- Publicidade -
Segunda-feira, Janeiro 24, 2022
- Publicidade -

Constância | Câmara tinha espaço para ceder à extinta JICA

Numa altura em que estava previsto a Câmara de Constância ceder um espaço à Associação Juvenil JICA – Juventude Inovadora Com Atitude, de Montalvo, esta coletividade aprovou, no dia 13 de janeiro, a sua extinção devido a “problemas de falta de lista, de sócios e principalmente de uma sede”.

- Publicidade -

Na última reunião de Câmara, realizada no Centro Escolar de Montalvo, a vereadora da CDU Sónia Varino levantou esta questão da sede da coletividade.

Conforme explicou o presidente da Câmara, Sérgio Oliveira (PS), na sequência da inauguração daquele Centro Escolar em setembro, e uma vez que ficaram vagas as escolas primárias e o jardim de infância, a Câmara convocou para uma reunião a Associação Filarmónica Montalvense 24 de Janeiro, a JICA, o Clube da Caçadores e a Junta de Freguesia, entidades que tinham manifestado interesse em ficar com os espaços escolares que tinham ficado disponíveis.

- Publicidade -

Nessa reunião, “por razões de agenda, não esteve presente qualquer representante da JICA”, explicou Sérgio Oliveira.

Ficou decidido que a “Filarmónica ficaria com a Escola Júlio Feijão, porque é a coletividade maior e que necessita de um espaço para as aulas e ensaios. A Junta de Freguesia ficaria com a gestão do antigo Jardim de Infância e um outro edifício ficaria para o Clube de Caçadores. Ficou ainda definido que a Filarmónica disponibilizaria uma sala, da sua antiga sede, para que a JICA pudesse desenvolver a sua atividade e guardar as suas coisas”, informou o Autarca.

- Publicidade -

A Câmara voltar a tentar contactar a JICA mas, segundo o Presidente, não houve resposta. Perante a decisão da coletividade, Sérgio Oliveira diz lamentar a sua extinção, não deixando de elogiar a dinâmica associativa demonstrada, por exemplo, na organização do Carnaval de Montalvo e do projeto MoviSénior.

 

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome