Constância: Questão dos cheiros no Centro Escolar de Sta. Margarida está controlada

Reunião de Câmara de Constância do dia 5 de maio de 2016 onde se falou da situação dos cheiros no Centro Escolar de Santa Margarida (Foto: mediotejo.net)

O relatório do ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade, entidade que realiza inspeções técnicas, ensaios e análises a quem a autarquia de Constância solicitou uma análise ao ar do Centro Escolar de Santa Margarida, a propósito dos “cheiros estranhos” que surgiram no início do passado mês de março, foi inconclusivo no que toca à origem exata dos cheiros, deixando apenas algumas recomendações de arejamento do espaço.

PUB

O arejamento do edifício, o acondicionamento de alguns materiais, como plasticinas, na sala de ATL, a substituição de cifões e a limpeza do esgoto foram algumas das recomendações deixadas pelo ISQ no relatório de análise ao ar do Centro Escolar de Sta. Margarida.

Durante a última reunião do executivo camarário, que se realizou esta quinta-feira, dia 5 de maio, Júlia Amorim, presidente da Câmara de Constância, quando questionada sobre o ponto de situação deste assunto por Isabel Costa, vereadora do PS, esclareceu que “algumas medidas já foram tomadas, até antes mesmo de vir o relatório que tinha a ver com a questão dos esgotos”.

PUB

Na ocasião, Jorge Heitor, engenheiro responsável pelas obras municipais, esclareceu que “foi substituído um tubo do esgoto e dois cifões que não estavam em devidas condições”.

Júlia Amorim referiu que as questões do arejamento estão a ser feitas, “com abertura das janelas antes e depois das aulas” e avançou que “vamos, no período das férias escolares, colocar duas janelas no corredor para facilitar o arejamento”, salientando que “esta é uma medida adicional que não estava nas recomendações”.

PUB

“As salas de ATL estão a seguir recomendações de acondicionamento dos materiais e estamos a continuar a acompanhar o assunto”, referiu a autarca.

“A pedido da associação de pais, esta quarta-feira, dia 4 de maio, realizámos uma reunião com 16 encarregados de educação, numa escola que tem 106 alunos, com a presença de Delegado de Saúde e técnico de Saúde Ambiental”, referiu Júlia Amorim acrescentando que “esta reunião serviu para esclarecer as coisas e matar o mal pela raiz no sentido de dizer às pessoas que têm de ter confiança nos órgãos autárquicos e nas autoridades de saúde”.

A autarca de Constância informou ainda que “agora vamos fazer monitorização através do ISQ para continuar a avaliar a situação”.

Jorge Heitor salientou ainda que “tivemos também trabalhadoras da autarquia que num fim-de-semana fizeram uma limpeza aprofundada de paredes, pavimentos e tetos, para despistar potencialmente algumas bactérias ou fungos também poderem estar envolvidas, o que não se veio a verificar no ensaio do ISQ”.

A vereadora Isabel Costa (PS) questionou os presentes sobre como estava o cheiro no dia da reunião com os encarregados de educação ao que Júlia Amorim, vereador Daniel Martins e Jorge Heitor responderam que “não se sentiu qualquer tipo de cheiro”.

Recorde-se que os técnicos de saúde pública acompanharam desde o início esta situação e a autarquia tomou diversas medidas para tentar “despistar uma série de situações e não se detetou nada”.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here