Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância: IPT vai estudar cheiros no Centro Escolar de Stª Margarida

O Instituto Politécnico de Tomar (IPT) disponibilizou-se junto da autarquia de Constância para fazer um estudo ao nível do ar no Centro Escolar de Santa Margarida onde, em princípios do passado mês de março, surgiram cheiros em algumas salas cuja origem ainda se desconhece.

- Publicidade -

Júlia Amorim, presidente da Câmara Municipal de Constância, avançou ao mediotejo.net esta quinta-feira, dia 7 de abril, que, sobre a questão dos cheiros que surgiram em algumas salas e na biblioteca do Centro Escolar de Santa Margarida no passado mês de março, ainda não há qualquer conclusão do ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade, entidade que fez análises ao ar do estabelecimento de ensino em princípios de março.

A autarca avançou ainda que o IPT se disponibilizou para fazer um estudo ao nível do ar no espaço interior do Centro Escolar de Stª Margarida, sendo que, para o efeito, autarquia e Politécnico reúnem-se na próxima segunda-feira, dia 11, às 14h, para definir ideias neste âmbito.

- Publicidade -

Segundo Júlia Amorim, “neste momento, o cheiro não existe”.

O assunto dos cheiros no Centro Escolar de Santa Margarida, cuja origem ainda não está descoberta, já tinha sido tema na reunião de executivo camarário de 10 de março, altura em que, questionado pelo vereador António Mendes (PS), o vice-presidente da autarquia de Constância, Arsénio Cristóvão, explicou que se tinha registado um cheiro estranho, “que parecia ser a gás, e deslocou-se lá empresa para certificar se havia fuga de gás e relatório disse que não havia qualquer fuga de gás”.

O “cheiro estranho” registava-se com mais intensidade na zona da biblioteca, tendo a autarquia feito, na altura, vários testes para verificar se seria do esgoto, o que não se confirmou.

Os técnicos de saúde pública acompanharam desde o início esta situação, tendo inicialmente avançado que a existência daquele cheiro poderia ser motivado por falta de ventilação do espaço.

Para ter certezas sobre a origem do cheiro no Centro Escolar de Stª Margarida, a autarquia de Constância solicitou ao ISQ que fosse feita uma análise ao ar, cujos resultados ainda não foram divulgados pela entidade.

Segundo afirmou Jorge Heitor, engenheiro responsável pelas obras municipais, na reunião de Câmara de 10 de março, “as inspeções do gás são feitas regularmente no âmbito do programa de manutenção preventiva” acrescentando que “tentámos despistar uma série de situações e não se detetou nada”.

Entrou no mundo do jornalismo há cerca de 13 anos pelo gosto de informar o público sobre o que acontece e dar a conhecer histórias e projetos interessantes. Acredita numa sociedade informada e com valores. Tem 35 anos, já plantou uma árvore e tem três filhos. Só lhe falta escrever um livro.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome