Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Maio 8, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Covid-19 | ACES Médio Tejo regista seis novos casos de infeção nas últimas 24 horas

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo registou 6 novos casos de infeção por covid-19 nas últimas 24 horas, três dos quais em Abrantes, e um em Alcanena, Mação e em Tomar. O número de pessoas infetadas no surto que levou ao encerramento da escola básica Maria Lucília Moita, em Abrantes, evoluiu de cinco para oito casos, afetando um total de 4 crianças, 3 encarregados de educação e uma funcionária.

- Publicidade -

A Delegada de Saúde Pública, Maria dos Anjos Esperança, disse que apesar do número de casos ter sido baixo esta semana o mesmo “está a aumentar”, tendo apelado a “cuidados redobrados” com a abertura dia 19 da 3ª fase de desconfinamento e com o regresso do ensino presencial no ensino secundário e ensino superior. O Índice de Transmissibilidade (Rt) situa-se entre os 0.8 e os 0.9 neste ACES, contra o 1,05 nacional, disse, tendo feito notar a importância do trabalho conjunto para manter o Rt abaixo de 1.

ÁUDIO: MARIA ANJOS ESPERANÇA, DELEGADA SAÚDE PÚBLICA:

- Publicidade -

As autoridades de saúde do Médio Tejo determinaram na quinta-feira a suspensão do regime presencial de aulas por um período de 14 dias na Escola Básica Maria Lucília Moita, em Abrantes, devido a um surto de covid-19 que afeta hoje quatro crianças, três encarregados de educação e uma funcionária, medida que o presidente da Câmara Municipal de Abrantes considerou ser uma medida preventiva sensata, relativamente a uma escola que agrega cerca de 150 crianças do pré-escolar e do ensino básico.

ÁUDIO: MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES:

Nos 11 municípios do ACES Médio Tejo há hoje um total acumulado de 12.806 infeções desde o início da pandemia (+6), sendo Ourém o que regista maior número de casos, com 3.008 infeções (-), seguido de Tomar, com 2497 (+1), Torres Novas, com 1988 (-), Abrantes, com 1539 (+3), Entroncamento, com 1101 (-), Alcanena, com 1021 (+1), Ferreira do Zêzere, com 612 (-), Mação, com 432 (+1), Vila Nova da Barquinha, com 266 (-), Sardoal, com 180 (-), e Constância, com 164 casos (-).

No ACES Médio Tejo estão hoje 105 pessoas em vigilância ativa (-). Abrantes tem 35 cidadãos nesta condição, seguido por Tomar (26), Alcanena (16), Torres Novas (15), Ourém (7),  Entroncamento (3), Constância (2), Ferreira do Zêzere (1), Mação (-), Vila Nova da Barquinha (-) e Sardoal (-).

O ACES Médio Tejo regista um total acumulado de 12.806 pessoas infetadas (+6), 12.325 recuperadas (-), 105 pessoas em vigilância ativa (-) e 375 óbitos (-).

Sertã tem 679 casos (-) e Vila de Rei 149 (-) desde o início da pandemia

No ACES do Pinhal Interior Sul (PIS), o município da Sertã apresenta um total acumulado de 679 pessoas infetadas, das quais 670 recuperadas da doença. A Sertã não tem nenhum caso ativo e tem uma pessoa em vigilância. Há registo de nove óbitos.

Vila de Rei, por sua vez, regista um total de 149 casos de infeção desde o início da pandemia, 139 pessoas recuperadas da doença e um caso ativo. Há 9 óbitos a registar, segundo os dados do ACES PIS. Vila de Rei não tem pessoas em vigilância ativa.

Região do Médio Tejo com total de 13.634 casos e 393 óbitos nos 13 municípios

Com cerca de 250 mil habitantes, os 13 municípios do Médio Tejo somam 13.634 casos de infeção pelo novo coronavírus, das quais 12.806 no ACES Médio Tejo e 828 no ACES Pinhal Interior Sul (679 na Sertã e 149 em Vila de Rei). Há um total de 13.134 pessoas recuperadas (12.325 no ACES Médio Tejo, um total de 670 na Sertã e 139 em Vila de Rei (ACES PIS), a par de 393 óbitos (375 no ACES Médio Tejo e 18 no ACES PIS).

O ACES Médio Tejo abrange a área territorial de 11 municípios com cerca de 235 mil utentes, e abrange as unidades de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila nova da Barquinha, numa área territorial de 2.706,10 Km’s quadrados.

Os municípios da Sertã e Vila de Rei fazem parte do Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo na divisão político-administrativa mas em termos de Saúde estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul (PIS) que abrange ainda os concelhos de Proença-a-Nova e Oleiros, num total de cerca de 30 mil utentes.

Ponte de Sor com 816 casos (+1) e Gavião com 194 (-) casos acumulados

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta um total acumulado de 816 casos positivos desde o início da pandemia (+1), dos quais 781 estão recuperados (-) e dois casos estão hoje ativos. Há 33 óbitos a lamentar no concelho devido à covid-19 (-).

Gavião, por sua vez, apresenta um total acumulado de 194 casos (-) de covid-19, dos quais 187 pessoas estão dadas como recuperadas da doença (-). Há sete óbitos (-) a lamentar e nenhum caso ativo no concelho.

Lezíria com 14.972 casos (+13) e 473 óbitos desde o início da pandemia

A Lezíria do Tejo apresenta um total de 14.972 casos de infeção por SARS-CoV-2, dos quais 4.407 casos no concelho de Santarém. A Chamusca tem um total de 473 casos confirmados e 17 óbitos, e a Golegã tem 267 infeções e 10 óbitos.

A região da Lezíria acumula 473 óbitos, 151 dos quais em Santarém, e 14.345 pessoas recuperadas da doença (+5).

Distrito de Santarém com total de 27.778 casos e 847 óbitos

O distrito de Santarém regista um total de 27.778 casos confirmados de doença (14.972 na Lezíria do Tejo e 12.806 no ACES Médio Tejo), e 848 óbitos (473 na Lezíria e 375 no ACES Médio Tejo) desde início da pandemia. A Lezíria apresenta 14.345 recuperados e o ACES Médio Tejo 12.325, o que dá um total de 26.670 pessoas recuperadas da doença.

Portugal com quatro mortes e 553 casos nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais quatro mortes relacionadas com a covid-19, 553 novos casos de infeção com o novo coronavírus, um aumento nos internamentos em enfermaria e uma diminuição nos cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim divulgado hoje pela DGS, estão internados 429 em enfermaria, mais seis do que na quinta-feira, e 101 nos cuidados intensivos, menos oito. O número de doentes em cuidados intensivos é o mais baixo desde 29 de setembro quando Portugal tinha 99 pessoas com covid-19 nestas unidades.

Em enfermaria o valor de hoje está próximo do registado a 12 de setembro, dia em que se encontravam internadas 438 pessoas. Já quanto ao número de novos casos os valores de hoje são semelhantes aos registados nas últimas semanas.

Os dados revelam também que 596 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 787.607 o número total desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020. Há 25.367 casos ativos em Portugal, menos 47 em relação a quinta-feira.

Desde março de 2020, Portugal já registou 16.937 mortes associadas à covid-19 e 829.911 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19. O número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde aumentou em 894 relativamente a quinta-feira, totalizando agora 19.940.

De acordo com os mais recentes dados da DGS, Portugal tem atualmente 2.334.229 pessoas vacinadas contra a covid-19, das quais 626.557 já estão imunizadas com as duas doses.

O índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus em Portugal desceu hoje para 1,05 assim como a incidência de casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias que se situa nos 71,6, segundo dados hoje divulgados. Os números anteriores destes indicadores, divulgados na quarta-feira, apontavam para um Rt nacional de 1,06 e uma incidência de 72,4 casos por 100.000 habitantes.

No boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral de Saúde e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgado hoje, os números relativos apenas a Portugal continental descem também de 1,05 para 1,04 no que diz respeito ao Rt e de 69 para 68 em relação ao valor médio de casos de infeção por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome