- Publicidade -
Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Constância | Comandante Marco Gomes compromete-se a liderar Bombeiros com renovada confiança (c/fotos e video)

No fim de semana em que se realizariam as comemorações do Dia do Bombeiro em Portugal, e em tempos excecionais e restrições causados pela pandemia de covid-19, Marco Gomes tomou oficialmente posse enquanto Comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância, num ato realizado dia 30 de maio, sábado, no quartel da corporação. Marco Gomes disse encarar este novo desafio “com confiança”, sublinhando saber o valor “humano e técnico” dos seus pares, transmitindo disponibilidade e prometendo “tudo fazer” pelos bombeiros constancienses, na árdua tarefa de proteção de bens, pessoas, animais e natureza.

- Publicidade -

Agradecendo a confiança da direção da Associação Humanitária, o novo comandante referiu ter noção dos desafios, sabendo que “não será uma tarefa fácil”, aludindo aos tempos “difíceis numa esfera global” que se atravessam devido à pandemia de covid-19.

“O passado deste corpo de bombeiros dá-nos a confiança para continuar a lutar para o bem da humanidade”, disse, referindo-se à “garra, honra e com glória” que tem sido apanágio dos seus líderes antecessores, caso do Comandante Avô Dias e do Comandante Adelino Gomes.

- Publicidade -

Marco Gomes assumiu querer valorizar os seus homens e mulheres a nível técnico e humano, e querer “meios melhores e mais capazes para prestação de serviço de qualidade à comunidade”. Deixou ainda uma palavra de sensibilização “às empresas e comércios, para acrescentarem valor na sua segurança” e também ao Município, que pretende que seja “mais sensibilizado para uma parceria de excelência”.

“Da minha parte existe a vontade de tudo dar sem nada em troca (…) Aos meus diretores e bombeiros, peço que sejam verdadeiros, pois para mim só com frontalidade e realismo é possível melhorar e evoluir. São princípios em que acredito e que pratico”, disse.

Áudio: Discurso do novo Comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância, após a imposição das insígnias

 

Foto: mediotejo.net

Em declarações ao mediotejo.net, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância assumiu que esta é a corporação tem pela frente inúmeros desafios, e lembrou que é necessário investimento em materiais e apetrechamento, tanto do Quartel de Constância, como da secção de Santa Margarida, face aos inúmeros constrangimentos que, em 95 anos de história, se vão intensificando.

Falou na secção dos Bombeiros Voluntários de Constância em Santa Margarida, com cerca de 45 anos, criada pelo constrangimento do “território dividido por dois rios” havendo uma “barreira física que não permite a um corpo de bombeiros simples conseguir atingir todo o seu território em toda a sua área de atuação”, e que obrigada à duplicação de apetrechamento por parte da Associação Humanitária, exigindo maior esforço financeiro.

Marco Gomes referiu que, apesar da existência da Ponte metálica sobre o Tejo, ligando a Constância Sul, esta encerra inúmeras vezes ao trânsito para trabalhos de manutenção, por períodos que podem ir até dois dias. “Isso obriga o corpo de bombeiros a ter uma operacionalidade diferenciada, e a repor dentro da freguesia de Santa Margarida uma maior quantidade de homens e mulheres para garantir o socorro às populações, aos bens e garante da natureza”, disse.

Por outro lado, aquela freguesia é de risco acentuado, tendo inclusive vários riscos tecnológicos associados. “Temos uma empresa com algum risco tecnológico, o Campo Militar de Santa Margarida com os riscos próprios daquilo que é uma área militar. Passa naquela zona, e atravessa o concelho, uma linha ferroviária de extrema importância, que transporta mercadorias e algumas matérias perigosas”, enumerou, dando conta da “atenção redobrada e permanente preocupação na resposta operacional àquilo que possa ser as intervenções que daí podem ocorrer”.

Constância – Tomada de posse do novo Comandante dos Bombeiros Voluntários, Marco Gomes

Constância | Decorreu este sábado, dia 30 de maio, no Quartel da AHBVC, a Tomada de Posse de Marco Gomes, novo comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância. Declarações ao mediotejo.net sobre os desafios para o futuro quer para a corporação e cumprimento da missão, quer para a gestão e subsistência da Associação Humanitária, à qual preside Adelino Gomes, ex-comandante dos BV Constância e pai de Marco Gomes, a quem passou o testemunho do comando após duas décadas de liderança daquele corpo de bombeiros.

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 30 de maio de 2020

Por seu turno, Adelino Gomes, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância e que foi comandante da corporação de Bombeiros de Constância durante 20 anos, passou o testemunho ao adjunto que o acompanhou na longa jornada à frente da corporação, mas acontece que há aqui um maior ênfase deste capítulo, uma vez que passa o legado ao filho.

O antigo comandante não escondeu “o orgulho” pela assunção do comando por Marco Gomes, referindo que se trata de “um homem que tem conhecimentos, está no comando há muitos anos comigo, tem uma capacidade enormíssima e um saber acima da média em relação a estas áreas dos bombeiros. Conhece a realidade do concelho”, afirmou.

O atual presidente da direção da Associação Humanitária frisou que Constância “é o concelho do distrito de Santarém com mais riscos tecnológicos”, lembrando que o concelho é também atravessado pela A23 e a EN118, que tem empresas a trabalhar no setor dos plásticos e uma pista de aviação nas proximidades, sublinhando que são riscos “muito altos”.

Foto: mediotejo.net

Adelino Gomes reforçou o pedido às autarquias e demais entidades, referindo que são necessários apoios à “maior força de proteção civil”. Com a tomada de posse do novo comandante, o presidente da Associação Humanitária disse continuar-se a escrever “o livro de honra e glória da história da associação e corpo de bombeiros, que ao longo de 95 anos, nos tem habituado a gravar em letras de outro o seu vasto historial que tantas vezes tem acompanhado e se confunde com a rica e célere história desta vila de poetas”.

“Hoje, como ontem, as dificuldades perduram e todos sabemos que os tempos são de calamidade e de grande esforço económico para todos, em especial para as associações de bombeiros”, lembrou, referindo que sendo “base principal de proteção civil e garante da segurança de pessoas e bens” é necessário terem reunidas condições e ferramentas para poderem desenvolver com êxito as suas ações de socorro, “cada vez mais exigentes e complexas”.

Apelou ao apoio efetivo por parte das entidades particulares, autárquicas ou estatais, referindo que este apoio é urgente para garantir a subsistência das associações humanitárias de bombeiros.

Para Adelino Gomes, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância precisa de “apoio urgente”, porque se está a chegar ao limite do ciclo de vida dos materiais e equipamentos de proteção.

O mesmo responsável referiu que “é preciso atua e depressa, antes que o abandono dos bombeiros aconteça por desmotivação ou falta de apoio social”.

“Estes homens e mulheres abandonam os corpos de bombeiros porque estão cansados da indiferença com que são tratados. Dão tudo e nada pedem ou recebem em troca”, disse, demonstrando preocupação com situações que estão a acontecer um pouco por todo o país, com falta de operacionais nos quartéis.

Adelino Gomes lembrou e apelou à continuidade de apoio permanente pelo Município de Constância e pelas juntas de freguesia locais para apoio aos bombeiros de Constância, bem como da parte das empresas instaladas no concelho.

Comandante Mário Silvestre. Foto: mediotejo.net

Na sessão esteve também o comandante Mário Silvestre, comandante operacional do Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, que endereçou palavras a Marco Gomes e aos bombeiros da corporação. Demonstrou total disponibilidade para estar “ao lado” do novo comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância, considerando Marco Gomes “um excelente operacional no distrito e no país”.

Palavras igualmente dirigidas ao Comandante cessante Adelino Gomes, mantendo-se como presidente da AHBV Constância, destacando as qualidades e as diversas intervenções e referindo que “foi uma honra” prestar serviço ao seu lado.

Por último, as palavras foram dirigidas, a fazer jus à comemoração do Dia do Bombeiro Português, aos bombeiros de Constância e de todo o distrito, enaltecendo a forma como se adaptaram à nova realidade com a pandemia de covid-19. Realçou e enalteceu “o brilhantismo, a capacidade, o profissionalismo com que os bombeiros do distrito de Santarém conseguiram colocar na adaptação à nova realidade criada pelo novo coronavírus”, mencionando que tal dedicação e postura “não é surpresa”.

Mário Silvestre deixou ainda alerta para época de combate a incêndios, referindo que todos contam com os bombeiros. “Portugal, independentemente do se que diga ou faça, conta com os seus bombeiros, e eu pessoalmente conto convosco e tenho toda a confiança do mundo no trabalho que desenvolvem”, afirmou.

O Comandante Distrital fechou o discurso com a célebre frase “Nunca tantos deveram tanto a tão poucos”, agradecendo a dedicação aos operacionais presentes.

Já Sérgio Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Constância, felicitou o novo comandante dos Bombeiros Voluntários, demonstrando “abertura para o diálogo que for necessário para que continuem a desempenhar o papel que têm desempenhado ao longo dos 95 anos de história, que se confunde com a história do concelho”.

O autarca lembrou que os Bombeiros Voluntários são a segunda instituição mais antiga do concelho, sendo apenas mais antiga a Santa Casa da Misericórdia. Deixou reconhecimento aos bombeiros pelo serviço prestado às populações, pelos riscos que correm para corresponder ao socorro de forma altruísta, e também ao papel fulcral, na linha da frente, no combate à pandemia de covid-19.

Sérgio Oliveira aproveitou para reconhecer e agradecer os anos de serviço a Adelino Gomes, enquanto comandante da corporação e que agora cessou funções, após 20 anos.

“A Câmara Municipal continuará a apoiar os Bombeiros Voluntários naquilo que é possível, dentro das limitações financeiras que também tem”, disse, notando que o município está “atento” aos bombeiros e afirmando que a porta “esteve, está e estará sempre aberta para dialogar e encontrar soluções com serenidade e com calma”, terminou.

Na cerimónia esteve também presente José Salvado, representante da Liga dos Bombeiros Portugueses, Paulo Cardoso, presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Santarém, e também o pároco local, Padre Nuno Miguel, além de António dos Santos, presidente da Assembleia Geral da AHBV Constância, António Mendes, presidente da Assembleia Municipal, os presidentes de Junta de freguesia do concelho, e comandantes de outras corporações de Bombeiros do distrito e representantes das forças de segurança locais, entre outros convidados.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome