Covid-19 | ACES Médio Tejo defende multas para quem atire máscaras para o chão (c/audio)

No sábado não houve novos casos de pessoas infetadas pelo novo coronavírus na área de abrangência do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, mantendo assim a região um total acumulado de 157 casos, dos quais 98 pessoas estão já recuperadas e 53 mantêm-se em vigilância ativa. Torres Novas é o concelho mais atingido no Médio Tejo, com 42 pessoas infetadas, seguido de Ourém, com 37, e Abrantes, com 21 casos registados.

PUB

A Delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, Maria dos Anjos Esperança, alertou para o correto uso das máscaras e das viseiras, e deu conta do perigo que representa para a saúde pública as pessoas atirarem as suas máscaras e luvas descartáveis para o chão, tendo defendido multas para quem o faça. “É fundamental deitar estas máscaras nos locais próprios, no lixo”, reforça Maria dos Anjos Esperança. “Devia haver coimas para quem deixe máscaras na rua ou não as coloque diretamente no lixo, tal como há para quem não as utilize nos locais próprios”, como os transportes públicos, considera.

PUB

A Sertã tem seis casos confirmados, dos quais quatro pessoas recuperadas da doença, e Vila de Rei teve um doente, também já considerado curado. No total dos 13 municípios da região do Médio Tejo há um acumulado de 164 casos confirmados de covid-19, sendo que 105 pessoas estão já recuperadas do vírus.

Torres Novas (42), Ourém (37), Abrantes (21), Tomar (19), Entroncamento (12), Alcanena (11), Vila Nova da Barquinha (7), Constância (3), Ferreira do Zêzere e Mação (2) e Sardoal (1) e a par de duas mortes [em Tomar (1) e em Alcanena (1)], são os dados acumulados referentes ao ACES Médio Tejo ao dia de hoje [sábado].

Ainda pelo Médio Tejo, na área territorial da CIM Médio Tejo, mas ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul, há sete casos positivos a registar, seis (6) dos quais na Sertã e um (1) em Vila de Rei. Um doente em Vila de Rei e quatro na Sertã já foram dados como recuperados. Assim, os 13 concelhos da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo têm até este sábado, dia 09 de maio, um total de 164 pessoas infetadas pela covid-19, das quais resultaram duas mortes e 105 pessoas recuperadas.

O ACES Médio Tejo abrange 11 municípios e cerca de 225 mil utentes/frequentadores, sendo composto pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha. Vila de Rei e Sertã estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul.

Gavião e Ponte de Sor, no Alto Alentejo, continuam sem registar casos de covid-19. No entanto, na página da Direção Geral da Saúde (DGS), o concelho de Ponte de Sor surge com três casos confirmados, tendo o mediotejo.net apurado que os dados reportam-se a pessoas que há muito não residem naquele município, tendo, no entanto, ainda ali registada a sua residência.

Na Lezíria do Tejo a Chamusca mantém um registo de nove casos, entre os quais uma pessoa recuperada e um óbito a lamentar. A Golegã tem dois casos confirmados. No total, a a região da Lezíria soma 12 óbitos: Santarém (3), Benavente (2), Salvaterra de Magos (2), Almeirim (1), Chamusca (1), Cartaxo (1), Coruche (1) e Alpiarça (1).

A Lezíria do Tejo apresentava até às 17:30 deste sábado um total acumulado de 326 doentes, dos quais 114 casos no concelho de Santarém, 52 em Benavente e 41 em Coruche, segundo dados recolhidos pela Rede Regional.

O distrito de Santarém soma assim, às 19:30 de hoje, 483 casos (326 na Lezíria do Tejo e 157 no Médio Tejo), e um total de 14 óbitos (12 na Lezíria e dois no ACES Médio Tejo). A Lezíria do Tejo apresentava 211 doentes recuperados e o ACES Médio Tejo tem 98, o que dá um total de 309 pessoas recuperadas do vírus.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

PUB
Mário Rui Fonseca
A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).