Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Julho 26, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância: Exposição evocativa dos 125 do Correio do Ribatejo

Está patente até dia 28 de outubro, no átrio dos Paços do Concelho, a exposição «Correio do Ribatejo – 125 anos», onde consta uma abordagem à história desta publicação, desde a sua fundação até à atualidade.

- Publicidade -

A exposição, inaugurada ontem ao fim da tarde, contém cinco painéis informativos que descrevem o percurso do jornal entre 1891 e 1934, ano da morte do seu diretor João Arruda. O segundo painel está balizado entre 1934 e 1945, ano em que o jornal se passou a chamar Correio do Ribatejo.

Durante este período, o semanário passou a ser dirigido pelo advogado Virgílio Arruda (1905-1989). O terceiro roolup retrata a vida do Jornal e da sua tipografia nas décadas de 50 e 60 do século XX. Os anos da democracia e a direção do jornalista Bernardo Figueiredo Duarte (1928-2001), são descritos no quarto rooup. No último cartaz apresentam-se os desafios do futuro de um jornal centenário, em papel, com ligações às novas aplicações informáticas, lê-se na informação da autarquia.

- Publicidade -

O Jornal Correio do Ribatejo festejou a 9 de Abril de 2016 os 125 anos de “publicações ininterruptas”, tendo sido fundado a 9 de Abril de 1891 pelo ribeirense João Arruda (1868-1934) sob o nome de Correio da Extremadura, mas com o olhar na criação de uma nova região, o Ribatejo.

A exposição “Correio do Ribatejo – 125 anos” estará aberta ao público, nos dias úteis, das 9h00 às 18h00, no átrio do Edifício dos Paços do Concelho de Constância.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here