Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Trincanela

Constância | Apresentação do Ano Camões junta quase 400 alunos em logótipo humano

O Ano Camões foi oficialmente apresentado esta terça-feira, dia 22, na Escola e Casa-Memória dedicadas ao poeta mais conhecido do concelho de Constância. O programa comemorativo dos 25 anos da Escola Secundária Luís de Camões e dos 40 anos da Associação Casa-Memória de Camões decorre no ano letivo 2016/17 e, além das atividades já realizadas, estão previstas outras que vão da cultura às novidades gastronómicas. O ponto alto da apresentação envolveu quase 400 alunos que formaram um logótipo humano com a imagem escolhida para a iniciativa.

- Publicidade -

Os 25º e 40º aniversários da Escola Secundária Luís de Camões e da Associação Casa-Memória de Camões, respetivamente, motivaram a criação do Ano Camões, uma iniciativa organizada em conjunto pelas entidades aniversariantes e pelo município. O programa comemorativo abrange o ano letivo 2016/17 e arrancou no passado dia quatro de outubro com a atribuição dos prémios Camões, Desempenho Exame/Prova Final e Sensosim.

A apresentação oficial realizou-se esta terça-feira, sendo a quarta atividade realizada até à data, depois da Casa-Memória de Camões ter recebido a aula aberta sobre o poeta com Guilherme d’Oliveira Martins a 19 de outubro e o I Encontro da Rede de Bibliotecas do Concelho de Constância nos passados dias 18 e 19 de novembro.

- Publicidade -

O momento teve início na Escola Secundária Luís de Camões e envolveu 380 alunos do 5º ao 12º ano que formaram um logótipo gigante com a coordenação da professora Célia Mendes, revelando a imagem gráfica escolhida para a iniciativa. Seguiu-se a apresentação das atividades previstas até julho de 2017, que teve lugar na Casa-Memória de Camões, pelos representantes máximos das três entidades organizadoras.

Fotos: mediotejo.net
Fotos: mediotejo.net

As intervenções de António Matias Coelho, presidente da Associação Casa-Memória de Camões, Júlia Amorim, presidente da Câmara Municipal de Constância, e Olga Antunes, diretora do Agrupamento de Escolas de Constância, coincidiram na importância do Ano Camões para perpetuar a memória e fortalecer a ligação de Luís de Camões ao concelho através do envolvimento de toda a comunidade.

A necessidade de sensibilizar as entidades governamentais para assumirem a causa da Casa-Memória dedicada a um dos poetas portugueses mais conhecidos em todo o mundo foi igualmente referida pelo historiador e pela autarca num momento que ficou marcado pela entrega do primeiro donativo financeiro à associação, para além do apoio municipal.

A Associação Casa-Memória de Camões recebeu um cheque no valor de €120,00 pelas mãos dos alunos do antigo 9º A correspondente a uma percentagem dos lucros obtidos com a empresa criada no âmbito do projeto “Empreendedorismo na Escola” no passado ano letivo. Da parceria entre o Agrupamento de Escolas e a TagusValley – cujo diretor, Pedro Saraiva, esteve presente – resultou a “Dream Bag” e a novidade de personalizar sacos de pano preto com três versos camonianos.

Fotos: mediotejo.net
Fotos: mediotejo.net

As comemorações do Ano Camões continuam em novembro com a apresentação do livro “Até que o Amor me Mate – As Mulheres de Camões”, de Maria João Lopo de Carvalho, no dia 28. A vertente literária mantém-se a 4 de dezembro com António Fonseca a tornar público o audiolivro “Os Lusíadas como nunca os ouviu”. Ambas as atividades integram a Feira do Livro de Constância e têm lugar na Casa-Memória de Camões.

Até ao final do ano de 2016 têm início três atividades “Na Ponta da Pena” (Expressões, Caligrafia Voadora e Sabores) e um concurso de frases célebres de Camões. A comunidade escolar é o público-alvo e a ligação ao poeta será fortalecida através da expressão dramática, musical e clássica, da caligrafia e escrita de poesia, e da confeção de uma novidade gastronómica, os bolinhos “Paixões”.

Em 2017, as atividades começam em março com mais um “Na Ponta da Pena”, desta vez dedicado à Botânica Camoniana e uma visita ao Jardim-Horto. No mesmo mês realiza-se a atividade “Nada nasce do Nada – Camões e Alguns Clássicos Europeus”, que engloba uma exposição de bustos de autores clássicos, um concurso de estátuas vivas e representações teatrais.

Fotos: mediotejo.net
Fotos: mediotejo.net

Junho, mês de Camões por excelência, marca o regresso das Pomonas Camonianas ao concelho na edição (XXII) que se pretende tornar na mais ambiciosa e simbólica de sempre. A esta atividade juntam-se a colocação de um placard na Casa-Memória de Camões com o percurso do poeta pelo mundo, a criação de uma banda desenhada inspirada nos seus poemas, declamações e barcos de poesia.

É também o mês em que têm início os sábados de verão no Jardim-Horto com poesia, música, canto e danças renascentistas, que se prolongam até ao final de julho. O programa, que não está fechado, inclui ainda teatro e poesia com a peça “Tomem lá do Camões”, as sessões de leitura “Tomem lá da palavra”, “Dar Cor a Camões” e “Ler Camões na Sua Casa-Memória”. As ruas da vila darão a conhecer o poeta através da Rota de Camões e os alunos com a animação teatral do Jardim-Horto nas tardes de quarta-feira a todas as escolas que estejam interessadas e façam marcação prévia.

Um dos objetivos do Ano Camões é o envolvimento dos mais novos na missão de garantir que Camões é uma história do passado com futuro e as muitas atividades com alunos do concelho integradas no programa comprovam-no. A aceitação da comunidade escolar foi “fácil”, nas palavras de Olga Antunes, e começou com a definição do plano anual de atividades. Segundo a diretora do Agrupamento de Escolas de Constância “o espírito de Camões” passou dos professores para os alunos, referindo com orgulho o logótipo humano criado ao início da tarde.

Fotos: mediotejo.net
Fotos: mediotejo.net

Outro exemplo deste envolvimento foi a atribuição do donativo à Associação Casa-Memória de Camões, que surpreendeu António Matias Coelho. O presidente da Direção considera que a ação reforçou o elo entre a associação e a juventude “não pelo apoio em si mesmo, mas por aquilo que o apoio significa”, isto é, o reconhecimento do trabalho desenvolvido “por Camões e por Constância”. O Ano Camões representa, nas suas palavras, uma das peças da construção da relação do poeta com o concelho num longo processo “que se vai fazendo” e, neste momento, se encontra numa fase de “maior dinamismo”.

À semelhança de Olga Antunes e António Matias Coelho, Júlia Amorim destacou a forma como o trabalho conjunto das três entidades organizadoras projeta “para fora dos muros do concelho a ideia convicta de que Camões esteve em Constância” e reforça os motivos para que o concelho receba mais visitantes. Ideia que, na sua opinião, devia ser partilhada e estimulada pelo Governo com o reconhecimento e financiamento da Casa-Memória de Camões.

A presidente da autarquia salientou, igualmente, a forma como o tecido empresarial está sensibilizado para o tema Camões e deve ser ultrapassado o preconceito de que a passagem do poeta pelo concelho pode contribuir para o seu desenvolvimento económico. Segundo Júlia Amorim, a cultura não deve ser considerada “elitista” e o turismo cultural pode assumir-se como “um fator determinante para a criação de riqueza” e “postos de trabalho”.

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Publicidade -