- Publicidade -

Covid-19 | ACES Médio Tejo tem mais 270 casos num dia de novos máximos de infeções e óbitos no país

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo registou 270 infeções por covid-19 nas últimas 24 horas, em mais um dia com números dramáticos na região e no país. Portugal registou hoje 274 mortes relacionadas com a covid-19, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, e 15.333 casos de infeção com o novo coronavirus, também um novo máximo diário, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, a delegada de Saúde Pública deste ACES, Maria dos Anjos Esperança, disse que as novas infeções incidem agora na sua maioria na faixa etária entre os 40 e os 59 anos e que estes 15 dias de confinamento podem ser suficientes se todos cumprirem as regras impostas, não tendo registo da variante inglesa na região. Os novos casos neste ACES foram contabilizados em Ourém (+82), Alcanena (+49), Abrantes (+35), Torres Novas (+34), Tomar (+26), Entroncamento (+21), Constância (+8), Vila Nova da Barquinha (+7), Ferreira do Zêzere (+6), Sardoal (+1), e Mação (+1).

ÁUDIO: MARIA DOS ANJOS ESPERANÇA, DELEGADA SAÚDE PUBLICA MÉDIO TEJO:

- Publicidade -

Nos 11 municípios do ACES Médio Tejo há hoje um total acumulado de 9.888 casos desde o início da pandemia (+270), sendo o concelho de Ourém o que regista maior número de casos, com 2463 infeções (+82), seguido por Tomar, com 1750 (+26), Torres Novas com 1631 (+34), Abrantes, com 1084 (+35), Entroncamento, com 904 (+21), Alcanena, com 755 (+49), Ferreira do Zêzere, com 452 (+5) Mação, com 381 (+1), Vila Nova da Barquinha, com 205 (+7), Constância, com 136 casos (+8), e Sardoal, com 127 (+1).

No ACES Médio Tejo estão hoje 963 pessoas em vigilância ativa (+65). Alcanena tem 252 cidadãos nesta condição, seguido de Entroncamento (111), Tomar (107), Torres Novas (101), Mação (86), Ferreira do Zêzere (74), Abrantes (68), Ourém (61), Sardoal (47), Vila Nova da Barquinha (44), e Constância (12).

O ACES Médio Tejo regista um total acumulado de 9888 pessoas infetadas (+270), 5540 recuperadas (-), 963 pessoas em vigilância ativa (+65) e 176 óbitos (-).

Sertã tem 522 casos (+2) e Vila de Rei 37 (-) desde o início da pandemia

No ACES do Pinhal Interior Sul (PIS), o município da Sertã apresenta hoje um total acumulado de 522 pessoas infetadas (+2), das quais 312 recuperadas da doença (+17). Na Sertã estão 202 casos ativos e 251 pessoas em vigilância ativa. Este ACES revela seis óbitos na Sertã. Dois doentes positivos foram transferidos, segundo o ACES PIS.

Vila de Rei, por sua vez, regista um total de 37 casos de infeção desde o início da pandemia, 13 dos quais ativos e 23 pessoas recuperadas. Há informação de um óbito relativo a uma pessoa positiva hospitalizada e que faleceu no CHMT. O ACES PIS informou que ainda não conseguiu apurar a causa da morte, apesar do doente estar internado com covid-19. Vila de Rei tem 29 pessoas em vigilância.

Região do Médio Tejo com total de 10.447 casos e 183 óbitos nos 13 municípios

Com cerca de 250 mil habitantes, os 13 municípios do Médio Tejo somam um total de 10.447 casos de infeção pelo novo coronavírus (+272), das quais 9.888 no ACES Médio Tejo e 559 no ACES Pinhal Interior Sul (522 na Sertã e 37 em Vila de Rei). Há um total de 5875 (+17) pessoas recuperadas (5540 no ACES Médio Tejo, um total de 312 na Sertã e 23 em Vila de Rei (ACES PIS), a par de 183 óbitos (176 no ACES Médio Tejo e 7 no ACES PIS).

O ACES Médio Tejo abrange a área territorial de 11 municípios com cerca de 235 mil utentes, e abrange as unidades de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila nova da Barquinha, numa área territorial de 2.706,10 Km’s quadrados.

Os municípios da Sertã e Vila de Rei fazem parte do Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo na divisão político-administrativa mas em termos de Saúde estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul (PIS) que abrange ainda os concelhos de Proença-a-Nova e Oleiros, num total de cerca de 30 mil utentes.

Ponte de Sor com 550 casos (+28) e Gavião com 164 casos (+7) acumulados

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta hoje um total acumulado de 550 casos (+28) positivos desde o início da pandemia. Pelo menos cinco dos casos são relativos a pessoas que não residem no concelho e que não atualizaram a sua residência fiscal, pelo que o município refere apenas a ocorrência de 545 casos, dos quais 293 estão recuperados e 246 estão ativos. Há 6 óbitos a lamentar no concelho.

Gavião, por sua vez, apresenta um total acumulado de 164 casos (+7) de covid-19, dos quais 124 pessoas estão recuperadas da doença. Há quatro óbitos (+1) a lamentar e 36 casos ativos no concelho.

Lezíria com 9785 casos (+176) e 198 óbitos (+2) desde o início da pandemia

A Lezíria do Tejo apresenta hoje 176 novos casos de infeção por SARS-CoV-2 e um total acumulado de 9785 doentes, dos quais 3239 casos no concelho de Santarém, segundo a Rede Regional. A Chamusca tem um total de 350 casos confirmados e 13 óbitos, e a Golegã tem 182 infeções (+2) e sete óbitos.

A região da Lezíria acumula 202 óbitos, 74 dos quais em Santarém, e 6584 pessoas recuperadas da doença (+30).

Distrito de Santarém com total de 19.673 casos e 378 óbitos

O distrito de Santarém soma um total acumulado de 19.673 casos confirmados de doença (9.785 na Lezíria do Tejo e 9.888 no ACES Médio Tejo), e um total de 378 óbitos (202 na Lezíria e 176 no ACES Médio Tejo).  A Lezíria apresenta um total de 6584 recuperados e o ACES Médio Tejo tem 5540, o que dá um total de 12.095 pessoas recuperadas da doença.

Portugal com 274 mortes em 24 horas, novo máximo

Portugal registou hoje 274 mortes relacionadas com a covid-19, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, e 15.333 casos de infeção com o novo coronavirus, também um novo máximo diário, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O anterior máximo diário de casos de infeção tinha sido registado a 20 de janeiro (14.647) e Portugal ultrapassou hoje a barreira dos dez mil mortos desde o início da pandemia, em março do ano passado. O boletim epidemiológico de hoje revela também que estão internadas 5.922 pessoas, mais 143 do que na sexta-feira, das quais 720 em unidades de cuidados intensivos, ou seja, mais cinco.

Estão hoje ativos 162.951, um aumento de 5.291 casos nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, Portugal já registou 10.194 mortes associadas à covid-19 e 624.469 infeções com o coronavírus SARS-Cov-2. As autoridades de saúde têm em vigilância 206.232 contactos, mais 5.502 relativamente ao dia anterior.

O boletim regista ainda que mais 9.768 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 451.324 o número de recuperados desde o início da pandemia.

Relativamente às 274 mortes registadas nas últimas 24 horas, 122 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 65 na região Centro, 55 na região Norte, 23 no Alentejo e nove no Algarve. Não houve registo de mortos nas regiões autónomas de Madeira e Açores.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo – que representa um quarto das novas infeções e quase metade dos óbitos – foram notificadas 6.135 novas infeções, contabilizando-se até agora 214.830 casos, e 3.748 mortes.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções (mais elevado entre os 40 e os 49).

Do total de vítimas mortais, 5.313 eram homens e 4.881 mulheres. O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguindo-se a faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 2.107.903 mortos, resultantes de mais de 98,1 milhões de casos de infeção, em todo o mundo, segundo o balanço de hoje feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).