Constância | População queixa-se da falta de enfermeiros em Santa Margarida

Foto: DR

A população da freguesia de Santa Margarida da Coutada tem estado em alvoroço pela ausência de serviços de enfermagem no Centro de Saúde local. O descontentamento chegou aos ouvidos de vereadores da CDU, que alertaram o executivo municipal para esta matéria. O socialista Sérgio Oliveira, presidente da CM Constância, referiu que, apesar de esta não ser uma competência municipal, a autarquia iria insistir junto do ACES Médio Tejo para que se encontre uma solução.

PUB

Sónia Varino, vereadora da CDU, recordou na passada reunião pública da Câmara Municipal, a ausência de enfermeira do Centro de Saúde de Santa Margarida, freguesia de Santa Margarida da Coutada, algo que a CDU já havia alertado no início do mês de novembro, também em reunião de Câmara.

A vereadora referiu ter ouvido queixas” pelo facto de a enfermeira daquele centro de saúde se encontrar de baixa, e aquilo que seria uma “situação temporária” está a preocupar os utentes uma vez que se tem prolongado e teme-se que a ausência de serviço de enfermagem se arraste por mais tempo.

PUB

“Sei que não é a Câmara Municipal que gere os serviços de saúde, no entanto acho que terá alguma responsabilidade, perante os munícipes, de exigir alguma qualidade nos serviços prestados”, disse.

Sérgio Oliveira (PS), presidente da Câmara Municipal, referiu que iria “insistir novamente com a direção do ACES Médio Tejo, com vista a tentar colocar, pelo menos, alguma enfermeira que esteja no Centro de Saúde em Constância a ir um ou dois dias por semana a Santa Margarida, para aliviar os efeitos da falta de enfermeiros na freguesia”.

PUB
Foto: mediotejo.net

Ainda assim o autarca não deixou de frisar que este assunto não é da competência da Câmara Municipal, mas pode sim “fazer ver às pessoas responsáveis que há um problema que tem que ser resolvido”.

Soube o mediotejo.net que alguns utentes se têm deslocado ao Centro de Saúde de Constância, mas muitos optam por não fazê-lo por dificuldades de mobilidade e/ou poucos rendimentos que dificultam o pagamento de transporte. Muitos idosos estão também a optar por não tomar a vacina da gripe ou a pedir para que esta seja administrada após compra na farmácia local.

A mesma fonte assegurou que a insegurança já é tal, dada a falta de recursos humanos flagrante (enfermeiros, assistentes técnicos e operacionais), que a população teme que o polo de Santa Margarida venha a perder-se, para além do descontentamento geral pela atual situação de ausência de serviços de enfermagem.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here