Constância | “Grande festa do Tejo” junta emoção e devoção (c/fotos e videos)

A tradição passa de geração em geração (Foto: mediotejo.net)

Com S. Pedro a dar tréguas, cumpriu-se a tradição em Constância nesta segunda feira de Páscoa com a chegada e bênção dos barcos, ponto alto da festa de Nª Srª da Boa Viagem / Festas do Concelho. Este ano participaram cerca meia centena de embarcações vindas de várias localidades da zona ribeirinha do rio Tejo, desde Abrantes a Lisboa.

Pelas contas de António Matias Coelho, investigador há muitos anos ligado à bênção dos barcos, participaram mais de 200 pessoas embarcadas, número contabilizado pela quantidade de apólices de seguro que a Câmara teve de contratar.

A chegada dos barcos engalanados, alguns com imagens da Senhora da Boa Viagem, é um momento ansiado, quer pelos ocupantes das embarcações, quer pelas largas centenas de pessoas que assistem com um misto de emoção e devoção.

Para quem chega de barco, a tradição manda que se traga farnel e “pinga” para se petiscar nas margens do rio. É um momento de convívio e de descontração antes dos discursos oficiais.

O Presidente da Câmara, Sérgio Oliveira, manifestou-se orgulhoso pelas “representações de tantos municípios” e, reforçou a ideia de esta ser a “Festa do nosso povo e da nossa terra”. Entre os convidados estavam autarcas de concelhos vizinhos e o Vereador da câmara de Lisboa, Ricardo Sá Fernandes.

António Matias Coelho referiu-se à “grande festa do Tejo”, que “tem como fundamento uma tradição que se procura respeitar”. “É uma festa religiosa, cultural, do Tejo”, afirma, sublinhando o facto de muita gente vir a Constância todos os anos neste dia como quem vai a Fátima no dia 13 de maio. “É um ritual, é uma tradição”.

Perante as centenas de pessoas que assistiam à chegada dos barcos, o investigador fez um pequeno historial da festa recuando a 1788, anos em que os marítimos de Constância (Punhete) pediram à Rainha D. Maria I para colocarem a imagem da Senhora da Boa Viagem num altar atualmente localizado na igreja Matriz.

Chegada dos barcos nas Festas de Nossa Senhora da Boa Viagem em Constância

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 2 de Abril de 2018

Com o fim do transporte fluvial nos anos 50 e 60, deixou de haver marítimos, mas a tradição manteve-se agregando desde há cerca de 30 anos representantes das comunidades ribeirinhas, de Abrantes a Lisboa.

Matias Coelho fez questão de enaltecer o “trabalho notável que a EDP fez” ao subir o caudal para os níveis adequados a partir da barragem do Fratel.

Procissão da Senhora da Boa Viagem em Constância e bênção dos barcos

Publicado por mediotejo.net em Segunda-feira, 2 de Abril de 2018

Outra ajuda preciosa veio do Regimento de Engenharia de Tancos que, com uma grua, recolheu as embarcações transportadas em camiões de locais mais distantes e colocou-as no rio Tejo em Tancos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here