Constância | IP anuncia arranque dos trabalhos na A23 para redução do ruído na Capareira

O ruído é constante e não dá descanso aos moradores. Foto: mediotejo.net

A Câmara de Constância já procedeu à plantação de cedros para que haja diminuição do impacto sonoro, mas não sendo suficiente a Infraestruturas de Portugal tem de ser parte da solução. Reconhecendo que os valores de ruído no local ultrapassam os limites legais, a IP informou que irá avançar com a aguardada construção de barreiras sonoras neste primeiro trimestre de 2020, deu conta Sérgio Oliveira, presidente da CM Constância.

A população residente na zona da Capareira, em Constância, aguarda desde 2007 uma solução eficaz que diminua os problemas do ruído causados pelo tráfego no troço da A23 adjacente àquela rua. São cerca de 70 as habitações construídas nas proximidades da autoestrada, cujos moradores sofrem na pele e diariamente com os constrangimentos causados pela circulação automóvel.

O assunto foi referido em reunião de Câmara pública, tendo o autarca constanciense lembrado que o tema é antigo e que “se tem insistido com as Infraestruturas de Portugal para a resolução do problema de ruído na zona da Capareira”, bem como o acordo entre os moradores e a autarquia para plantação de cedros numa faixa que visa “minimizar o impacto do ruído”, reconhecendo que é algo “a longo prazo” devido à demora de crescimento das árvores para atingir uma altura que seja eficaz para o efeito.

PUB

A autarquia questionou a Infraestruturas de Portugal no final de dezembro de 2019, pretendendo saber o que estaria previsto para aquela zona. A resposta, segundo Sérgio Oliveira, indica que “que durante o primeiro trimestre de 2020 está prevista a colocação de barreiras sonoras naquela zona, bem como substituição do pavimento da autoestrada por outro que amenize o ruído que se faz sentir naquela parte da vila”.

Áudio: Presidente da CM Constância, Sérgio Oliveira, deu conta do ponto de situação com base em resposta enviada pela IP após pedido de esclarecimento

 

Recorde-se que a população já havia manifestado por diversas o seu desagrado com a questão, que interfere com a qualidade de vida e descanso dos moradores, e têm apresentado reclamações junto da Câmara Municipal e feito abaixo assinados como formas de protesto.

O mediotejo.net já havia noticiado, em agosto de 2019, que este problema não tinha fim à vista apesar dos múltiplos apelos da comunidade residente. Desde 2007 que a Infraestruturas de Portugal (IP) promete a instalação de barreira acústicas mas a promessa nunca se concretizou. Em ofício da IP, refere-se que “a construção destas urbanizações foi posterior à entrada em funcionamento da A23, pelo que a presença desta fonte sonora deveria ter sido considerada quando do licenciamento das mesmas, dando-se cumprimento ao artigo 12º do Regulamento Gerai de Ruído – Controlo Prévio das Operações Urbanísticas”.

Ainda assim a IP reconhece que os valores de ruído no local ultrapassam os limites legais e ficou o compromisso de desenvolver uma empreitada em que está prevista a colocação de barreiras acústicas em vários troços e aplicar uma camada de desgaste com características de absorção acústica.

Também em 2019, a Assembleia Municipal de Constância aprovou, a 28 de setembro, uma moção apresentada pela bancada da CDU no sentido de “reclamar uma vez mais junto das IP- Infraestruturas de Portugal a colocação de barreiras sonoras de forma a reduzir o ruído junto das Urbanizações da Capareira e Pinhal D’Elrei em Constância”.

São cerca de 70 as habitações construídas nas proximidades da A23, cujos moradores sofrem na pele e diariamente com este problema do ruído nos últimos anos.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here