Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Agosto 3, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância: João Baião despede-se de Presidente da Junta em último convívio com os idosos (C/VÍDEO)

Há 20 anos a exercer o cargo de presidente da Junta de Freguesia de Constância, João Baião levou a efeito este fim de semana o XV almoço do Idoso, evento que juntou cerca de 150 pessoas da freguesia de Constância e onde o histórico autarca começou a preparar a sua saída da vida política por força da Lei de limitação de mandatos, com a qual não concorda.

- Publicidade -

“É verdade. O tempo passa a fugir e já lá vão 20 anos enquanto presidente da junta de freguesia de Constância, e este é o 15º almoço convívio com os idosos que organizamos e oferecemos a estes jovens da terceira idade, no âmbito de um convívio que entendemos importante e salutar, para os tirar de casa e para se encontrarem, conversarem e conviverem”, destacou.

Por outro lado, disse ao mediotejo.net, este ano “é o último” que exerce enquanto presidente de junta. “Infelizmente há uma Lei que nos obriga a isso, a cumprir só três mandatos. Apesar de eu ser contra e de ninguém ter perguntado se estávamos de acordo, temos de cumprir a Lei”, afirmou, tendo defendido que o seu sucessor (a) dê continuidade a este tipo de iniciativas que Baião promove em Constância e a que se juntam o Convívio Jovem e a oferta de cabazes aos mais desfavorecidos, por altura do Natal.

- Publicidade -

Sempre eleito representando a CDU, o atual presidente junta de freguesia de Constância, João Carlos Baião da Silva, 53 anos, está acompanhado neste mandato por Elisabete Marina Ganaipa Rita Mendes (secretária) e Nuno Vicente Longo Barreiro (tesoureiro).

Para conferir na entrevista/vídeo realizada no Centro Náutico de Constância este sábado, dia 22 de outubro de 2016.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome