Sexta-feira, Fevereiro 26, 2021
- Publicidade -

Covid-19 | Abrantes e Constância são os únicos concelhos da região a descer dois níveis de risco (c/ÁUDIO)

Na região do Médio Tejo há dois municípios a cair dois níveis e que saem da classificação de ‘risco muito elevado’, passando a “moderado” em apenas 14 dias, sendo eles Abrantes e Constância. Ourém desce um escalão, de nível ‘muito elevado’ para ‘elevado’, e Alcanena também desce um nível, de “risco extremo” para “muito elevado”.

- Publicidade -

O mediotejo.net falou com os presidentes dos municípios de Abrantes e de Constância para perceber a importância desta reclassificação no mapa de risco nacional e das medidas que estiveram por detrás destes resultados que indicam um grau de perigosidade menor para a sociedade de propagação do vírus SARS-CoV-2, como possibilitam um aliviar das medidas restritivas ao setor do comércio e da restauração no período de 14 dias que começa às 00:00 de quarta-feira, dia 9 de dezembro.

Tanto Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes, como Sérgio Oliveira, presidente da Câmara de Constância, manifestaram a sua satisfação pela reclassificação e destacaram a importância da mesma, sendo cautelosos na abordagem a resultados que não são definitivos e podem mudar na próxima avaliação, apelando a que a população mantenha os comportamentos de prevenção de propagação do novo coronavírus.

- Publicidade -

Manuel Jorge Valamatos, presidente da CM Abrantes. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | MANUEL JORGE VALAMATOS, PRESIDENTE CM ABRANTES

Com esta diminuição do nível de risco, a partir de quarta-feira deixará de vigorar a proibição de circulação na via pública nos próximos fins-de-semana (12-13 e 19-20 de dezembro), como tem vigorado até ao presente fim de semana.

Relativamente à restauração, o encerramento ao público passa a ser realizado até às 00h00, com lotação limitada a 50% da capacidade e a grupos limitados a 5 pessoas, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar, ou 4 pessoas nos estabelecimentos até 300 metros de uma escola, com marcação prévia obrigatória. Os restantes estabelecimentos comerciais terão horário de encerramento até às 23:00.

Sérgio Oliveira, Presidente da CM Constância. Foto: DR

ÁUDIO | SÉRGIO OLIVEIRA, PRESIDENTE CM CONSTÂNCIA

O Governo divulgou no sábado que há 27 concelhos de risco muito elevado ou elevado que, devido a uma “evolução francamente positiva na última quinzena”, passam para moderado (caso de Barquinha, que desce de ‘elevado para moderado’, enquanto outros 12 saem do nível extremamente elevado (caso de Alcanena) e dois saem do nível muito elevado, sendo estes últimos Abrantes e Constância, que passam a nível moderado.

Segundo o novo mapa de risco de transmissão divulgado pelo Governo, com informação atualizada em 02 de dezembro, a lista de municípios no nível extremamente elevado é reduzida, em relação a 19 de novembro, de 47 para 35, enquanto a do nível muito elevado passa de 80 para 78.

Os municípios de nível elevado passam de 86 para 92 (caso de Mação e Ourém) e os de nível moderado aumentam de 65 para 73 (caso de Abrantes e Constância). Alcanena, que desceu do nível ‘extremamente elevado’ para ‘muito elevado’ ocupa o patamar mais alto do nível de risco no Médio Tejo, a par de Sardoal, que sobe de ‘risco elevado’ para muito elevado’, os únicos com mais de 480 casos por cada 100 mil habitantes.

Logo a seguir, num grupo classificado como de “risco elevado” figuram Entroncamento, Mação, Tomar, Torres Novas, e Ourém, com mais de 240 casos (mas abaixo dos 480) por cada 100 mil habitantes.

Abaixo da “linha vermelha” traçada nos 240 casos por cada 100 mil habitantes estão agora quatro concelhos do ACES Médio Tejo: Abrantes, Constância, Vila Nova da Barquinha e Ferreira do Zêzere, a que se juntam Sertã e Vila de Rei, já no ACES Pinhal Interior Sul, mas que integram também a região administrativa do Médio Tejo.

Em novembro, o executivo tinha já dividido os 278 municípios do continente em quatro grupos, consoante o nível de risco de transmissão: moderado, elevado, muito elevado e extremamente elevado.

São considerados concelhos em risco extremamente elevado aqueles que apresentem nos 15 dias anteriores mais de 960 casos de infeções por 100 mil habitantes. Os concelhos são classificados como de risco muito elevado se tiverem tido nos 15 dias anteriores entre 480 e 960 casos e de risco elevado se registarem mais de 240 e até 480 casos.

O mapa do risco de transmissão pode ser consultado em www.covid19estamoson.gov.pt.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).