- Publicidade -

Covid-19 | Centro Hospitalar do Médio Tejo com 144 pessoas internadas em enfermaria, quatro delas crianças

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) tem hoje 144 ‘doentes covid-19’ internados em enfermaria, dos quais 138 estão no Hospital de Abrantes e quatro crianças estão na pediatria de Torres Novas.

- Publicidade -

Em resposta à Lusa, a administração do CHMT, que agrega os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, adiantou que o Hospital de Abrantes tem seis enfermarias abertas dedicadas a ‘doentes covid-19’, estando hoje 138 camas ocupadas.

A capacidade do Hospital de Abrantes “pode ser aumentada até às 156 camas à medida das necessidades”, é acrescentado.

- Publicidade -

Em Torres Novas, segundo a administração do CHMT, “há quatro camas em pediatria”, estando “todas ocupadas”, e “duas camas para doentes de nefrologia”, igualmente ocupadas.

Na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), instalada em Abrantes, unidade hospitalar de referência para ‘doentes covid-19’ no CHMT, estão 13 camas ocupadas, num total de 18, sendo que a “reorganização dos serviços vai sendo ajustada também de acordo com as respostas de prestação de cuidados”.

Questionado sobre o número de profissionais infetados, o CHMT adiantou que “é muito reduzido e não é significativo”, lembrando que, desde o início da pandemia de covid-19, foi implementado um processo de “testagem massiva e contínua” dos profissionais e que até agora não foi registado qualquer surto ou foco de contágio no interior da instituição.

Ainda segundo a instituição hospitalar, desde que se iniciou o “Plano de Vacinação covid-19”, em 29 de dezembro de 2020, o CHMT “vacinou mais de 1.440 profissionais, sendo que, destes, mais de 500 já receberam a segunda dose”.

O CHMT, que tem cerca de dois mil profissionais, indicou também ter recebido, no fim de semana, um “fornecimento extra de vacinas que permitiu alargar a vacinação a mais cerca de 200 profissionais” do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Questionado sobre os critérios de prioridade que foram estabelecidos para a vacinação, o CHMT referiu que até domingo já tinham sido vacinados 146 dos 177 médicos elegíveis, “tendo-se dado prioridade às especialidades mais relevantes para o tratamento dos ‘doentes covid-19’”.

O número de enfermeiros vacinados foi de “mais de 615”, dos “680 enfermeiros elegíveis para vacinação” ao passo que, “dos cerca de 190 técnicos de diagnóstico e terapia das mais diversas áreas elegíveis, mais de 130 foram vacinados, tendo-se dado prioridade aos que têm maior proximidade ao contexto do tratamento de doentes com covid-19″.

No caso dos assistentes operacionais, dos 543 elegíveis foram vacinados 413.

No final da semana, segundo a administração hospitalar, “todos estes números subirão por se irem administrar 170 novas primeiras tomas de vacinas”.

Do total das vacinas já administradas, 94% destinaram-se a profissionais envolvidos na prestação direta de cuidados a ‘doentes covid-19’, sendo que as restantes 6% foram administradas “a funcionários igualmente essenciais para o funcionamento do CHMT”.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 260 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, no distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.159.155 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.012 pessoas dos 653.878 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Abrantes, Santarém, 27 jan (Lusa) – O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) tem hoje 144 ‘doentes covid-19’ internados em enfermaria, dos quais 138 estão no Hospital de Abrantes e quatro crianças estão na pediatria de Torres Vedras.

Em resposta à Lusa, a administração do CHMT, que agrega os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém, adiantou que o Hospital de Abrantes tem seis enfermarias abertas dedicadas a ‘doentes covid-19’, estando hoje 138 camas ocupadas.

A capacidade do Hospital de Abrantes “pode ser aumentada até às 156 camas à medida das necessidades”, é acrescentado.

Em Torres Novas, segundo a administração do CHMT, “há quatro camas em pediatria”, estando “todas ocupadas”, e “duas camas para doentes de nefrologia”, igualmente ocupadas.

Na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), instalada em Abrantes, unidade hospitalar de referência para ‘doentes covid-19’ no CHMT, estão 13 camas ocupadas, num total de 18, sendo que a “reorganização dos serviços vai sendo ajustada também de acordo com as respostas de prestação de cuidados”.

Questionado sobre o número de profissionais infetados, o CHMT adiantou que “é muito reduzido e não é significativo”, lembrando que, desde o início da pandemia de covid-19, foi implementado um processo de “testagem massiva e contínua” dos profissionais e que até agora não foi registado qualquer surto ou foco de contágio no interior da instituição.

Ainda segundo a instituição hospitalar, desde que se iniciou o “Plano de Vacinação covid-19”, em 29 de dezembro de 2020, o CHMT “vacinou mais de 1.440 profissionais, sendo que, destes, mais de 500 já receberam a segunda dose”.

O CHMT, que tem cerca de dois mil profissionais, indicou também ter recebido, no fim de semana, um “fornecimento extra de vacinas que permitiu alargar a vacinação a mais cerca de 200 profissionais” do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Questionado sobre os critérios de prioridade que foram estabelecidos para a vacinação, o CHMT referiu que até domingo já tinham sido vacinados 146 dos 177 médicos elegíveis, “tendo-se dado prioridade às especialidades mais relevantes para o tratamento dos ‘doentes covid-19’”.

O número de enfermeiros vacinados foi de “mais de 615”, dos “680 enfermeiros elegíveis para vacinação” ao passo que, “dos cerca de 190 técnicos de diagnóstico e terapia das mais diversas áreas elegíveis, mais de 130 foram vacinados, tendo-se dado prioridade aos que têm maior proximidade ao contexto do tratamento de doentes com covid-19″.

No caso dos assistentes operacionais, dos 543 elegíveis foram vacinados 413.

No final da semana, segundo a administração hospitalar, “todos estes números subirão por se irem administrar 170 novas primeiras tomas de vacinas”.

Do total das vacinas já administradas, 94% destinaram-se a profissionais envolvidos na prestação direta de cuidados a ‘doentes covid-19’, sendo que as restantes 6% foram administradas “a funcionários igualmente essenciais para o funcionamento do CHMT”.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 260 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, no distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.159.155 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.012 pessoas dos 653.878 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Agência de Notícias de Portugal

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).