- Publicidade -

Covid-19 | ACES Médio Tejo com 15 novos casos quer desconfinamento de forma a não deitar tudo por terra (C/ÁUDIO)

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo registou 15 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Os novos casos de infeção foram registados em Tomar (+5), Ourém (+4), Entroncamento (+3), Abrantes (+1), Alcanena (+1), e Torres Novas (+1). Portugal registou hoje 33 mortos relacionadas com a covid-19 e 1.071 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

- Publicidade -

Em declarações ao mediotejo.net, a delegada de Saúde Publica do ACES Médio Tejo, Maria dos Anjos Esperança, fez um ponto de situação do futuro expectável e da continuação do confinamento nos próximos 15 dias, tendo feito notar que o desafio pandémico continua, tendo em conta as novas variantes do vírus. Para o início do desconfinamento, a responsável defendeu a testagem e os estudos de imunidade nos locais mais frequentados pelas pessoas, nomeadamente na construção civil, em fábricas e escolas, uma posição em linha com a do epidemiologista Baltazar Nunes que considera que é importante começar a pensar no desconfinamento, defendendo, no entanto, que o mesmo deve ser feito de forma faseada e de modo “a não deitar por terra” todo o esforço feito até agora para evitar um aumento de casos de “um momento para o outro” difícil de controlar.

ÁUDIO: MARIA DOS ANJOS ESPERANÇA, COORDENADORA SAÚDE PUBLICA ACES:

- Publicidade -

 

Nos 11 municípios do ACES Médio Tejo há hoje um total acumulado de 12.588 infeções desde o início da pandemia (+15), sendo o concelho de Ourém o que regista maior número de casos, com 2986 infeções (+4), seguido de Tomar, com 2453 (+5), Torres Novas, com 1959 (+1), Abrantes, com 1489 (+1), Entroncamento, com 1070 (+3), Alcanena, com 1005 (+1), Ferreira do Zêzere, com 612 (-), Mação, com 427 (-), Vila Nova da Barquinha, com 258 (-), Sardoal, com 166 (-), e Constância, com 163 casos (-).

No ACES Médio Tejo estão hoje 178 pessoas em vigilância ativa (-10). Tomar tem 39 cidadãos nesta condição, seguido por Torres Novas (30), Ourém (21), Abrantes (17), Alcanena (15), Mação (15), Entroncamento (15), Sardoal (8), Constância (7), Vila Nova da Barquinha (6), e Ferreira do Zêzere (5).

O ACES Médio Tejo regista um total acumulado de 12.588 pessoas infetadas (+15), 11.332 recuperadas (-), 178 pessoas em vigilância ativa (-10) e 364 óbitos (-), e tem hoje todos os municípios em risco moderado.

Este ACES regista hoje um total de 364 mortes por covid-19 desde o início da pandemia. Ourém tem 81 óbitos, Abrantes 68, Torres Novas 59, Tomar 51, Alcanena 38, Entroncamento 20, Ferreira do Zêzere 16, Mação 15, Vila Nova da Barquinha 8, Sardoal 5, e Constância 3. Mais de 40 por cento das mortes em Portugal entre o fim de janeiro e o princípio de fevereiro foram atribuídas à covid-19, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. Só em janeiro, o ACES Médio Tejo teve 148 mortes por covid-19.

Sertã tem 667 casos e Vila de Rei 148 desde o início da pandemia

No ACES do Pinhal Interior Sul (PIS), o município da Sertã apresenta um total acumulado de 667 pessoas infetadas, das quais 645 recuperadas da doença (+7). A Sertã tem 13 casos ativos (-7) e 13 pessoas em vigilância ativa. Há registo de 9 óbitos na Sertã.

Vila de Rei, por sua vez, regista um total de 148 casos de infeção desde o início da pandemia, 9 dos quais ativos, e 130 pessoas recuperadas. Há 9 óbitos a registar, segundo os dados do ACES PIS. Vila de Rei tem 17 pessoas em vigilância.

Região do Médio Tejo com total de 13.403 casos e 382 óbitos nos 13 municípios

Com cerca de 250 mil habitantes, os 13 municípios do Médio Tejo somam 13.403 casos de infeção pelo novo coronavírus, das quais 12.588 no ACES Médio Tejo e 824 no ACES Pinhal Interior Sul (667 na Sertã e 148 em Vila de Rei). Há um total de 12.107 pessoas recuperadas (11.332 no ACES Médio Tejo, um total de 645 na Sertã e 130 em Vila de Rei (ACES PIS), a par de 382 óbitos (364 no ACES Médio Tejo e 18 no ACES PIS).

O ACES Médio Tejo abrange a área territorial de 11 municípios com cerca de 235 mil utentes, e abrange as unidades de saúde de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila nova da Barquinha, numa área territorial de 2.706,10 Km’s quadrados.

Os municípios da Sertã e Vila de Rei fazem parte do Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo na divisão político-administrativa mas em termos de Saúde estão ligados ao ACES do Pinhal Interior Sul (PIS) que abrange ainda os concelhos de Proença-a-Nova e Oleiros, num total de cerca de 30 mil utentes.

Ponte de Sor com 806 casos (-) e Gavião com 193 (-) casos acumulados

No Alto Alentejo, Ponte de Sor apresenta hoje um total acumulado de 806 casos positivos desde o início da pandemia (-), dos quais 765 estão recuperados (-) e 8 estão ativos (-). Há 33 óbitos a lamentar no concelho.

Gavião, por sua vez, apresenta hoje um total acumulado de 193 casos (-) de covid-19, dos quais 183 pessoas estão dadas como recuperadas da doença (-). Há sete óbitos (-) a lamentar e 3 casos ativos no concelho (-), segundo informação da autarquia.

Lezíria com 14.408 casos e 448 óbitos desde o início da pandemia

A Lezíria do Tejo apresenta um total de 14.408 casos de infeção por SARS-CoV-2, dos quais 4.331 casos no concelho de Santarém. A Chamusca tem um total de 467 casos confirmados e 17 óbitos, e a Golegã tem 244 infeções e 10 óbitos.

A região da Lezíria acumula 448 óbitos, 147 dos quais em Santarém, e 13.334 pessoas recuperadas da doença.

Distrito de Santarém com total de 26.996 casos e 806 óbitos

O distrito de Santarém soma um total acumulado de 26.996 casos confirmados de doença (14.408 na Lezíria do Tejo e 12.588 no ACES Médio Tejo), e um total de 806 óbitos (448 na Lezíria e 364 no ACES Médio Tejo).  A Lezíria apresenta um total de 13.334 recuperados e o ACES Médio Tejo 11.332, o que dá um total de 24.666 pessoas recuperadas da doença.

Portugal com 33 mortes e 1.071 casos de infeção nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje 33 mortos relacionadas com a covid-19 e 1.071 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de mortos hoje registado é o mais baixo desde 29 de outubro do ano passado, quando também morreram 33 pessoas.

O boletim epidemiológico da DGS revela também que estão internados 2.180 doentes (menos 224 do que na sexta-feira), dos quais 492 em cuidados intensivos, menos 30. Os internamentos em cuidados Intensivos registam hoje o valor mais baixo desde 02 de janeiro, quando também estavam nestas unidades 492 pessoas, enquanto os doentes internados nos hospitais situa-se hoje no número mais baixo desde 01 de novembro.

Os dados divulgados hoje indicam ainda que 2.820 pessoas foram dadas como recuperadas, fazendo subir para 717.313 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020. Há 27 dias consecutivos que o número de recuperados supera o de novas infeções. Os casos ativos em Portugal continuam a registar uma diminuição, com 70.255 casos ativos hoje, menos 1.782.

Desde março de 2020, Portugal já registou 16.276 mortes associadas à covid-19 e 803.844 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2. As autoridades de saúde têm em vigilância 48.490 contactos, menos 4.676 relativamente ao dia anterior, mantendo-se a tendência decrescente desde o dia 30 de janeiro.

De acordo com os últimos dados da Direção-Geral da Saúde, Portugal tem atualmente 837.887 pessoas vacinadas: 574.062 com a primeira dose e 263.825 com a segunda dose.

Das 33 mortes registadas nas últimas 24 horas, 19 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, cinco na região Centro, quatro na região Norte, três no Alentejo e duas no Algarve.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas mais 536 novas infeções, contabilizando-se até agora 304.277 casos e 6.805 mortes. Segundo o boletim, a região de Lisboa e Vale do Tejo tem cerca de metade do total de casos registados nas últimas 24 horas e 41% do total de mortes.

c/LUSA

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).