Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quarta-feira, Setembro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Covid-19 | Mais 14 casos na região, com Ourém em “situação de alerta” e Constância em “risco elevado”

Esta quinta-feira Ourém passou a integrar a lista de concelhos em “situação de alerta”. O anúncio foi realizado no final da reunião de Conselho de Ministros, havendo hoje mais 30 concelhos nesta listagem, sendo Ourém o único da região do Médio Tejo ali incluído.

- Publicidade -

- Publicidade -

Este é um nível intermédio criado entre o “risco moderado” e o “risco elevado”, quando se regista uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 se forem concelhos de baixa densidade populacional). Ourém é considerado um concelho de alta densidade (ver mapa) e começou a apresentar números mais expressivos desde a semana passada, tal como o mediotejo.net relatou anteontem. Hoje regista um valor de 143.

- Publicidade -

Constância mantém-se em “risco elevado” na listagem hoje divulgada pelo Governo, tendo voltado nas últimas 24 horas a registar um pequeno crescimento, quando ontem havia descido a fasquia dos 400 casos por cada 100 mil habitantes, pela primeira vez desde que entrou neste nível de risco. Constância é um concelho de baixa densidade.

Nas últimas 24 horas foram contabilizadas mais 14 infeções pelo SARS-CoV-2 na região do Médio Tejo, em Abrantes (1), Alcanena (1), Constância (2), Mação (1), Ourém (4), Tomar (4) e Torres Novas (1).

Há hoje 433 pessoas em vigilância ativa no Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, a que se juntam 49 na Sertã e 23 em Vila de Rei, que pertencem ao Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Sul. Ou seja, há 505 pessoas em acompanhamento pelas autoridades de saúde na região do Médio Tejo, no total.

No distrito de Santarém registaram-se hoje mais 54 casos positivos e dois óbitos, com Benavente a entrar na lista dos concelhos de “risco elevado”, depois de ter registado um significativo aumento de casos nas duas últimas semanas.

Situação da pandemia “continua a degradar-se”

“Quando olhamos para a situação do nosso país na matriz de risco, vemos que a situação continua a degradar-se. Temos hoje no continente uma incidência [de novos casos de infeção] de 346,5 por 100 mil habitantes e um ritmo de transmissão (Rt) [do vírus] de 1,15″, adiantou Mariana Vieira da Silva, após o Conselho de Ministros.

Segundo a governante, este valor do índice de transmissibilidade (Rt) é mais baixo do que o registado na semana passada, “parecendo verificar-se alguma diminuição da velocidade de crescimento” de novos casos de infeção. “Em qualquer caso, a incidência ainda é muito elevada, estando a situação do país ainda na zona vermelha na matriz de risco” da pandemia, referiu.

Portugal registou hoje mais 3.641 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, cinco mortes atribuídas à covid-19 e um novo aumento de doentes internados com a doença, segundo os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde.

Hoje estão internadas mais 40 pessoas, num total de 774, com mais três pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde agora se encontram 174 doentes com covid-19.

É o número mais alto de pessoas internadas desde 19 de março passado, quando estavam 789 doentes com covid-19 em unidades hospitalares.

*C/Lusa

NOTÍCIA RELACIONADA

Covid-19 | Ourém passa a integrar lista dos concelhos em “situação de alerta”

 

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome