelho com mais pessoas em vigilância ativa (27), seguido de Alcanena (3), Ferreira do Zêzere (2), Abrantes, Vila Nova da Barquinha, Mação e Torres Novas (1).

PUB

O ACES do Pinhal Interior Sul apresenta um total acumulado de 18 casos positivos, sendo seis (6) deles na Sertã e um (1) em Vila de Rei, deu conta ao mediotejo.net a Delegada de Saúde Pública deste ACES, Maria Manuela Vaz, que revelou ainda que não houve ali óbitos a registar na sequência desta doença e que houve dois internamentos a registar, um deles em cuidados intensivos e que já passou para a enfermaria e um outro doente que já teve alta médica.

Em todo o Médio Tejo, há 169 casos de infeção registados no período pós-confinamento, mais 20 do que os reportados na fase inicial de contenção da doença.

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta dois casos positivos, tendo os dois cidadãos já recuperado da doença. O relatório da DGS soma mais três casos mas são relativos a pessoas que não residem no concelho e que não atualizaram a sua residência fiscal. Gavião continua sem registar casos de covid-19.

Na Lezíria do Tejo, a Chamusca mantém um registo acumulado de nove doentes, entre os quais um óbito a lamentar. A Golegã tem três casos confirmados. No total, a região da Lezíria soma 24 óbitos, dos quais 12 em Santarém. A Lezíria do Tejo apresenta hoje um total acumulado de 609 doentes, dos quais 218 casos no concelho de Santarém, segundo dados da Rede Regional.

O distrito de Santarém soma, assim, 920 casos (609 na Lezíria do Tejo e 311 no ACES Médio Tejo), e um total de 39 óbitos (24 na Lezíria e 15 no ACES Médio Tejo).  A Lezíria do Tejo apresenta um total de 481 doentes recuperados e o ACES Médio Tejo tem 184, o que dá um total de 665 pessoas recuperadas do vírus.

Covid-19 | Mais duas mortes e 306 novos casos em Portugal

Portugal regista hoje mais duas mortes e 306 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, 254 dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 46.818 casos de infeção confirmados e 1.662 mortes. Em termos percentuais, nas últimas 24 horas o aumento de óbitos foi de 0,1% (passou de 1.660 para 1.662) e o de casos confirmados 0,7% (de 46.512 para 46.818).

Lisboa e Vale do Tejo é a região onde o aumento dos casos continua a ser mais significativo, contabilizando 83% dos novos casos, com 254 dos 306, e uma das duas mortes registadas. O segundo óbito foi na região Norte.

Em número de casos, Lisboa e Vale do Tejo lidera com 22.865, seguida pela região Norte (18.142, com 33 casos novos), a região Centro (4.276, nove casos novos), o Algarve (708, quatro casos novos) e o Alentejo (576). Nos Açores, mantém-se o número de novos casos e de mortes, enquanto na Madeira surgiram dois novos casos, totalizando 99, e não ocorreu qualquer morte.

Apesar dos aumentos em Lisboa e Vale do Tejo, é o Norte que regista o maior número de mortes (823), depois surge Lisboa e Vale do Tejo (541), Centro (250), Alentejo (18), Algarve (15) e Açores (15).

Nas últimas 24 horas, o número de pessoas internadas subiu de 462 para 467 (mais cinco), mas diminuíram os internados em cuidados intensivos, de 64 para 63.

Relativamente aos dados por concelho, que permanecem iguais à informação divulgada no sábado, continuam a existir 11 com mais de mil casos, com Lisboa (3.645), Sintra (2.850) e Loures (1.910) à cabeça.

Em relação à informação sobre os casos por concelho, a DGS refere que o relatório de hoje não inclui a atualização da imputação de casos aos concelhos e que está a verificar todos os dadso com as autoridades locais e regionais de saúde, um trabalho que deverá ficar concluído nos próximos dias.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.111), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (321, mais uma), entre 60 e 69 anos (150, mais uma) e entre 50 e 59 anos (55). Há 20 mortos registados entre os 40 e 49 anos, três entre os 30 e 39 e dois entre os 20 e 29 anos de idade.

Em termos de infetados, a maioria encontra-se na faixa etária entre 40 e 49 anos (7.712), depois entre 30 e 39 anos (7.587), 50 a 59 anos (7.198), 20 e 29 anos (7.040) e mais de 80 anos (5.602).

As autoridades de saúde mantêm sob vigilância 34.301 contactos de pessoas infetadas – menos 211 do que no domingo – e 1.291 casos aguardam resultado laboratorial. O número de doentes dados como recuperados aumentou de 31.065 (mais 58).

c/LUSA

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here