Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

Constância | Irreverência da Festa Rural da aldeia da Pereira adiada para 2022

Os motores permanecem em silêncio, as gargalhadas silenciosas e a festa adiada. Pelo segundo ano consecutivo, o evento mais irreverente da aldeia da Pereira, em Constância, não vai acontecer devido ao contexto pandémico.

- Publicidade -

Por esta altura do ano, a aldeia mais pequena do concelho de Constância é palco da maior festa rural da região. Da música ao convívio, dos petiscos ao desfile de máquinas rurais – o Moto-Rural, é o sentimento de orgulho pela ruralidade que dá um brilho especial à Festa Rural, na aldeia da Pereira.

Organizada pela Associação “Os Quatro Cantos do Cisne”, a Festa Rural teve em 2019 a sua nona edição, num evento onde a irreverência é rainha e traz à aldeia centenas de gentes da região. Exemplo disso é o Moto-Rural, uma concentração de máquinas rurais, onde carrinhas, motorizadas, motocultivadores, tratores e moto-4 desfilam embelezadas das formas mais criativas e sempre a exaltar o modo de vida rural.

- Publicidade -

A Festa Rural conta ainda com os afamados banhos nos antigos lavadouros transformados em Spa Rural, dos galos feitos despertadores rurais para quem adormece nos fardos de palha, e do alegre, permanente e são convívio acompanhado por cerveja servida ao alqueire.

Este ano, à semelhança do ano passado, a festa não vai acontecer devido ao contexto pandémico, mas fica a promessa da organização: festejar a triplicar em 2022. Em comunicado nas suas redes sociais, a Associação “Os Quatro Cantos do Cisne” assinala aquele que seria o primeiro dia de festa, esta sexta-feira, 27 de agosto, referindo “a nostalgia dos anos anteriores” mas deixando a esperança de voltarão em breve as “muitas gargalhadas à mistura dos bons momentos passados”.

“Queremos todo/as de volta em 2022. (…) O ‘pró’ ano está a um passo”, refere a nota.

Abrantina mas orgulhosa da sua costela maçaense, rumou a Lisboa com o objetivo de se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome