- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Covid-19 | Médio Tejo sem casos há 48 horas mantém tendência de descida continuada de novas infeções (C/AUDIO)

Nas últimas 48 horas não há registo de novos casos de doentes por covid-19 nos 11 municípios do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, tendo sido sinalizados apenas dois casos nos últimos sete dias, num universo de mais de 225 mil habitantes. A tendência será de descida continuada de novas infeções, com algumas regiões do país a descerem em breve do Estado de Emergência para um Estado de Alerta, situação que será alargada progressivamente a todas as regiões do país. O ACES Médio Tejo apresenta esta quarta-feira um total acumulado de 218 pessoas infetadas, das quais 126 recuperadas, 29 pessoas em vigilância ativa e dois óbitos. Entroncamento é agora o município que tem mais pessoas em vigilância ativa (13), seguido por Torres Novas (9), Abrantes (6) e Tomar (1).

- Publicidade -

A Delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo, Maria dos Anjos Esperança, disse ao mediotejo.net que a região mantém a tendência de descida continuada de novas infeções, apresentando números muito baixos de novos infetados e cada vez menos pessoas em vigilância ativa (29 ao dia de hoje). Até ao final deste mês a situação a nível nacional tenderá a sair do nível pandémico de Estado de Emergência para entrar em Estado de Alerta, um nível mais reduzido em termos da pandemia atual.

- Publicidade -

Torres Novas (53), Ourém (50), Abrantes (41), Tomar (22), Entroncamento (22), Alcanena (14), Vila Nova da Barquinha (7), Constância (3), Ferreira do Zêzere, Mação e Sardoal (2) são os dados acumulados de casos positivos referentes aos 11 municípios do ACES Médio Tejo até esta quarta-feira, dia 10 de junho.

Os 11 municípios deste ACES somam um total de 218 casos acumulados desde 16 de março, dia em que foi conhecido o 1º caso na região, dos quais 126 pessoas já recuperaram totalmente da doença e 29 estão hoje em vigilância ativa. Entroncamento é o município que tem hoje mais pessoas em vigilância ativa (13), seguido por Torres Novas (9), Abrantes (6) e Tomar (1).

Com os casos da Sertã (6) e Vila de Rei (1) o Médio Tejo soma um total de 225 pessoas infetadas e 133 recuperadas.

A Sertã tem seis casos confirmados e todas as pessoas já estão recuperadas da doença, disse esta semana ao mediotejo.net a Delegada de Saúde do Pinhal Interior. Estes últimos dois casos eram referentes a pessoas que tinham a morada fiscal na Sertã, e que já estão dadas como recuperadas, disse Manuela Vaz, tendo dado ainda conta que uma das pessoas acabaria por falecer mas não devido à covid-19.

Ainda neste ACES, Vila de Rei teve um doente, também já considerado curado. No total dos 13 municípios da região do Médio Tejo há um acumulado de 225 casos confirmados de covid-19, sendo que 133 pessoas estão recuperadas do vírus.

Os dados pós confinamento e depois do levantamento do Estado de Emergência mostram uma evolução de 76 casos positivos nos 13 municípios (34% dos 223 casos), o que aponta para um crescimento de 51% desde o dia 3 de maio na área geográfica do Médio Tejo.

Os 13 concelhos da CIM Médio Tejo apresentam até esta quarta-feira, dia 10 de junho, um total de 225 pessoas infetadas pela covid-19, das quais resultaram duas mortes (números oficiais do ACES) e 133 pessoas recuperadas.

O ACES Médio Tejo abrange 11 municípios e cerca de 225 mil utentes/frequentadores, sendo composto pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha. Vila de Rei e Sertã estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul.
Gavião e Ponte de Sor, no Alto Alentejo, continuam sem registar casos de covid-19.
Na Lezíria do Tejo, a Chamusca mantém um registo de nove casos, entre os quais um óbito a lamentar. A Golegã tem três casos confirmados. No total, a região da Lezíria soma agora 19 óbitos: Santarém (8), Coruche (3), Benavente (2) Salvaterra de Magos (2), Almeirim (1), Chamusca (1), Cartaxo (1) e Alpiarça (1).
A Lezíria do Tejo apresentava até às 18:30 de hoje um total acumulado de 479 doentes, dos quais 184 casos no concelho de Santarém, segundo dados da Rede Regional.
O distrito de Santarém soma, assim, 697 casos (479 na Lezíria do Tejo e 218 no ACES Médio Tejo), e um total de 21 óbitos (19 na Lezíria e dois no ACES Médio Tejo).  A Lezíria do Tejo apresenta um total de 328 doentes recuperados e o ACES Médio Tejo tem 126, o que dá um total de 454 pessoas recuperadas do vírus.

Covid-19 | Portugal com 1.497 mortos e 35.600 infetados

Portugal regista hoje 1.497 mortes relacionadas com a covid-19, mais cinco do que na terça-feira, e 35.600 infetados, mais 294, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

Em comparação com os dados de terça-feira, em que se registavam 1.492 mortes, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,3%. Já os casos e infeção subiram 0,8%.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo (13.878), onde se tem registado maior número de surtos, há mais 270 casos de infeção (+2%).

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 16.988, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 13.878, da região Centro, com 3.837, do Algarve (391) e do Alentejo (274).

Os Açores registam 142 casos de covid-19 e a Madeira contabiliza 90 casos confirmados, de acordo com o boletim hoje divulgado.

A região Norte continua também a ser a que regista o maior número de mortos (809), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (412), do Centro (245), do Algarve e dos Açores (ambos com 15) e do Alentejo, que regista um óbito, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de terça-feira.

A Região Autónoma da Madeira mantém-se sem registo de óbitos.

Segundo os dados da Direção-Geral da Saúde, 757 vítimas mortais são mulheres e 740 são homens.

Das mortes registadas, 1.013 tinham mais de 80 anos, 285 tinham entre 70 e 79 anos, 131 entre 60 e 69, 48 entre 50 e 59, e 17 entre 40 e 49. Há duas mortes registadas entre os 20 e os 29 anos e uma na faixa etária entre os 30 e os 39 anos.

A caracterização clínica dos casos confirmados indica que 417 doentes estão internados em hospitais, mais 23 do que na terça-feira (+5,8%), dos quais 70 em Unidades de Cuidados Intensivos (mais cinco, +7,7%).

Os dados da DGS precisam que o concelho de Lisboa é o que regista o maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus (2.751), seguido por Sintra (1.754), Vila Nova de Gaia (1.592), Porto (1.414), Loures (1.331), Matosinhos (1.292) e Braga (1.256).

Desde 01 de janeiro, registaram-se 344.217 casos suspeitos, dos quais 1.724 aguardam resultado dos testes.

Há 306.893 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados subiu para 21.742 (mais 408).

A DGS regista também 30.398 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Do total de infetados, 20.193 são mulheres e 15.407 são homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (5.982), seguida da faixa dos 50 aos 59 anos (5.795) e das pessoas com idades entre os 30 e os 39 anos (5.513).

Há ainda 4.927 doentes entre os 20 e os 29 anos, 4.710 com mais de 80 anos, 3.802 entre os 60 e 69 anos, e 2.734 entre 70 e 79 anos.

A DGS regista igualmente 850 casos de crianças até aos nove anos e 1.262 jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

De acordo com a DGS, 39% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 29% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 11% dificuldade respiratória.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 411 mil mortos e infetou mais de 7,2 milhões de pessoas em todo o mundo.

Mais de 3,2 milhões foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome