Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Junho 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | Camões regressa à Vila Poema com as Pomonas Camonianas (c/vídeo)

A Vila Poema regressou uns séculos no tempo com o início da XXIV edição das Pomonas Camonianas neste sábado, dia 8. Até dia 10, o feriado nacional dedicado a Camões, os visitantes têm à sua espera dança, música e teatro, visitas guiadas ao Jardim-Horto de Camões, uma mostra de ofícios, orientação noturna e um concurso de pintura ao livre. O ponto de encontro é o Mercado Quinhentista recriado no parque de merendas e é provável que quem por ali andar nos próximos dias se encontre com o poeta…

- Publicidade -

A sessão de abertura decorreu neste local que recebeu os primeiros momentos culturais e os discursos dos representantes de duas das três entidades locais organizadoras da iniciativa. Sérgio Oliveira, presidente da Câmara Municipal, e Olga Antunes, diretora do Agrupamento de Escolas, salientaram a unicidade do evento que envolve toda a comunidade e estreita os laços entre o poeta e a vila que se assume como poema.

Bancas do Mercado Quinhentista. Foto: mediotejo.net

- Publicidade -

António Matias Coelho, o representante da Casa-Memória de Camões, tem a sua intervenção reservada para a próxima segunda-feira e, até lá, são aguardados todos aqueles que quiserem sentir a essência camoniana através dos produtos das bancas, as cores dos figurinos, os sabores da Taberna Quinhentista e os pormenores da mostra de artes e ofícios. Uma experiência nova para quem participa pela primeira vez e um orgulho para quem já faz parte da tradição.

Camões e uma Ninfa no Jardim-Horto de Camões. Foto: mediotejo.net

Nesta viagem ao passado é possível ter um encontro com o próprio Camões e uma Ninfa do Tejo, com quem conversámos e nos revelaram que as visitas guiadas ao Jardim-Horto de Camões também vão ter momentos musicais. A iniciativa “No Horto com Camões” é produzida pela Associação Cultural Chamusc’Arte, da qual Carlos Petisca (Camões) e Vera Oliveira (Ninfa) fazem parte, assim como os três alunos da Escola de Música da associação que vão atuar.

Figurantes das Pomonas Camonianas. Foto: mediotejo.net

As visitas decorrem nos três dias das Pomonas Camonianas e quem não teve oportunidade de ir às de sábado pode escolher entre as de domingo, com início às 11h00 e às 14h00, e as de segunda-feira, que se realizam a partir das 10h00. Nestes dias, a Feira de Antiguidades e Velharias decorre na Praça Alexandre Herculano e Avenida das Forças Armadas, entre as 09h00 e as 20h00, e o Mercado Quinhentista recebe os clientes a partir das 15h00.

Além destas propostas, o programa de domingo inclui o concurso de pintura ao ar livre intitulado “As cores de Constância”, a partir das 10h00, e cujos prémios são entregues às 19h00, junto ao Monumento a Camões. Pelas 15h00 faz-se o percurso “Viagem no passado” – visitantes integram a festa na Antiga Cadeia e às 16h00 descobrem-se “Encantos e recantos de leitura” no Jardim-Horto de Camões.

A mostra de Ofícios d’Época é uma das novidades desta edição. Foto: mediotejo.net

O monumento dedicado ao poeta com autoria do mestre Lagoa Henriques também é palco das atuações de alunos e utentes da Universidade Sénior, às 17h30 e às 19h00. O Jantar do Povo decorre vali perto, no parque de merendas, às 20h00, e o anfiteatro dos rios assiste à “Chegada de Camões a Constância” pelas 21h30. O dia termina com o início da prova de orientação noturna, depois dos participantes se concentrarem no parque de campismo e caravanismo a partir das 23h00.

As Pomonas Camonianas terminam no dia de Camões, segunda-feira, depois de um dia marcado por diversos momentos, nomeadamente a cerimónia oficial do 10 de Junho, uma apresentação de danças renascentistas e o momento acrobático com Moviritmos junto ao Monumento a Camões, pelas 15h00, 16h00 e 19h00.

Grupo de alunos trajados a rigor. Foto: mediotejo.net

A Casa-Memória de Camões recebe, a partir das 17h00, a conferência “O poeta em busca de si e da sua epopeia?”, por Carlos Ascenso André, professor da Universidade de Coimbra e investigador do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos. O programa fica completo com o “Declamões” que junta alunos e a Banda e Escola de Música da Associação Filarmónica Montalvense 24 de Janeiro no anfiteatro dos rios às 18h30.

Transmitimos em direto os momentos iniciais das Pomonas Camonianas

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

COMENTÁRIOS

Please enter your comment!
O seu nome