PUB

Constância | Desfile MotoRural da Pereira bate recorde de participantes (C/FOTOGALERIA)

Ao longe parece uma cena do filme Mad Max, mas, vendo de perto, o desfile MotoRural da Pereira, Constância, apesar das semelhanças, é um acontecimento que marca pela diferença, pela irreverência e pela boa disposição tal como a festa Rural que acontece todos os anos por esta altura naquela aldeia, a mais pequena do concelho.

PUB

Este ano, o desfile bateu um recorde de participantes, 199. Eram 10.32 horas quando carrinhas, motorizadas, motocultivadores, tratores, moto-4 e outro tipo de viaturas partiram do recinto da festa e percorreram Malpique, Santa Margarida (com paragem no parque ambiental para reforço alimentar), Portela e Vale de Mestre. Antes da partida já os participantes tinham tomado o pequeno almoço. Com a carne do porco que está a assar no espeto fazem-se as sandes acompanhadas pela habitual imperial.

Como é que uma aldeia isolada, com 35 habitantes, consegue organizar este evento e uma festa que é já uma referência e que atrai largas centenas de pessoas todos os anos? “Nem eu sei explicar, é uma aventura”, responde Nuno Alfaiate, Presidente da Direção da associação “Quatro Cantos do Cisne”.

PUB

Pelas colunas sai a música desafinada do cantor Zé Cabra, enquanto o dinâmico dirigente associativo explica que na aldeia há só quatro habitantes com menos de 18 anos. De onde vêm os participantes, era a pergunta que se impunha. “Vêm do próprio concelho, de Montalvo, Constância e Santa Margarida, mas muitos também de fora do concelho. Como estamos aqui na fronteira com o concelho da Chamusca temos uma ligação muito próxima com localidades como Semideiro, Chouto e Ulme”.

Facto é que todos os anos a juventude adere em força à festa Rural e ao desfile Moto Rural. Esta adesão não será alheia ao facto de a associação promotora, Quatro Cantos do Cisne, ter uma forte componente de apoio social. O Presidente destaca o importante apoio familiar, a intervenção precoce, as atividades de enriquecimento curricular e o papel social que têm na inserção de desempregados.

Nuno Alfaiate é o Presidente da Direção (Foto: mediotejo.net)

Falando para todos os participantes antes da partida, Nuno Alfaiate lembra que todos os veículos têm de ter matrícula, seguro e inspeção, o que provocou uma gargalhada geral. Apelou ao cumprimento das regras e dos sinais de trânsito e lembrou que a velocidade máxima é de 20 Km/h.

Todos os anos, os cartazes da festa Rural marcam pela diferença. O criativo é Pedro Santos, designer gráfico free-lancer e administrador de sistemas na Câmara de Abrantes, cidade onde vive.

Revela que sempre esteve ligado à associação e colabora na festa não só a nível da criação gráfica mas também noutros aspetos logísticos.

Pedro Santos é o criativo dos cartazes (Foto: mediotejo.net)

“Tentamos sempre ser diferentes, procuramos descolar daquilo que é o normal para que seja diferente das outras, dando um cunho muito próprio”, explica Pedro Santos, responsável pelo design gráfico dos cartazes onde impera a criatividade e a irreverência.

Por exemplo, no cartaz apontava-se a hora do desfile para “123 minutos depois do sol nascer”. Outro exemplo é um espetáculo marcado para as 13h32 e uma nota de rodapé a informar que começa com 2h31 de atraso, o que obriga os interessados a fazer contas.

Saímos de Pereira com a sensação de que algo de diferente e especial une aquela gente, por uma boa causa.

PUB
PUB
José Gaio
Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).