Sexta-feira, Fevereiro 26, 2021
- Publicidade -

Constância | Festival “Poesia e Música à Mesa” une gastronomia e cultura nas ementas

“Por favor, quero uma dose de peixe do rio acompanhada de poesia e música, pode ser?”. Esta será a conversa nas mesas dos nove restaurantes do concelho de Constância que aderiram à “Poesia e Música à Mesa”. Uma iniciativa inovadora apresentada no Centro Náutico de Constância que, entre os meses de abril e setembro, une gastronomia e cultura nas ementas.

- Publicidade -

As sugestões de nove chefs serão saboreadas nos próximos seis meses ao som de declamações de poetas mais prováveis pela sua ligação à Vila Poema, como Camões ou Alexandre O’Neill, e outros improváveis, que serão revelados ao longo das refeições. Este é apenas o primeiro acompanhamento. O segundo são as atuações musicais em simultâneo que vão do piano à guitarra, passando por outros instrumentos.

Os apreciadores de gastronomia local e cultura podem fazer as suas reservas para dois almoços este mês de abril e sete jantares entre maio e setembro. Nove “tertúlias”, segundo a designação atribuída por Júlia Amorim, presidente da autarquia, durante a apresentação em que esteve ladeada pelo vereador Daniel Martins, a responsável pela Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill, Anabela Cardoso, e a responsável pelo Posto de Turismo, Isabel Magano.

- Publicidade -

A apresentação começou com declamações dos alunos do Agrupamento de Escolas. Fotos: mediotejo.net

Júlia Amorim destacou a importância do trabalho conjunto entre as entidades públicas e privadas na promoção de um “produto turístico” que, em declarações ao mediotejo.net, além de valorizar os poetas de Constância aposta noutros e recorre às “caraterísticas da própria vila” para fomentar “o gosto pela cultura”. Uma “marca” que permite diferenciar o concelho junto de “de quem cá vive e quem nos visita”, cuja riqueza está na cultura e não nos custos envolvidos, e motiva os restaurantes locais.

A estreia da iniciativa que alimenta corpo e mente ao longo de cerca de duas horas está marcada para o dia 8 de abril no Restaurante “Leopoldina” (Constância) com a declamação de Vítor de Sousa e o safoxone do maestro José Miguel Rodrigues. A 29 de abril, também um sábado, o Restaurante “Os Lusíadas” recebe a sessão com Raúl Caldeira, declamador da Chamusca, e a percussão e flauta dos Tintinnabvlvm.

Júlia Amorim destacou o trabalho conjunto de entidades públicas e privadas para promoverem o concelho. Fotos: mediotejo.net

A primeira sexta-feira de maio, dia 5, leva a poesia pela voz de Telmo Mendes e o piano de João Madeira ao Restaurante “O Brigadeiro” (Malpique, Santa Margarida da Coutada). Em junho, o Restaurante D. José Pinhão (Constância) prepara-se para receber José Fanha acompanhado pela guitarra de Custódio Castelo, no dia 3, e o Restaurante “Central Park” (Vale de Mestre, Santa Margarida da Coutada) põe a mesa a 24 para um momento com Ana Maria Dias e o grupo Wake Up Mary (percussão, guitarra e voz).

As tertúlias gastronómicas dos três meses seguintes realizam-se sempre à sexta-feira em restaurantes da freguesia de Constância e têm início no Restaurante “Os Arcos”, a 7 de julho, com o Grupo Diálogos, dupla abrantina ligada à poesia e aos contos. No mês de agosto, a 11, os poemas são entregues a Fred (Frédéric da Cruz P.), diretor artístico da Leirena Teatro – Companhia de Teatro de Leiria e a música, e a um duo de flauta e guitarra.

A gastronomia esteve presente com os alunos do curso técnico profissional ligado à restauração. Fotos: mediotejo.net

A primeira sessão de setembro realiza-se no dia 1, data em que as propostas do Restaurante “Pézinhos no Rio” incluem as declamações de Carlos Carvalheiro, diretor do grupo de teatro Fatias de Cá, e o dueto musical Ana e David que junta a voz, bandolim e guitarra de Ana Isabel Alves ao piano de David Coelho.

A última oportunidade para saborear pratos típicos, poesia e música em conjunto surge no dia 22 no Restaurante “Nateiro” com Ana Malheiro, uma das orientadoras do projeto “Tomem Lá do Camões”, acompanhada pela guitarra do filho Guilherme Malheiro.

As “entradas” da iniciativa foram servidas pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Constância ao nível da gastronomia e da cultura, que marcaram presença no Centro Náutico com pratos típicos e declamações de poemas camonianos.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).