- Publicidade -

Covid-19 | Entroncamento com “redução significativa” de novos casos conclui vacinação em ERPI’s

Em reunião do executivo camarário esta segunda-feira, 15 de fevereiro, o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria (PS), fez o ponto de situação da pandemia de Covid-19 no concelho, sublinhando “uma redução muito significativa” no número diário de novos casos, cuja média no presente mês de fevereiro é de 3,5. O autarca deu também conta de que ERPI’s, bombeiros e profissionais de saúde da cidade estão “praticamente todos vacinados, faltando algumas situações meramente pontuais”. Quanto à próxima etapa da vacinação – a população com 50 ou mais anos com patologias específicas – Jorge Faria expressa a sua “incompreensão” pelo facto de o concelho que dirige não ser um dos postos de vacinação do Médio Tejo anunciados pelo ACES.

- Publicidade -

Primeiro, o ponto de situação no concelho: “Felizmente, a nível nacional e a nível do nosso concelho, está a haver uma redução significativa dos casos positivos (…) Tivemos anteontem o registo de nove casos, mas foi claramente um acerto. A situação está claramente a evoluir favoravelmente”, disse o presidente da Câmara Municipal do Entroncamento, Jorge Faria, elucidando que “no Entroncamento, durante o mês de janeiro, tivemos 16,5 novos casos positivos em média por dia. No mês de fevereiro, até ontem, estamos com 3,5 casos em média por dia”.

- Publicidade -

Recorde-se que já na passada semana, a 9 de fevereiro, o autarca referia ao mediotejo.net que se verificava no concelho um número “substancialmente mais baixo de novos casos”, defendendo, no entanto, que tal “não invalida que não mantenhamos todos a guarda elevada”.

Em reunião de Câmara esta segunda-feira, Jorge Faria atribui esta redução do número de novos casos ao atual confinamento e à “atitude dos nossos munícipes que têm procurado cumprir as orientações de recolher ao seu domicílio”. “Não temos tido nota de situações que justifiquem algum alarme relativamente ao menor cumprimento dessas regras. Nota-se, aliás, que há um civismo e uma responsabilidade por parte das pessoas da nossa cidade a que obviamente não será alheia esta recuperação, até mais favorável do que a nível nacional”, disse.

Reunião de Câmara do Entroncamento, 15 de fevereiro de 2021. Imagem: Youtube CME

O edil relembrou também que a Câmara continua a prestar apoios às famílias, nomeadamente através da disponibilização da escola de acolhimento para crianças cujos pais sejam profissionais de serviços essenciais, bem como do fornecimento de refeições na Escola Básica do Bonito e na Escola Ruy D’Andrade – tendo sido servido uma média de 150 refeições nos últimos dias.

Quanto à vacinação, o autarca deu conta de que ao nível das ERPI (Estruturas Residenciais para Idosos), nomeadamente os lares da Santa Casa, Fernando Eiró Gomes bem como o Lar dos Ferroviários e a Unidade de Cuidados Continuados Integrados Manuel Fanha Vieira funcionários e utentes estão vacinados. “ERPI’s, bombeiros e profissionais de saúde da nossa cidade estão praticamente todos vacinados, faltando algumas situações meramente pontuais”, disse o autarca.

“Ao nível dos bombeiros, neste momento faltam apenas vacinar oito bombeiros. (…) Ao nível dos profissionais de saúde, faltam nove”, disse ainda, referindo já estar agendada a vacinação.

Jorge Faria referiu-se também ao início da vacinação para pessoas nos grupos considerados prioritários, nomeadamente cidadãos com mais de 50 anos e com patologias consideradas de risco. “O Entroncamento espero poder ver integrado no início da próxima semana nestes grupos”, disse, trazendo à mesa uma outra questão: como vai acontecer esta vacinação no concelho.

Recorde-se que o ACES Médio Tejo definiu quatro grandes centros para a segunda fase do plano nacional de vacinação contra a covid-19, em Abrantes, Ourém, Tomar e Torres Novas. Mostrando disponibilidade por parte da autarquia entroncamentense para apoiar na vacinação “sejam quais for as necessidades indicadas, nós temos condições para rapidamente as cumprir, seja no pavilhão municipal [onde está montada uma estrutura de retaguarda com 70 camas] seja noutro espaço adequado”, o autarca Jorge Faria refere ter manifestado “a incompreensão” numa reunião na passada semana com a autoridade de saúde e os municípios do Médio Tejo perante a não-existência de um centro no Entroncamento.

“Eu penso que isto terá que ser alterado. O fator em comum é que ainda não estamos numa situação em que haja vacinas em quantidade e quando houver isto será alteado, penso eu que não faz sentido andarmos a deslocar populações, será mais fácil deslocar equipas”, disse, concluindo que “assim haja vontade e assim haja vacinas, da nossa parte há total disponibilidade para montarmos esses centros [de vacinação] rapidamente”.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou à capital com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).