- Publicidade -

Covid-19 | Guia para o desconfinamento (o que vai abrir, como e quando)

Às 05h da madrugada de 15 de março voltou a ser permitido circular entre concelhos e entrámos oficialmente no plano de desconfinamento previsto pelo governo para vigorar até ao dia 03 de maio. Mantém-se o dever geral de recolhimento pelo menos até à Páscoa, mas com a reabertura progressiva de vários setores de atividade, tal como previsto do Decreto 4/2021, publicado a 13 de março.

- Publicidade -

O governo avaliará a cada dia a evolução da pandemia e António Costa frisou que este plano de desconfinamento será seguido “desde que a situação epidemiológica do país o permita”. Se os números voltarem a subir, poderá ter de haver um travão no tão desejado regresso à “vida normal”.

O dia 15 de março foi merecedor de um brinde (mais não seja com um café em copo de plástico), para celebrar o regresso dos mais pequenos à escola, a possibilidade de os mais velhos terem de novo visitas nos lares ou a liberdade de podermos, pura e simplesmente, sentar-nos num banco de jardim. Esperemos poder continuar todos a brindar neste desconfinamento progressivo. Confira o que vai abrir em cada uma das fases anunciadas.

- Publicidade -

Os cafés passam a poder vender-se de novo ao postigo, em regime take-away. Créditos: Unsplash

O que vai abrir em cada uma das 4 fases do desconfinamento

15 de março
• Creches, pré-escolar e 1.º ciclo (e ATLs para as mesmas idades);
• Comércio ao postigo;
• Cabeleireiros, manicures e similares;
• Livrarias, comércio automóvel e mediação imobiliária;
• Bibliotecas e arquivos.

5 de abril
• 2.º e 3.º ciclos (e ATLs para as mesmas idades);
• Equipamentos sociais na área da deficiência;
• Centros de dia;
• Museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares;
• Lojas até 200 m2 com porta para a rua;
• Feiras e mercados não alimentares (por decisão municipal);
• Esplanadas (máx. 4 pessoas);
• Modalidades desportivas de baixo risco;
• Atividade física ao ar livre até 4 pessoas e ginásios sem aulas de grupo.

19 de abril
• Ensino secundário;
• Ensino superior;
• Atividades formativas em regime presencial;
• Cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculos;
• Lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação;
• Todas as lojas e centros comerciais;
• Restaurantes, cafés e pastelarias (máx. 4 pessoas ou 6 em esplanadas) até às 22h ou 13h ao fim de semana e feriados;
• Modalidades desportivas de médio risco;
• Atividade física ao ar livre até 6 pessoas e ginásios sem aulas de grupo;
• Eventos exteriores com diminuição de lotação;
• Casamentos e batizados com 25% de lotação.

3 de maio
• Restaurantes, cafés e pastelarias (máx. 6 pessoas ou 10 em esplanadas) sem limite de horário;
• Todas as modalidades desportivas;
• Atividade física ao ar livre e ginásios;
• Grandes eventos exteriores e eventos interiores com diminuição de lotação;
• Casamentos e batizados com 50% de lotação.

De 15 de março a 3 de maio
• Teletrabalho mantém-se, sempre que possível;
• Comércio com horário de funcionamento até às 21h, durante a semana; 13h ao fim-de-semana e feriados, ou 19h, no caso do retalho alimentar;
• Proibição de circulação entre concelhos no fim de semana de 20-21 de março e de 26 de março a 5 de abril (período da Páscoa).

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).