Covid-19 | ACES Médio Tejo com um novo caso em Alcanena e mais 10 pessoas recuperadas da doença (C/AUDIO)

Região do Médio Tejo teve hoje mais um caso positivo em Alcanena e 10 pessoas recuperadas da doença. Foto: mediotejo.net

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo regista um novo caso de infeção por covid-19 em Alcanena, tendo conseguido travar a evolução do surto em Ourém, segundo os dados das últimas 24 horas. Algumas notícias animadoras revelam que Abrantes deixou de ter casos em vigilância ativa e que há registar mais 10 pessoas completamente recuperadas da doença no Entroncamento e em Ourém.

PUB

A delegada de Saúde do ACES do Médio Tejo, Maria dos Anjos Esperança, disse que o caso de Alcanena está ligado a uma senhora idosa, que foi fazer o teste após revelar alguns sintomas, e saudou o facto de não haver novos casos em Ourém nas últimas 24 horas, alertando, no entanto, que tal não significa que novos casos não possam ainda surgir ligados ao surto do Coro do Santuário e que, atualmente, estão quatro surtos ativos no ACES Médio Tejo, dois ligados a famílias e ainda em Abrantes e Ourém. “Num surto consideramos sempre a vigilância durante dois períodos de 14 dias de incubação”, explica a delegada de saúde, e só deixará de haver essa classificação de “surto” quando passarem 28 dias sem registo de novos casos.

O ACES Médio Tejo regista hoje um total de 311 pessoas infetadas (+1), 184 recuperadas (+10), 49 em vigilância ativa (-32), e 15 óbitos (-).

PUB

Nos 11 concelhos do ACES Médio Tejo, o município de Ourém é o que regista maior número de casos positivos (107), seguido de Torres Novas (60), Abrantes (44), Entroncamento (32), Tomar (24), Alcanena (21), Vila Nova da Barquinha (8), Mação (7), Constância e Ferreira do Zêzere (3) e Sardoal (2). Com os sete casos registados no ACES Pinhal Interior Sul, onde se inclui Sertã (6 casos) e Vila de Rei (1 caso), a região do Médio Tejo soma um total de 318 casos de covid-19, 191 pessoas recuperadas e 15 óbitos.

Ourém continua a ser o concelho com mais pessoas em vigilância ativa (32), seguido de Vila Nova da Barquinha (8), Entroncamento (5), Ferreira do Zêzere (2) e Mação e Torres Novas (1). Com os casos da Sertã (6) e Vila de Rei (1) a região do Médio Tejo soma um total de 318 pessoas infetadas, 191 recuperadas e 15 óbitos.

O ACES do Pinhal Interior Sul apresenta um total acumulado de 18 casos positivos, sendo seis (6) deles na Sertã e um (1) em Vila de Rei, deu conta ao mediotejo.net a Delegada de Saúde Pública deste ACES, Maria Manuela Vaz, que revelou ainda que não houve ali óbitos a registar na sequência desta doença e que houve dois internamentos a registar, um deles em cuidados intensivos e que já passou para a enfermaria e um outro doente que já teve alta médica.

Há já 169 casos de infeção registados no período pós-confinamento, mais 20 do que os reportados na fase inicial de contenção da doença.

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta dois casos positivos, tendo os dois cidadãos já recuperado da doença. O relatório da DGS soma mais três casos mas são relativos a pessoas que não residem no concelho e que não atualizaram a sua residência fiscal. Gavião continua sem registar casos de covid-19.

Na Lezíria do Tejo, a Chamusca mantém um registo acumulado de nove doentes, entre os quais um óbito a lamentar. A Golegã tem três casos confirmados. No total, a região da Lezíria soma 23 óbitos, dos quais 11 em Santarém. A Lezíria do Tejo apresenta hoje um total acumulado de 596 doentes, dos quais 216 casos no concelho de Santarém, segundo dados da Rede Regional.

O distrito de Santarém soma, assim, 907 casos (594 na Lezíria do Tejo e 311 no ACES Médio Tejo), e um total de 38 óbitos (23 na Lezíria e 15 no ACES Médio Tejo).  A Lezíria do Tejo apresenta um total de 467 doentes recuperados e o ACES Médio Tejo tem 184, o que dá um total de 651 pessoas recuperadas do vírus.

Portugal com 161 surtos ativos, maioria em Lisboa e Vale do Tejo

Portugal tem 161 surtos de covid ativos, dos quais 107 na região de Lisboa e Vale do Tejo, tendo o risco de transmissibilidade (RT) subido na última semana para um, disse hoje a ministra da Saúde, Marta Temido.

“Estão 27 surtos ativos no norte, 10 no centro, 107 na região Lisboa e Vale do Tejo, um número compatível com o que é a incidência da doença, cinco no Alentejo e 12 no Algarve”, afirmou a ministra, durante a habitual conferência de imprensa de atualização de informações sobre a covid-19.

PUB

A situação epidemiológica do país, adiantou, “permanece marcada pela força do impacto dos números da região de Lisboa e Vale do Tejo, concretamente na zona norte da área metropolitana de Lisboa e em 19 freguesias”, onde se registam mais casos de infetados com o novo coronavírus.

Tendo por base a análise da taxa de incidência dos últimos 14 dias, Marta Temido considerou que “essa evolução mostra uma certa constância, com uma ligeira redução em alguns concelhos e freguesias ou pelo menos com alguma alteração nessa mesma incidência”.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, o risco de transmissibilidade (RT), o número médio de casos secundários resultantes de uma pessoa infetada, “subiu ligeiramente”, no período entre 03 e 07 de julho, situando-se em um.

O mais elevado RT concentra-se na região norte (1,12), seguida pela região centro (1,06), pela região de Lisboa e Vale do Tejo (0,98), Alentejo (0,95) e Algarve, cujo risco de contágio se situa em 0,81.

“Este valor nacional (um) indica, mais uma vez, que o número de novos casos a cada geração é aproximadamente constante o que mostra a necessidade de continuar a trabalhar”, frisou a ministra.

Marta Temido revelou ainda que os boletins epidemiológicos da Direção Geral da Saúde (DGS) sobre a covid-19 vão ser corrigidos com a inclusão de 207 notificações laboratoriais detetadas a 02 de julho e reportadas no boletim do dia seguinte.

“Após a análise dos dados da passada sexta-feira, verificou-se que a data mais antiga de resultados dos testes remontava a 29 de junho, pelo que se procederá à atualização de todos os boletins da DGS publicados desde 30 de junho, sendo emitida também uma nota explicativa”, disse a ministra.

Serão igualmente distribuídos os dados por grupo etário, que têm estado omissos do boletim nos últimos dias. Também a distribuição de casos de covid-19 por concelho será regularizada no boletim de 14 de julho.

No final das declarações iniciais, Marta Temido frisou que está em desenvolvimento um conjunto de ações para que se consiga um melhor conhecimento da doença, destacando “a preparação, pelas autoridades de saúde, de uma aplicação informática de notificação da exposição individual a fatores de contágio, que será uma ferramenta complementar” e a elaboração ainda este mês de um estudo com um caso-controlo focado na identificação dos fatores de risco de transmissão.

Portugal regista hoje mais duas mortes relacionadas com a covid-19, em relação a quinta-feira, e mais 402 casos de infeção, dos quais 342 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, o total de mortos desde o início da pandemia é agora de 1.646 e o total de casos confirmados é de 45.679.

c/LUSA

PUB

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here