Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Sábado, Novembro 27, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Médio Tejo desafia empresas de animação turística a trocarem experiências

O auditório da Casa-Memória de Camões, em Constância, foi pequeno para acolher todos os interessados em participar no Workshop sobre Animação Turística no Médio Tejo realizado na sexta-feira, dia 29, com o objetivo de “refletir e debater o contexto do turismo no Médio Tejo, a estrutura da oferta de experiências e atividades de animação turística na região e ainda as oportunidades e desafios para a competitividade do destino turístico com a fileira regional do sector”.

- Publicidade -

A iniciativa foi a última de uma série de seis Laboratórios de empreendedorismo turístico – dedicados ao turismo náutico, turismo de bem-estar, enoturismo, turismo equestre, turismo industrial e turismo gastronómico -, que culminou na elaboração de um Manual de Empreendedorismo para as Atividades de Animação Turística.

Na sessão de abertura começou por intervir o anfitrião, António Matias Coelho, presidente da Casa-Memória de Camões que aproveitou a oportunidade para falar sobre a instituição a que preside, as atividades que desenvolve ali e no Jardim-Horto de Camões, bem como as dificuldades em manter e revitalizar uma casa que faz questão de dizer não ser de Constância mas sim do país.

- Publicidade -

A autarca de Tomar, Anabela Freitas, ali na dupla qualidade de presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e de Vogal da Comissão Executiva do Turismo do Centro, realçou a importância de se trabalhar em rede como forma de promoção dos produtos turísticos endógenos.

A comunicação e a qualidade destes produtos foram outros aspetos salientados pela autarca, que classificou como importante aquela jornada de trabalho sobretudo como troca de experiências.

Miguel Pombeiro, Anabela Freitas e Sérgio Oliveira. Foto: CM Constância

Miguel Pombeiro, Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, aproveitou o momento para fazer um balanço do trabalho desenvolvido pela CIMT no setor do turismo, destacando os concursos de ideias, os programas de empreendedorismo nas escolas, os laboratórios de empreendedorismo turístico, o programa StayOver e o projeto Castelo de Board, entre outros.

Na sua opinião, as três principais linhas de força no turismo como elemento central na nossa região, passam pela articulação entre os Municípios, coordenação entre os atores regionais e dinamização de parcerias.

A encerrar a sessão de abertura interveio o presidente da Câmara Municipal de Constância, que destacou as potencialidades do seu concelho e a importância do turismo na Vila-Poema. Um dos problemas que identificou nesta área foi o da sazonalidade dando o exemplo da presença de 700 a 800 pessoas em alguns fins de semana no verão, em contraponto com o que se passa na época baixa.

Nuno Lopes, da empresa IDTour foi o moderador do painel sobre “Empreender (+) em Animação Turística no Médio Tejo” que apresentou os quatro oradores, todos “vindos de fora”, para apresentarem as suas experiências e os seus conhecimentos na área da Animação Turística enquanto fator de atratividade.

António Marques Vidal, presidente da APECATE – Associação Portuguesa de Empresas de Congressos Animação Turística e Eventos, defendeu a importância do associativismo na animação turística. Para além de deixar o seu testemunho como empresário no sector, lançou desafios aos presentes para que se aprofunde o trabalho em rede. “Não há excesso de turistas. Tomáramos nós que viessem muitos mais”, afirmou.

António Matias Coelho, Presidente da Casa-Memória de Camões. Foto: mediotejo.net

Do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo da Universidade de Aveiro veio Rui Costa que caracterizou o subsistema da animação turística e a realidade na região do Médio Tejo. O setor é maioritariamente constituído (98,2%) por microempresas havendo 93 agentes a operar na nossa região, número que tem aumentado exponencialmente nos últimos anos.

Apresentou também uma perspetiva do turismo a nível nacional e qual o panorama no Médio Tejo, com enfoque nos produtos turísticos desta região em que Fátima (Santuário) e Tomar (Convento de Cristo) dominam.

De S. João da Madeira veio Alexandra Alves para falar da sua experiência na área do turismo industrial de que é exemplo a marca de lápis Viarco.

Empresários e técnicos trocaram experiências. Foto: CM Constância

A encerrar o painel, Miguel Mendes, do Turismo de Portugal, fez um retrato do turismo em Portugal e na região e deu a conhecer os apoios às entidades e empresas que se dediquem à animação turística no interior do País.

Revelou que na região do Médio Tejo existem cerca de 500 registos de alojamento local, 154 unidades de restauração e 43 agências de viagens.

Terminou explicando detalhadamente a estratégia do turismo até 2027 e os vários programas de apoio disponíveis, as condições de acesso e os critérios de seleção.

A iniciativa terminou com a apresentação do Manual do Empreendedorismo para as Atividades de Animação Turística, um manual digital, desenvolvido pela IDTOUR, que contém várias ferramentas de empreendedorismo aplicadas à animação turística e o contexto da região nessa área.

Este evento “Mais animação no Médio Tejo” encerrou o “moovOn – Laboratórios de Empreendedorismo Turístico do Médio Tejo”, desenvolvido no âmbito do projeto “Médio Tejo – Vive o Empreendedorismo”,  promovido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) em parceria com os Grupos de Ação Local (GAL) TAGUS,  ADIRN e PINHAL MAIOR, e  financiado pelo Programa Operacional Regional do Centro (Centro 2020), no eixo do SIAC – Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Promoção do Espírito Empresarial, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome