Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Outubro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Covid-19 | Infeções, mortalidade e pressão hospitalar com tendência decrescente

Na região do Médio Tejo, todos os concelhos estão em "risco moderado", abaixo dos 240 ou dos 120 mil casos por cada 100 mil habitantes. A nível nacional, já nenhuma região do país apresenta uma incidência superior ao limiar de 480 casos.

A incidência de infeções com o novo coronavírus é moderada em Portugal, com tendência decrescente, revela o relatório “Monitorização das Linhas Vermelhas para a covid-19”, que aponta igualmente uma tendência decrescente na mortalidade por covid-19 e na pressão sobre hospitais.

- Publicidade -

- Publicidade -

“A análise dos diferentes indicadores revela uma atividade epidémica de infeção por SARS-CoV-2 de moderada intensidade, com tendência decrescente a nível nacional, assim como uma tendência decrescente na pressão sobre os serviços de saúde e na mortalidade por covid-19”, lê-se no documento que é publicado todas as sextas-feiras pela Direção-Geral da Saúde e pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge.

Nenhuma região do país apresenta uma incidência superior ao limiar de 480 casos em 14 dias por 100 mil habitantes, sendo que o número de novas infeções por SARS-CoV-2 foi de 166 casos por 100 mil habitantes, “com tendência decrescente a nível nacional”.

- Publicidade -

Na região do Médio Tejo, todos os concelhos estão em “risco moderado”, abaixo dos 240 ou dos 120 mil casos por cada 100 mil habitantes.

Dados de 17 de setembro de 2021. Fonte: Ministério da Saúde/DGS

Os especialistas da DGS e do Insa realçam que nos idosos, grupo etário mais vulnerável à covid-19, o número de novas infeções foi de 94 casos por 100 mil habitantes a 14 dias, com tendência decrescente em todo o país.

O índice de transmissibilidade (Rt) situa-se a nível nacional em 0,83, “indicando uma tendência decrescente da incidência de infeções por SARS-CoV-2”.

O relatório refere que o número de internados em unidades de cuidados intensivos hospitalares em Portugal continental caiu de 50% para 40% “do valor crítico definido de 255 camas ocupadas”.

Em termos nacionais, a proporção de testes positivos para o SARS-CoV-2 diminuiu esta semana dos 3,1% para 1,9%, “encontrando-se abaixo do limiar definido de 4,0%”, muito embora “o aumento” verificado no “número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias”.

A mortalidade por covid-19 situa-se nos 11,9 óbitos em 14 dias por um milhão de habitantes.

A variante Delta do SARS-CoV-2, identificada pela primeira vez na Índia, domina em todas as regiões do país, “com uma frequência relativa de 99,7% dos casos” avaliados na semana de 30 de agosto a 05 de setembro.

A DGS e o Insa destacam, ainda, que nos últimos sete dias 98% dos casos de infeção por SARS-CoV-2 foram isolados em menos de 24 horas após a notificação e rastreados e isolados, quando necessário, todos os contactos em 92% dos casos.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome