Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Leo Middea estreou palco do Cabral Moncada no arranque dos Caminhos da Água (C/VIDEO)

Foi com o artista brasileiro Leo Middea que arrancou a terceira edição do Caminhos da Água, na noite de 12 de julho. Leo estreou o palco do Largo Cabral Moncada, em Constância, um espaço requalificado na vila histórica e inaugurado a 31 de maio, com um concerto calmo mas absorvente.

- Publicidade -

A noite quente e agradável que se fazia sentir conjugou com o ritmo tropical, acompanhado de sotaque brasileiro, com que o artista presenteou os ouvintes. Sempre acompanhado da sua guitarra, Leo Middea cantou maioritariamente temas da sua autoria, não se negando, no entanto, a trazer um ou outro tema de nomes sonantes e seus conterrâneos, como foi o caso de um tema de Caetano Veloso.

O músico “acabou” o seu concerto com a canção “Meu Público”, do seu último disco, que retrata o início da sua vida musical, quando as dúvidas em seguir uma arriscada carreira eram muitas. Consonante com o título do tema, o artista revelou em entrevista que o público português, ao contrário por exemplo do brasileiro ou argentino, é mais atento e, “quando assiste a um cantor que não conhece, pára para para perceber o que é, escuta e fica atentos a essa nova descoberta”.

- Publicidade -

Contudo o público, como já é praxe, pediu por mais uma canção e o artista acedeu para, desta vez, cantar “Bairro da Graça” um tema que retrata a sua vida quando chegou a Portugal e foi viver para o Bairro dos Anjos, perto do Bairro da Graça, em Lisboa. No final do concerto, o artista interagiu com o público, deu autógrafos e vendeu alguns discos.

O músico confessou em entrevista que adorou o concerto, que “a energia deste lugar (Constância) é muito bonita, e o público estava super atento, interagindo, ouvindo, achei que havia uma resposta positiva do público quando eu tocava. O ambiente aqui é sensacional, adorei.”

Leo Middea é um jovem cantor e compositor brasileiro que, após ter passado pela Argentina, veio para Portugal mostrar o seu talento. Das suas músicas emergem temas como viagens, medos, paixões, sonhos e desgostos, enfim, o que define a experiência humana.

Este concerto insere-se no projeto Caminhos da Água, com mais eventos a decorrer tanto durante este fim de semana como no próximo, dias 19, 20 e 21 de julho, numa atuação que contou com a presença de Miguel Pombeiro, secretário executivo da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT).

O responsável revelou que, com este projeto, o que se pretende essencialmente é “estimular a itinerância artística, também pelo próprio território. Desta feita, neste ciclo houve um maior envolvimento dos municípios e portanto, nesse sentido, este é talvez um dos momentos diferenciadores num projeto que se pretende de continuidade e que marque a diferença pela sua qualidade”, destacou.

Hoje, dia 13 de julho, o Largo 1º de Dezembro, em Vila Nova da Barquinha, recebe às 18h00 o circo contemporâneo Cirque Rouages. Também hoje, a Mimo’s Dixie Band leva a mistura do seu estilo musical dixieland dos anos 20 com o gesto mímico, as artes circenses e a comédia até Dornes, Ferreira do Zêzere, às 14h30. Por seu lado, a Companhia Ome Dual leva o circo a descobrir até ao Jardim das Lagoas, em Alcanena, às 21h30. Meia hora mais tarde, o largo Cabral Moncada em Constância volta a receber um concerto, desta vez de Manel Cruz, ex-vocalista dos Ornatos Violeta.

O dia de domingo começa na Praia Fluvial Olhos d’Água, em Alcanena, às 10h00, com um cinema insuflável, com sessões de hora a hora até às 18h00. Os Avanti Display realizam as suas duas atuações neste dia, estando uma marcada para as 11h00 na Praia da Bairrada, Ferreira do Zêzere e outra no Largo 1º de Dezembro, em Vila Nova da Barquinha, às 21h00. O Circo Rouages volta a atuar, desta feita às 17h00, na zona ribeirinha de Constância.

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome