Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Pôr-do-sol com poesia no terraço da Casa-Memória de Camões

A Associação Casa-Memória de Camões vai realizar, na tarde de sábado, 14 de setembro, um encontro de poetas, leitores e amantes de poesia, a ter lugar no terraço da Casa-Memória pelas 17h00. Na mesma ocasião será apresentado o número 6 da revista NERVO – coletivo de poesia.

- Publicidade -

Segundo António Matias Coelho, presidente da Associação Casa-Memória de Camões, esta iniciativa pretende “promover a conversa em torno da poesia nas suas diferentes dimensões – a escrita, a leitura, a tradução, as artes plásticas -, em diálogo com a palavra, a conceção de uma revista e o design editorial, pela voz dos poetas, leitores, tradutores e artistas”.

O terraço com privilegiada vista para o Tejo será palco desta tarde poética, onde os presentes poderão apreciar o pôr-do-sol ao fim de um dia de verão, bebendo um refresco e convivendo.

- Publicidade -

Quanto ao Encontro de NERVO(s), servirá a apresentação da revista número 6, com participação de 14 poetas, sendo eles Carlos Poças Falcão, Cláudia Capela, Elsa Alves, Jorge Fazenda Lourenço, Jorge Vicente, José Emílio-Nelson, Josep M. Rodriguez (Espanha, traduzido por André Domingues), Luís Quintais, Marta Chaves, MordechaI Geldman (Israel, traduzido por João Paulo Esteves da Silva), Pedro Ludgero, Renata Correia Botelho, Sandra Costa e Teresa M. G. Jardim.

Esta edição conta ainda com ilustrações e capa do artista plástico Tim Madeira. O design editorial é da responsabilidade de Sylvie Lopes.

A revista NERVO / 6 pode ser encomendada pelo email nervo.colectivodepoesia@gmail.com ou ser adquirida em vários pontos de venda no país.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome