Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Domingo, Setembro 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Constância | Jardim-Horto de Camões viaja no sábado até à época dos descobrimentos

“Tomar do sol a altura e compassar a universal pintura” é o verso de Os Lusíadas que dá o mote para a iniciativa que vai acontecer no próximo sábado, dia 14 de agosto, no Jardim-Horto de Camões, em Constância.

- Publicidade -

Determinar a latitude a partir da medição da altura do sol, aprendendo os mais importantes detalhes e tendo por base instrumentos que remetem para os utilizados na época dos Descobrimentos. É a mais recente iniciativa promovida pelo Centro Ciência Viva de Constância, em colaboração com a Associação Casa-Memória de Camões, que vai acontecer no próximo dia 14 de agosto, pelas 18h00, no Jardim-Horto de Camões, em Constância.

Inserida no programa “Ciência Viva no Verão”, a atividade vai ser dinamizada pelo astrónomo Máximo Ferreira, que mostrará como determinar a latitude, tarefa na qual o astrolábio desempenha um importante papel.

- Publicidade -

“A 14 de agosto de 1497, a frota de Vasco da Gama navegava a sul da ilha de Santiago (Cabo Verde), em direção ao Cabo da Boa Esperança. A navegação, que, até aí, era baseada na medição da altura da Estrela Polar, começava a tornar-se difícil por esta estrela ficar cada vez mais próxima do horizonte – a norte – à medida que navegavam para sul”, pode ler-se em comunicado da Associação Casa-Memória de Camões.

“Por outro lado, a determinação da latitude pela altura do Sol e, simultaneamente, consulta de tabelas produzidas pelos cosmógrafos, revelava-se sempre difícil, pois os balanços dos navios impediam leituras corretas. Assim, quando era possível, os pilotos desembarcavam com grandes astrolábios para, em terra, realizarem medições de maior precisão e marcarem a posição nos mapas”, é explicado, exaltando-se os versos de Camões em Os Lusíadas: Desembarcamos logo na espaçosa /Parte, por onde a gente se espalhou / De ver cousas estranhas desejosa / Da terra que outro povo não pisou. /Porém eu, cos pilotos, na arenosa / Praia, por vermos em que parte estou /Me detenho em tomar do Sol a altura / E compassar a universal pintura.

Alguns dos versos de Camões utilizados para descrever pormenores e factos da viagem de Vasco da Gama vão também ser proferidos na iniciativa “Tomar do sol a altura e compassar a universal pintura”, pela voz de Ana Maria Dias.

A atividade é gratuita e destina-se ao público a partir dos 6 anos. Para mais informações, deve contactar o Centro Ciência Viva Constância através dos contactos 249 739 066 / 911 588 984.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome