Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Covid-19 | ACES Médio Tejo regista 5 novos em Abrantes, Sardoal e Ourém (c/ÁUDIO)

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo registou 5 novos casos de infeção por covid-19 nas últimas 24 horas, dois em Abrantes, dois em Sardoal, e um em Ourém. Em Sardoal, a creche municipal fechou esta segunda-feira devido ao aumento dos casos ativos no concelho.

- Publicidade -

- Publicidade -

Portugal teve nas últimas 24 horas mais 625 casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e estão internadas mais 15 pessoas com covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Num dia em que não se registaram mortes com covid-19, o número de pessoas internadas subiu para 340, das quais 77 em unidades de cuidados intensivos, de onde saíram cinco doentes nas últimas 24 horas.

ÁUDIO: MIGUEL BORGES, PRESIDENTE CM SARDOAL:

- Publicidade -

No ACES Médio Tejo há um total de 13.0053 infeções desde o início da pandemia (+5). Ourém regista o maior número de casos, com 3.059 (+1), seguido de Tomar, com 2520 (-), Torres Novas, com 2013 (-), Abrantes, com 1603 (+2), Entroncamento, 1127 (-), Alcanena, com 1051 (-), Ferreira Zêzere, com 613 (-), Mação, com 434 (-), Vila Nova da Barquinha, com 275 (-), Sardoal, com 191 (+2), e Constância, 167 casos (-).

No ACES Médio Tejo estão 238 pessoas em vigilância ativa (+13): Abrantes tem 127 cidadãos neste condição, seguido por Vila Nova da Barquinha (24), Alcanena (22), Entroncamento (16), Sardoal (14), Mação (10), Ourém (8), Constância (8), Tomar (7), Torres Novas (2), e Ferreira do Zêzere (-).

O ACES Médio Tejo regista um total acumulado de 13.053 pessoas infetadas (+5), 12.587 recuperadas (-), 238 pessoas em vigilância ativa (+13) e 378 óbitos (-).

Sertã tem 747 casos (-) e Vila de Rei 149 (-) desde o início da pandemia

No ACES do Pinhal Interior Sul (PIS), o município da Sertã apresenta um total acumulado de 747 pessoas infetadas, das quais 681 recuperadas da doença. A Sertã apresenta 57 casos ativos e 65 pessoas em vigilância. Há registo de nove óbitos.

Vila de Rei, por sua vez, regista um total de 149 casos de infeção desde o início da pandemia, 140 pessoas recuperadas da doença e nenhum caso ativo. Há 9 óbitos a registar, segundo os dados do ACES PIS. Vila de Rei não tem pessoas em vigilância ativa.

Região do Médio Tejo com total de 13.949 casos e 396 óbitos nos 13 municípios

Com cerca de 250 mil habitantes, os 13 municípios do Médio Tejo somam 13.949 casos de infeção pelo novo coronavírus, das quais 13.053 no ACES Médio Tejo e 896 no ACES Pinhal Interior Sul (747 na Sertã e 149 em Vila de Rei). Há um total de 13.408 pessoas recuperadas (12.587 no ACES Médio Tejo, um total de 681 na Sertã e 140 em Vila de Rei (ACES PIS), a par de 396 óbitos (378 no ACES Médio Tejo e 18 no ACES PIS).

O ACES Médio Tejo abrange a área territorial de 11 municípios com cerca de 235 mil utentes, e abrange as unidades de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila nova da Barquinha, numa área territorial de 2.706,10 Km’s quadrados.

Os municípios da Sertã e Vila de Rei fazem parte do Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo na divisão político-administrativa mas em termos de Saúde estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul (PIS) que abrange ainda os concelhos de Proença-a-Nova e Oleiros, num total de cerca de 30 mil utentes.

Ponte de Sor com 825 casos (-) e Gavião com 197 casos acumulados (-)

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta um total acumulado de 825 casos positivos desde o início da pandemia, dos quais 790 estão recuperados. Estão dois casos ativos naquele concelho. Há 33 óbitos a lamentar devido à covid-19.

Gavião, por sua vez, apresenta um total acumulado de 197 casos de covid-19, dos quais 188 pessoas estão dadas como recuperadas da doença. Há sete óbitos a lamentar e dois casos ativos no concelho.

Lezíria com 15.410 casos (+11) e 480 óbitos desde o início da pandemia

A Lezíria do Tejo apresenta um total de 15.410 casos (+11) de infeção por SARS-CoV-2, dos quais 4.518 casos (+4) no concelho de Santarém. 

A Chamusca tem um total de 495 casos confirmados e 18 óbitos, e a Golegã tem 301 infeções e 10 óbitos. A região da Lezíria acumula 480 óbitos, 151 dos quais em Santarém, e 14.806 pessoas recuperadas da doença (+12).

Distrito de Santarém com total de 28.463 casos e 858 óbitos

O distrito de Santarém regista um total de 28.463 casos confirmados de doença (15.410 na Lezíria do Tejo e 13.053 no ACES Médio Tejo), e 858 óbitos (480 na Lezíria e 378 no ACES Médio Tejo) desde o início da pandemia. A Lezíria apresenta 14.806 recuperados e o ACES Médio Tejo 12.587, o que dá um total de 28.393 pessoas recuperadas da doença.

Portugal com mais 625 pessoas infetadas e mais 15 internamentos

Portugal teve nas últimas 24 horas mais 625 casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e estão internadas mais 15 pessoas com covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Num dia em que não se registaram mortes com covid-19, o número de pessoas internadas subiu para 340, das quais 77 em unidades de cuidados intensivos, de onde saíram cinco doentes nas últimas 24 horas.

A maior parte dos novos casos de infeção (401) foi diagnosticada na região de Lisboa e Vale do Tejo. As autoridades de saúde contam mais 345 casos ativos, num total de 25.403, enquanto 280 pessoas foram dadas como recuperadas, totalizando 815.622 desde os primeiros casos de infeção. O número de contactos em vigilância subiu 508 nas últimas 24 horas e atinge agora 30.375 pessoas.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.047 pessoas com covid-19 e foram registados 858.072 casos de infeção.

O índice nacional de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-CoV-2 subiu de 1,07 para 1,09 e a incidência de casos de infeção por 100.000 habitantes subiu de 79,3 para 84,5, foi hoje divulgado.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome