Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Novembro 30, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Despejo de lixo a céu aberto causa revolta em Santa Margarida (C/ÁUDIO)

A situação não é nova mas desta vez, e com o avolumar da quantidade de autênticas lixeiras a céu aberto, o presidente da Junta de Freguesia de Santa Margarida da Coutada, José Manuel Ricardo, criticou publicamente a postura cívica de alguns cidadãos pela continuação da prática de um atentado ambiental em Malpique, numa freguesia que se orgulha da sua condição de ruralidade, da floresta e das boas águas.

- Publicidade -

“Continua a vergonha na nossa freguesia”, escreveu José Manuel Ricardo, após ter confirmado e fotografado o contínuo avolumar do despejo de todo o lixo de lixo, desde entulho a sofás, colchões e televisões, carcaças de automóveis, enfim, tudo no meio da floresta. “Isto não é de agora, já vem desde 2020, mas está a atingir proporções que não são admissíveis e alguém vai ter de limpar aquilo tudo”, disse o autarca ao mediotejo.net, tendo assegurado ter feito participação às autoridades policiais. “Não há respeito por ninguém”, lamentou.

ÁUDIO: JOSÉ MANUEL RICARDO, PRESIDENTE JF SANTA MARGARIDA:

- Publicidade -

José Manuel Ricardo disse ainda não entender este tipo de atitudes, numa zona verde onde muita gente circula e faz as suas caminhadas, tendo lembrado que existe um serviço gratuito de recolha de monos por parte da Câmara Municipal.

“Eu já fiz apelos através das redes sociais para que não despejem entulhos para a floresta, basta solicitar a recolha, que é gratuita e feita de porta a porta, e não se percebem estas atitudes de colocar o lixo a céu aberto”, atestou.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome