Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Campo Militar de Santa Margarida comemorou Dia da Unidade (c/fotos e vídeo)

O Campo Militar de Santa Margarida assinalou o seu Dia da Unidade esta quarta-feira, dia 3, com uma cerimónia militar presidida pelo Brigadeiro-General Eduardo Mendes Ferrão, Comandante da Brigada Mecanizada, ali sediada. Uma data simbólica que, devido à reestruturação ocorrida em 2016, anuncia oficialmente o segundo aniversário, mas que envolve mais 63 anos de História uma vez que esta infraestrutura militar foi ativada em 1953.

- Publicidade -

As origens do Campo Militar de Santa Margarida (CMSM) remontam a 3 de outubro de 1953, quando foi ativado como Campo de Instrução Militar. Nessa data, assumia a responsabilidade de dar respostas aos compromissos assumidos por Portugal perante a NATO, a par da formação relacionada com a organização da 1ª Divisão do Corpo Expedicionário Português. Em 2016, o número dos aniversários mudou com a extinção da Unidade de Apoio da Brigada Mecanizada e a criação do CMSM.

O 64º aniversário passou a ser oficialmente o primeiro, assinalado no ano passado com a entrega do Estandarte Nacional pelo Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), General Frederico Rovisco Duarte, e do Estandarte Heráldico do CMSM. Ambos os estandartes voltaram a integrar a formatura esta quarta-feira durante a cerimónia militar presidida pelo Comandante da Brigada Mecanizada (BrigMec), Brigadeiro-General Eduardo Mendes Ferrão.

- Publicidade -

A cerimónia foi presidida pelo Brigadeiro-General Eduardo Mendes Ferrão, Comandante da Brigada Mecanizada. Foto: mediotejo.net

A acompanhá-lo na Tribuna de Honra esteve o Comandante do CMSM, Coronel José Vinhas Nunes, assim como representantes de diversas entidades civis e militares da região, como o presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira. As alocuções dos comandantes marcaram o momento, tendo entre os pontos coincidentes os bons resultados da secção agroflorestal, a integração dos trabalhadores com vínculos precários e a escassez de recursos humanos.

As boas práticas ambientais foram, igualmente, destacadas durante os discursos, nomeadamente a renovação da certificação que o CMSM detém desde 2004 e a conquista de um novo Prémio Defesa Nacional e Ambiente. A manutenção dos cerca de 300 edifícios e arruamentos que compõem esta infraestrutura militar também foi apontada, tendo o Brigadeiro-General Eduardo Mendes Ferrão anunciado, o início das obras de construção do novo Complexo de Alimentação da BrigMec com conclusão prevista para o primeiro semestre de 2019.

Desfile das tropas em parada. Vídeo: mediotejo.net

Outras empreitadas estão previstas até ao final deste ano, como as que envolvem casernas do Pavilhão da Cavalaria e do Pavilhão do Batalhão de Infantaria Mecanizada. A segurança dos Paióis Nacionais de Santa Margarida não ficou esquecida, com o Comandante da BrigMec a referir que é cumprida de forma “plena” e ininterruptamente por “militares dedicados” de forma a assegurar “uma missão operacional da maior exigência a que temos todos de dedicar a maior atenção, aqui nada pode falhar”.

Findas as intervenções dos Comandantes do CMSM e da BrigMec, nove militares foram reconhecidos com a imposição de condecorações, três dos quais agraciados com a Medalha de Mérito Militar de 4ª classe, um com a Medalha de D. Afonso Henriques de 4ª classe e cinco com a Medalha de Comportamento Exemplar de grau ouro. Seguiu-se o desfile das tropas em parada comandadas pelo Tenente Coronel de Cavalaria Alfredo Filipe.

Perante a tribuna passaram uma companhia da Unidade de Apoio de Treino à Formação de Treino Operacional de Simulação comandada pelo Capitão de Artilharia Bruno Brito, uma companhia do Batalhão de Comando e Serviços comandada pelo Capitão de Artilharia Diogo Silva e a Banda do Exército chefiada pelo Chefe-Músico Sérgio Bento. A última marcou o final da cerimónia militar com uma atuação, aplaudida pelos presentes.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome