Covid-19 | Entroncamento pondera reforçar medidas restritivas, mercado não fecha para já

O Município do Entroncamento está a ponderar reforçar as medidas implementadas no concelho no sentido de prevenir o contágio pelo novo coronavírus. Em reunião do executivo municipal na segunda-feira, 2 de novembro, o presidente da Câmara Municipal, Jorge Faria (PS), falou na intenção da autarquia em implementar o teletrabalho e em definir novos horários de encerramento para espaços de restauração. O autarca sublinha, no entanto, que a situação no concelho não exige a tomada de medidas mais gravosas.

PUB

“Não obstante o Entroncamento não estar na lista dos 121, vamos discutir algumas medidas que poderemos decidir brevemente”, disse o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria (PS), referindo-se ao facto de o seu concelho não estar incluído na lista dos concelhos que a partir desta quarta-feira estão em alto risco devido à Covid-19, por genericamente cumprirem o critério de mais de 240 novos casos de infeção por 100 mil habitantes, condição da qual resulta a implementação de medidas extraordinárias.

Num ponto de situação relativamente à situação da Covid-19 no concelho de Entroncamento, o presidente da Câmara Municipal admitiu, em reunião do executivo municipal, que o contágio na cidade (tendo em conta a população) “não é uma situação que exija a tomada de medidas gravosas ou adicionais”, mas que, mesmo assim, a autarquia tem a intenção de implementar medidas a curto prazo, de forma preventiva.

PUB

Jorge Faria deu ainda conta de que desde o aparecimento da pandemia já foram realizados cerca de 5000 testes à Covid-19 a pessoas com residência oficial no Entroncamento, dos quais resultaram os atuais 257 casos atuais positivos (à data de 2 de novembro).

Entre as medidas que o executivo municipal vai diligenciar no sentido da sua possível aplicação está o encerramento dos estabelecimentos comerciais às 22h00, ainda que esta seja “uma medida mais de caráter psicológico porque, se circularmos pela cidade a essa hora, vamos verificar que há um número muito reduzido de estabelecimentos abertos”, elucidou Jorge Faria.

Por outro lado, pondera-se o encerramento dos estabelecimentos de restauração para as 22h30. Uma intenção que tem o apoio dos vereadores da oposição (PSD e BE), com o vereador social-democrata José Baptista a afirmar, inclusive, que “não há muita gente já após essa hora na maior parte deles e portanto não me parece que vá ter grande impacto, é mais uma questão psicológica”. Já Sara Florindo (BE) destaca a “mais-valia” que estas medidas trazem para o concelho no sentido de reduzir a probabilidade de propagação do vírus da Covid-19.

Quanto aos equipamentos desportivos do concelho, o presidente do Município refere que a intenção passa por reduzir o seu horário também até às 22h00, quer no campo de futebol quer no pavilhão e também nos campos de ténis. No que toca aos parques, a sugestão da vereadora Sara Florindo (BE) foi a de que se controle também o horário de funcionamento do Parque Verde do Bonito, após o surgimento de “algumas referências sobre a utilização noturna do parque”.

Regresso ao teletrabalho

O regresso ao teletrabalho é outra das medidas que está também em cima da mesa. “Vamos também em princípio, estamos a ponderar, retomar o teletrabalho relativamente aos postos de trabalho em que é possível fazer, e fazê-lo numa rotação das pessoas desses postos de trabalho”, referiu Jorge Faria, que explicou mais detalhadamente que “nesta primeira fase vamos passar, em princípio, para uma situação de teletrabalho até 50% das pessoas desses postos de trabalhos, que ficará também por definir conjuntamente com as chefias”.

Quanto à rotação das pessoas, o autarca falou em ser feita semanalmente, declaração que mereceu o comentário do vereador social-democrata José Miguel Baptista (PSD), que sugeriu que tal rotação fosse feita em períodos de 14 dias, tendo em conta “o período que é hoje indicado para que não haja um risco de infeção”.

Reunião de Câmara de Entroncamento, via videoconferência. 2 de novembro de 2020. Imagem: CME

Este regime de teletrabalho será também aplicado ao executivo municipal. Neste caso não semanalmente mas “dia sim, dia não, para evitar que os membros do executivo que estão a ter funções executivas estejam sempre em contacto, para evitar futuras situações de contágio entre nós”, disse Jorge Faria.

Mercado Semanal mantém-se, para já, aberto

Esta é uma das questões que não gera dúvidas entre o executivo municipal: caso nada em contrário o justifique, permanecerá aberto.

“O mercado municipal é uma das hipóteses em que eu me inclino para não encerrar porque até agora todas as informações que temos, quer dos nossos funcionários quer do comissário da PSP, é de que as pessoas cumprem as regras que estão definidas, não há ajuntamentos”, afirma Jorge Faria. “As pessoas fazem a visita ao mercado, fazem as suas aquisições e vão embora, portanto até agora não temos tido qualquer indício de que haja ali uma situação preocupante”, acrescenta.

Em consonância, o vereador social-democrata Rui Baptista defendeu que “não faz sentido que o mercado semanal seja encerrado”, sublinhando duas questões: “as pessoas que vivem daquele tipo de feiras e as pessoas que lá compram. Nós não nos podemos esquecer disso e não se comprovando que existe um problema de saúde pública naquele espaço e não sendo nós obrigados a tal, parece-me que não faz sentido implementarmos essa medida, pese embora se houver alguma informação adicional”.

Medidas de prevenção têm sido cumpridas pelos munícipes

Ainda no que respeita à Covid-19, o presidente do Município do Entroncamento faz uma avaliação positiva quanto ao cumprimento das normas de segurança emanadas pelas autoridades de saúde por parte dos munícipes. “Da avaliação que faço, no resto da cidade o que se verifica normalmente é um cumprimento das medidas de prevenção e das regras que estão definidas”, diz, notando que não tem havido muitas situações que indiquem o contrário.

No entanto, o autarca refere uma situação nos bares situados junto ao mercado, nos quais já foi necessária a intervenção da PSP mas “numa perspetiva didática”. Esse é também um problema apontado pelo vereador José Baptista (PSD) que apelou, em reunião de Câmara, para que seja feito um reforço de segurança por parte da PSP naquela zona.

“Nunca se vai conseguir impedir, sem medidas mais musculadas, que haja ajuntamentos naquela zona”, disse.

Entroncamento fora dos 121 concelhos em alto risco

Em termos gerais, o concelho do Entroncamento tinha, à data de 2 de novembro, 257 casos confirmados de Covid-19, dos quais 50 ativos e cerca de 200 recuperados. Uma situação que deixa o concelho fora da lista dos 121 considerados de alto risco e que mereceu o destaque positivo por parte dos vereadores da oposição.

“Nós não estarmos neste número destes 121 concelhos que agora têm as medidas mais restritas é muito positivo e esperemos assim continuar”, disse o vereador social-democrata José Baptista (PSD), que alertou para a existência de “comentários bacocos de algumas pessoas que entendem que o Entroncamento devia estar nesses 121, uma patetice total”.

“Quem o diz não tem noção dos problemas que isto causa à própria organização dentro do concelho, é preciso que nós transmitamos isto às pessoas”, reiterou o vereador, que lembrou a realidade ainda mais condicionada que se vai viver a partir de dia 4 de novembro nesses concelhos.

No mesmo sentido, a vereadora do Bloco de Esquerda, Sara Florindo, reiterou que “tudo o que não queremos é fazer parte desses 121 concelhos e ter medidas bastante mais agressivas que depois vão afetar todos os munícipes”.

Covid-19 no Lar dos Ferroviários e nas escolas

No ponto de situação feito em reunião do executivo municipal a 2 de novembro, o presidente do Município explanou que, no que concerne às escolas, o cenário passou de uma semana passada sem qualquer turma em isolamento para a atual semana com duas turmas em confinamento.

Um estudante e uma professora que testaram positivo à Covid-19, levou a que o agrupamento acionasse o plano de contingência, pondo em isolamento uma turma da Escola Básica Ruy D’Andrade e outra da Escola Secundária.

Escola Secundária do Entroncamento (Foto: mediotejo.net)

Jorge Faria esclarece que a origem dos casos não foi interna da escola, e que no caso do aluno infetado tal situação era já expectável uma vez que os seus pais tinham anteriormente testado positivo ao novo coronavírus.

“O Agrupamento tem as coisas muito bem organizadas nesta perspetiva, quer na divulgação da informação ao delegado de saúde quer na intermediação entre o delegado de saúde e os pais e também já estão a ser postos em prática os mecanismos de apoio aos miúdos”, assegurou o autarca. As duas turmas vão estar em isolamento durante 10 dias.

 

Quanto ao Lar dos Ferroviários, o autarca deu conta de que os números se mantêm inalterados (13 infetados atualmente) estando prevista para esta semana nova testagem aos utentes que ainda se encontram, de acordo com a última testagem, positivos à Covid-19.

Lar dos Ferroviários no Entroncamento. Foto: DR

“Estamos numa situação de praticamente normalidade. Esperemos no princípio da semana que vem poder dizer que o surto no lar dos ferroviários, dois meses depois de se ter verificado, se extinguiu. É essa a nossa expectativa”, admitiu o autarca que revelou ainda que já regressaram à autarquia as duas funcionárias que estavam a dar apoio ao lar, sendo atualmente “total” a normalidade de funcionamento do mesmo.

 

Jorge Faria elucidou ainda que está a decorrer um processo de testagem promovido pela Segurança Social junto de todas as IPSS’s com mais de 50 trabalhadores, em que estão a ser testados 25% de cada vez os funcionários dessas IPSS’S. Na Santa Casa da Misericórdia já foram testados 75% dos funcionários e “felizmente, até agora, não há nenhum caso positivo. Esperemos que o último quarto de pessoas que vai ser testada também continue a demonstrar essa situação”, referiu.

PUB
Ana Rita Cristóvão
Quando era pequena, passava os dias no campo a fazer de conta que apresentava o telejornal. Rumou à capital para se formar em Jornalismo e foi aí que se apaixonou pela rádio. Gosta de abraços e passa horas a ouvir as histórias dos mais antigos. É fã de chocolate, caminhadas sem destino e praias fluviais.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).