- Publicidade -
Quinta-feira, Dezembro 9, 2021
- Publicidade -

Constância | Exercício Orion21 atinge objetivos e reforça cooperação militar entre Portugal e Espanha (c/FOTOS e ÁUDIO)

Mais de 1650 militares e 200 viaturas de Portugal e Espanha fecharam na quinta-feira no campo militar de Santa Margarida o exercício final Orion21, o maior exercício anual conduzido pelo Exército português no âmbito da NATO, e que decorreu desde o início do mês em Abrantes, Constância e Vendas Novas.

- Publicidade -

O exercício final decorreu na Brigada Mecanizada, tendo sido presenciado no campo de tiro pelo Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general José Nunes da Fonseca, e pela secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro, tendo ambos elogiado os resultados do aprontamento e certificação militar.

O exercício Orion21, que contou este ano com a participação de mais de 200 viaturas, das quais 113 blindadas e 25 carros de combate, culminou na quinta-feira, 13 de maio, com a realização de um evento que incluiu a demonstração de uma operação ofensiva com as forças participantes, as quais executaram tiro real, direto e indireto, com os sistemas de armas principais (carros de combate, artilharia, viaturas de combate infantaria).

Secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro. Foto: Jorge Santiago/mediotejo.net
- Publicidade -

ÁUDIO: secretária de Estado, Catarina Sarmento e Castro:

 

O dia de quinta-feira principiou com uma visita ao Posto de Comando do Agrupamento Mecanizado “Very High Readiness Joint Task Force 22” (VJTF22) ao que se seguiu uma demonstração de fogos reais por parte das forças no terreno, nomeadamente da Componente Terrestre da Força de Reação Imediata, da Unidade Tarefa de Operações Especiais, do Agrupamento Mecanizado Alfa e do Agrupamento Mecanizado VJTF22.

Chefe do Estado-Maior do Exército, general José Nunes da Fonseca. Foto: Jorge Santiago/mediotejo.net

ÁUDIO: Chefe do Estado-Maior do Exército, general José Nunes da Fonseca :

O Chefe do Estado-Maior do Exército de Espanha, General Varela Salas, já havia visitado no dia 12 de maio o Exercício ORION 21, tendo sido recebido pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General José Nunes da Fonseca, seguindo-se uma visita ao Posto de Comando Tático do Exercício e à atividade do Agrupamento Mecanizado ALFA, que integrou militares espanhóis da Brigada “Extremadura XI”.

O programa de atividades integrou a Cerimónia de Assinatura de Cartas de Intenção sobre a Geminação entre Unidades do Exército Português e do Exército Espanhol, nomeadamente entre a Brigada de Intervenção e a Brigada “Galiza VII”, e entre o Centro de Informação Geoespacial do Exército Português e o Centro Geográfico do Exército Espanhol.

Cerimónia de Assinatura de Cartas de Intenção sobre a Geminação entre Unidades do Exército Português e do Exército Espanhol. Foto: Exército

Os meios empenhados no ORION21 envolveram cerca de 1652 militares, dos quais 160 espanhóis, 25 carros de combate, 113 viaturas blindadas, 12 obuses de artilharia e 153 viaturas táticas. Neste exercício foram planeadas e executadas operações de resposta a crises, centradas na componente terrestre, com a finalidade de avaliar e certificar os objetivos de força do Exército, em ambiente operacional de cariz conjunto e combinado, associados com compromissos internacionais da NATO, Nações Unidas e União Europeia.

Foto: Jorge Santiago/mediotejo.net

O Orion21 destina-se a treinar e avaliar as diversas capacidades do Exército em operações multinacionais, bem como para certificar a Brigada de Reação Rápida para operar em ambiente multinacional – as típicas missões da Aliança Atlântica – de que Portugal é país fundador.

Fotos: Jorge Santiago

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome