Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Constância | Órgãos autárquicos eleitos tomam posse e elencam prioridades do mandato (c/ÁUDIO)

Estabelecer pontes, falar verdade e construir uma relação de confiança entre eleitos e eleitores são o foco para o novo mandato que agora começa para os eleitos em Constância. Na instalação dos órgãos autárquicos constancienses para o quadriénio 2021-2025, o presidente da Câmara Municipal reeleito, Sérgio Oliveira (PS), admitiu que é tempo de “deixar para trás as feridas” e continuar em frente num caminho “sempre presente na vida de todos”. No seu discurso, o autarca deixou ainda em cima da mesa as linhas de ação para os próximos quatro anos, de onde sobressai a luta por uma nova travessia sobre o rio Tejo, a captação de população e empresas, a regeneração urbana e a afirmação turística.

- Publicidade -

“Afirmo solenemente por minha honra que cumprirei com lealdade as funções que me são confiadas” foi o juramento que se fez ouvir este sábado, 9 de outubro, por parte dos eleitos para a Câmara Municipal e para a Assembleia Municipal de Constância, numa cerimónia de instalação dos órgãos autárquicos que aconteceu no Largo Cabral Moncada, no centro histórico da vila poema.

- Publicidade -

Com um executivo camarário renovado, onde a única figura que se mantém comparativamente a 2017 é o presidente de Câmara, Sérgio Oliveira, o Partido Socialista viu reforçada a sua maioria neste órgão com a eleição de mais um vereador, mas o autarca sublinha que “ter maioria, não foi, nem é para nós sinónimo de poder absoluto”.

“A nossa ação será guiada no sentido de ouvirmos todos, com respeito, com dignidade e estabelecer pontes quando as mesmas sejam possíveis”, afirmou, defendendo que só “falando verdade às pessoas” e “com a criação de uma relação de confiança entre eleitos e eleitores se dignifica a democracia, a política e se credibilizam as Instituições”.

“Fui, sou e serei o presidente de Câmara de todos, estou neste lugar para servir todos, em conjunto com a equipa que me acompanha. Continuarei a ser um presidente próximo das populações, quero continuar a estar sempre presente na casa de cada um e de cada uma de vós, sempre presente na vida de todos”, acrescentou Sérgio Oliveira.

Não escondendo “a enorme honra” em assumir novamente a presidência da Câmara Municipal, o autarca deixou claro que “é hora de deixar para trás as feridas, sará-las e esquecê-las” e seguiu em frente colocando em cima da mesa os temas e questões pelas quais se debaterá nos próximos quatro anos.

DO INVESTIMENTO AO TURISMO, DA POPULAÇÃO À EDUCAÇÃO, DA SAÚDE AO AMBIENTE, O CAMINHO DE UMA GESTÃO “PRÓXIMA, FLEXÍVEL E INCLUSIVA” A SEGUIR ATÉ 2025

De forma subtil, as linhas de ação para o próximo quadriénio começaram por ser elencadas através do anúncio do início da requalificação da Rua Moinho de Vento nos próximos dias. A esta intervenção vão juntar-se nos próximos meses os acessos ao Centro Escolar de Montalvo e a requalificação da Avenida das Forças Armadas.

A ampliação da Zona Industrial de Montalvo “a curto/médio prazo”, o segundo pedido para classificação das águas do rio Zêzere para a conclusão do projeto de execução com vista a uma praia fluvial e a conclusão do projeto do novo Museu dos Rios e das Artes Marítimas foram os primeiros projetos referidos pelo presidente do Município como essenciais para os próximos anos.

Mas é sobejamente ouvida e reconhecida a necessidade de fixar população e a mesma não ficou de fora do discurso. “A perda de população nos nossos territórios só é reversível com medidas de âmbito nacional, que passem pelo um forte apoio à natalidade e pela deslocalização de grandes investimentos privados para estas regiões, criando emprego e permitindo a fixação de pessoas”. Não obstante, o edil recordou as medidas locais lançadas, sobretudo em Santa Margarida da Coutada, anunciando a intenção de concluir a urbanização municipal na Aldeia de Santa Margarida, criando 40 lotes para habitação e “colocando os mesmos à venda pelo preço simbólico de 5€”. “Não fechamos a porta à criação de uma ARU em Santa Margarida da Coutada”, referiu ainda.

E já que estamos do lado sul do concelho, salta à vista uma região que vive “atrofiada pela falta de uma travessia sobre o rio tejo que sirva as populações, as empresas e as instituições” e pela qual se espera há 30 anos. Sobre esta questão, a promessa é a de “continuar em conjunto com a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo a insistir junto da Administração Central para a resolução deste problema que se arrasta há demasiado tempo”.

Mas é também preciso olhar para o centro da vila, nomeadamente, o centro histórico, que se quer “mais dinâmico, com mais comércio e com mais serviços”. A par desta dinâmica que importa criar, está a afirmação do concelho como destino turístico, o que “passa obrigatoriamente pela valorização e divulgação do nosso património histórico e cultural, desde logo pela reafirmação da nossa ligação a Camões”. Assumindo continuar a dar “os passos necessários para a abertura da Casa Memória ao público”, Sérgio Oliveira exalta ainda a intenção de afirmar o concelho como “a capital do Desporto Aventura”, com foco na canoagem.

Na educação, a prioridade será a de afirmar uma escola pública “de qualidade e atrativa”, enquanto na saúde a ação terá que ver com os cuidados primários de saúde. “As populações têm o direito de ser servidas por serviços de saúde de qualidade. Continuaremos em articulação com o ACES Médio Tejo e com a ARSLVT a procurar a melhoria continua destes serviços”, disse o presidente do Município.

Da saúde para o ambiente, as preocupações ambientais serão refletidas através da substituição da iluminação pública por tecnologia led e de um projeto de eficiência energética na piscina. Ainda nesta área, a proposta é a de “procurar fundos comunitários para a requalificação das estações elevatórias, bem como para a redução das perdas de água que ainda se verificam”.

No discurso do reeleito presidente de Câmara, Sérgio Oliveira deixou ainda a porta aberta ao reforço financeiro das Juntas de Freguesia no âmbito dos acordos de execução num “reconhecimento pelo esforço, pelo empenho e pela dedicação num trabalho difícil e muitas vezes com fracos recursos”, referindo ainda a continuidade dos apoios a associações e coletividades do concelho.

ÁUDIO | Discurso do presidente da Câmara de Constância, Sérgio Oliveira

Já a nível financeiro, a ação guiar-se-á de modo a “não comprometer a saúde financeira da Câmara Municipal”, tendo o edil sublinhando que nos últimos quatro anos o endividamento da Câmara baixou mais de um milhão de euros. “Temos neste momento o valor da dívida mais baixo dos últimos 20 anos”, disse, defendendo que “não temos a visão que para tudo o que seja investimento público temos que recorrer ao crédito, esta velha visão esta ultrapassada, gasta e deu mau resultado. Tem que existir um esforço dentro daquilo que são as receitas municipais para gerar poupanças que permitam investir. Devemos ir à banca apenas em situações excecionais e para investimentos estruturantes. (…) Os investimentos têm que ser cada vez mais pensados como uma mais-valia para o concelho e para as populações. Não se pode fazer obras só por fazer, sem pensar na sua utilidade e uso para as populações, porque a médio prazo estas decisões saem caras a todos os contribuintes”.

ANTÓNIO MENDES REELEITO PARA LIDERAR ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Reconduzido como presidente da mesa da Assembleia Municipal, António Mendes (PS) discursou expressando gratidão pela “renovada confiança” em si depositada pelos eleitores. “Cargo que espero continuar a desempenhar de forma independente, rigorosa e justa, garantindo que as decisões democraticamente tomadas sejam aquelas que mais se ajustem às expectativas e necessidades das populações que representamos”, disse.

Assumindo que este é o momento “para o arranque de mais um ciclo”, o autarca citou Miguel Torga para exprimir o lema que irá assumir durante este mandato: “Não te leves a sério, mas leva a sério tudo aquilo que fazes”.

António Mendes (PS), reeleito presidente da Assembleia Municipal de Constância para o mandato 2021-2025. Imagem: mediotejo.net

ÁUDIO | Discurso do presidente da Assembleia Municipal, António Mendes

Já a líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, Isabel Farinha Costa, usou da palavra para realçar o trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos como demonstradores “que os eleitores do concelho de Constância fazem uma avaliação muito positiva do trabalho realizado pelos eleitos do PS”.

Realçando a “determinação e capacidade de resposta demonstrada pelo presidente Sérgio Oliveira”, nomeadamente aquando da situação pandémica delicada que o concelho atravessou, a líder da bancada do PS destacou a “maturidade e coragem” demonstrada pelo presidente de Câmara “quando tomou a decisão de renovar a sua equipa do executivo municipal. É preciso coragem para tomar decisões difíceis e é preciso coragem para fazer as ruturas quando são necessárias. Continue, senhor presidente, acho que está no bom caminho”, disse.

Isabel Farinha Costa, líder da bancada do PS na Assembleia Municipal de Constância. Imagem: mediotejo.net

Elencando também a responsabilidade conferida no processo de transferência de competências e a necessidade de criar condições para fixar população, Isabel Costa deixou ainda um apelo para a mobilização para a causa pública e participação na vida da comunidade.

ÁUDIO | Líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, Isabel Farinha Costa

 

CDU GARANTE POSTURA “RESPONSÁVEL, EMPENHADA, COLABORANTE, MAS NÃO PERMISSIVA”

“Seremos coerentes e intransigentes na defesa dos nossos ideais, frontais para com os nossos interlocutores e adversários e cordiais no trato”. É deste modo que a CDU se apresenta nos órgãos autárquicos para os próximos quatro anos.

Admitindo uma postura “responsável, empenhada, colaborante mas não permissiva”, a líder da bancada, Júlia Amorim, expõe que a expectativa é a de que “o funcionamento deste órgão [referindo-se à Assembleia Municipal] privilegie o debate aberto e a tomada de posições sobre temas locais e nacionais que tenham impacto na vida dos cidadãos do concelho”.

Num discurso em que vincou o planeamento, o rigor da gestão e a “procura incansável de oportunidades de investimento” como prioridades diárias, Júlia Amorim sublinhou os anos decisivos que se seguem para o concelho, nomeadamente com a chegada ao país com os fundos da União Europeia ( cerca de 16,6 mil milhões  do Plano de Recuperação e Resiliência e 29,8 mil milhões no âmbito do Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027).

Júlia Amorim, líder da bancada da CDU na Assembleia Municipal de Constância. Imagem: mediotejo.net

Defendendo um mandato que paute por “uma gestão ambiciosa na concretização dos cinco eixos do Plano Estratégico de Constância 2020, ainda em vigor e a saber: um concelho solidário, competitivo, atrativo, moderno e integrado”, a CDU admite trabalhar na defesa da qualidade dos serviços públicos, do carácter público municipal da gestão da água e saneamento, dos espaços verdes, da limpeza urbana, do direito à prestação de cuidados de saúde, do acesso à educação, à cultura, e à prática desportiva, bem como na preservação do meio ambiente e valorização do património natural, edificado e imaterial, e na luta pela abolição das portagens da A23 e da valorização dos trabalhadores da autarquia.

ÁUDIO | Líder da bancada da CDU na Assembleia Municipal, Júlia Amorim

“Exerceremos as competências que nos estão atribuídas, de forma responsável, atenta e exigente, nomeadamente na fiscalização da gestão autárquica, procurando assim contribuir para que a mesma se destaque pelo rigor, pela transparência, pelo estrito respeito da Lei e por escolhas que promovam o bem-estar das populações e um desenvolvimento harmonioso e sustentável do nosso concelho”, acrescentou Júlia Amorim.

ELEITOS PARA OS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS EM CONSTÂNCIA

Câmara Municipal:

Sérgio Oliveira (PS)
Maria Helena Roxo (PS)
Manuela Arsénio (CDU)
Pedro Pereira (PS)
Alexandre Marques (PS)

Assembleia Municipal:

António Luís Mendes (PS)
Júlia Amorim (CDU)
Isabel Costa (PS)
Natércio Candeias (PS)
Joaquim dos Santos (CDU)
Maria Teresa Gaspar (PS)
Carla Silvério (PS)
Carmen Silva (CDU)
Carlos Lopes (PS)
Filipa Amante Ferreira (PS)
Maria do Rosário Martins (CDU)
Vanessa Almeida (PS)
Luís Rodrigues (PS)
António Pereira (CDU)
Pedro Caxias (PS)

Junta de Freguesia de Constância – Paulo Freita (PS)
Junta de Freguesia de Montalvo – Ana Luísa Manique (PS)
Junta de Freguesia de Santa Margarida da Coutada – José Manuel Ricardo (PS)

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome