Constância | Município homenageou figuras que se destacaram pelo seu percurso ao serviço do concelho

José Pereira, dirigente associativo há mais de 40 anos em Montalvo, foi um dos homenageados pela autarquia de Constância. Foto: mediotejo.net

Em dia marcante para a história do concelho de Constância, o Município homenageou três figuras e empresas como “exemplo vivo do esforço, dedicação e do trabalho em prol do desenvolvimento do progresso do Concelho”, como sublinhou o presidente da Câmara, Sérgio Oliveira. Foi mais uma edição do evento “Gostar de Constância” que acontece todos os anos no dia 7 de dezembro, uma data simbólica para o concelho por ter sido nesse dia, em 1836, que a rainha D. Maria II, satisfazendo um pedido apresentado pela população local, mudou o nome da vila de Punhete, que tinha há séculos, para Notável Vila da Constância.

PUB

Este ano, e numa lógica de descentralização, o “Gostar de Constância” teve lugar na Casa do Povo de Montalvo, coletividade fundada em 1970. E foi numa sala cheia que foram homenageados Anabela Ferreira e João Paulo Morais, do salão de Cabeleireiros Contraste de Constância, José Pereira, dirigente associativo de Montalvo, e Cláudia e Rui Monteiro, proprietários do Central Park (Cafetaria, Restauração e Alojamento Local) em Santa Margarida da Coutada. Aliás, todos os anos, a iniciativa destaca figuras ou empresas de cada uma das três Freguesias do Concelho.

“As nossas populações são, sem dúvida, o nosso principal ativo”, disse o presidente da Câmara, que, num discurso mobilizador e encorajador, acrescentou: “Temos todos os motivos para gostar de Constância, gostar da nossa terra, gostar do nosso Concelho”.

PUB
A iniciativa “Gostar de Constância” encheu a Casa do Povo de Montalvo. Foto: mediotejo.net

Sérgio Oliveira aproveitou para fazer um balanço do mandato, que considerou positivo, elencando várias conquistas a nível económico, social e cultural.

Antes de cada entrevista aos homenageados, conduzidas por Helena Calhau, eram projetadas num ecrã algumas imagens que retratavam o percurso de cada um.

PUB
Anabela Ferreira e João Paulo Morais, do salão de Cabeleireiros Contraste de Constância. Foto: mediotejo.net

Os cabeleireiros Contraste, fundados há 20 anos por João Paulo Morais e Anabela Ferreira, casal que escolheu o concelho de Constância para aqui investir e viver, “prestando um serviço de qualidade”, como fez questão de realçar o presidente da autarquia.

Foi com a sua mãe, cabeleireira em Tomar, que João Paulo tomou o gosto pela atividade. “Eu costumo dizer que nasci no salão de cabeleireiro”, revela. Desde que começou a trabalhar, apostou na formação contínua, frequentando várias ações um pouco por todo o país e até no estrangeiro. E levou-o a ser convidado para dar formação e integrar júris de concursos como por exemplo para recordes do Guiness.

Conheceu a atual mulher numa das muitas ações de formação que frequentou, mas Anabela era de Lisboa e não foi fácil convencê-la a vir viver e trabalhar para Constância.

O casal mostra-se sempre disponível para participar nas atividades do concelho, como por exemplo nas Pomonas Camonianas. Aliás, foi numa dessas iniciativas que concretizou com Anabela o casamento Quinhentista, com um guião digno de um filme.

Para assinalar os 20 anos do salão Contraste, o casal organizou uma iniciativa que consistiu em oferecer penteados a pessoas portadoras de deficiência.

O homenageado seguinte foi José Pereira, dirigente associativo da Casa do Povo de Montalvo há cerca de quatro décadas. “Tem dedicado grande parte da sua vida em prol do movimento associativo, em prol do trabalho pelos outros”, frisou o presidente da Câmara na sua intervenção inicial.

TINTINNABVLVM. Foto: mediotejo.net

Ao longo da sua vida dedicada à coletividade, foi jogador de futebol, treinador, massagista, motorista, ator, coralista, entre outras atividades. Em Montalvo o que se diz é que “o Zé Pereira é o 112, o número nacional de socorro, ele vai a todas”, como o próprio confessou.

Integrou os órgãos diretivos da coletividade durante mais de 12 mandatos mas nunca quis ser presidente da Direção. E nos mandatos em que não era dirigente não deixava de colaborar e de participar nas iniciativas. Pelas fotografias que passaram no ecrã, vimos José Pereira como ponta de lança na equipa de futebol, em cima do palco a representar, a cantar com o Grupo de Cantares da Universidade Sénior, a divertir-se no corso de carnaval, a participar nas Marchas Populares, a treinar crianças e noutras atividades.

Esta entrega, que já se prolonga por 47 anos, levou a que fosse homenageado pela Direção da Casa do Povo nas comemorações dos 49 anos da instituição.

Chamado ao palco, o presidente da Casa do Povo, António Ramos, não poupou elogios a José Pereira: “ele é a base, é o ícone da Casa do Povo e do associativismo”.

Cláudia e Rui Monteiro, proprietários do Central Park. Foto: mediotejo.net

O último homenageado foi o casal Cláudia e Rui Monteiro, proprietários do Central Park (Cafetaria, Restauração e Alojamento Local) em Santa Margarida da Coutada, ao lado da sua habitação nas imediações do Parque Ambiental de Santa Margarida.

Para o presidente da Câmara, “o Central Park em Santa Margarida da Coutada veio revolucionar o que era aquela freguesia, assumindo-se hoje como um espaço de restauração de referência na nossa região e no nosso país”.

Ligado a Constância há 41 anos, Rui Monteiro começou a trabalhar na área da construção civil, mas como a sua mulher tinha muito gosto pela cozinha resolveram, há 18 anos, construir de raiz um café e restaurante.

E foi uma aposta ganha como o revelam as sucessivas ampliações do espaço que se mostrou sempre insuficiente para dar resposta à crescente procura de clientes que vêm de todo o país. O próximo passo é a construção de mais uma sala com capacidade para 80 pessoas.

Cláudia, que começou a trabalhar muito nova num café, num salão de cabeleireiro e no campo, acabou por descobrir na cozinha tradicional portuguesa a sua realização.

Os dois filhos do casal, Joana e David, também trabalham no café e restaurante, que garante um total de nove postos de trabalho. Está assim garantido a continuidade daquilo que começou por ser um pequeno café e padaria, cresceu para um restaurante cada vez maior, complementado recentemente com uma unidade de alojamento local. E os 3 mil m2 de terreno de que ainda dispõe a família estão destinados à expansão do negócio.

Intervalando as entrevistas aos homenageados, a quem a Câmara ofereceu um quadro a cada um, houve dois momentos musicais com os TINTINNABVLVM da CICO – Centro Internacional do Carrilhão e do Órgão, e com o Grupo de Cantares da Casa do Povo de Montalvo.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here