Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Terça-feira, Setembro 28, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Constância | A tradição e a fé desembarcaram na vila (c/ fotogaleria)

* fotos de Paulo Jorge de Sousa e mediotejo.net

- Publicidade -

A tradição e a fé voltaram a navegar nos rios Tejo e Zêzere e desembarcaram em Constância esta segunda-feira, dia 17. Acompanhámos os momentos que marcaram o Dia de Nossa Senhora da Boa Viagem, desde a preparação das embarcações no cais de Tancos (Vila Nova da Barquinha) até à bênção divina que ditará a boa sorte das próximas viagens. E, sim, também navegámos com os marítimos do século XXI.

As cores da fé e da tradição encheram o cais de Tancos, em Vila Nova da Barquinha, ao início da manhã. Pela rua multiplicava-se as viaturas que identificavam as entidades e associações ribeirinhas que se associaram às comemorações da Festa de Nossa Senhora da Boa Viagem. Em cima dos reboques os barcos engalanados que tinham chegada prevista em Constância por volta da hora do almoço.

- Publicidade -

As embarcações minutos antes da chegada. Foto: mediotejo.net

Subiram o Tejo enquanto a Vila Poema recebia a comitiva para as cerimónias oficiais e que os aguardou na margem do rio Zêzere entre a multidão de gente, câmaras de televisão e máquinas fotográficas de amadores e profissionais. Subimos a bordo de uma dessas embarcações e acompanhámos em direto a parte final da viagem que voltou a dar vida aos rios.

Viagem terminada, discursos feitos e chegou a hora do piquenique pascal que em tempos idos juntava os marítimos e as suas famílias num momento de convívio. Hábitos antigos feitos por gerações recentes que mantêm vivas as memórias de uma terra que muitos conheceram a partir do rio, quando navegavam entre os portos fluviais de Abrantes e da capital.

Momento da benção divina. Foto: Paulo Jorge de Sousa

Os tempos mudaram, mas os devotos continuam a procurar a bênção de Nossa Senhora da Boa Viagem aos seus meios de transporte, que chegou depois da procissão. Não só os que navegam, mas também aqueles que percorrem as vias rodoviárias. Quem chegou por água recebeu-a na margem do rio Zêzere, quem chegou por terra agradeceu-a na Praça Alexandre Herculano.

A tradição ribeirinha centenária reforçou-se esta segunda-feira, em pleno século XXI. São as novas caras e os novos momentos que a perpetuam, contribuindo para que não se transforme num mero facto histórico mencionado em livros e palestras. E porque uma imagem diz mais do que mil palavras, partilhamos a Festa da Nossa Senhora da Boa Viagem na nossa fotogaleria.

 

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome