PUB

Clientes atribuem média positiva à empresa intermunicipal Tejo Ambiente

A empresa intermunicipal Tejo Ambiente realizou durante o ano 2020 um estudo de satisfação de clientes baseado em entrevistas a 1487 clientes distribuídos pelos concelhos de Ferreira do Zêzere (300), Mação (300), Sardoal (282), Tomar (312) e Vila Nova da Barquinha (293). Ourém ficou de fora deste estudo uma vez que, até 2027, o município tem um contrato de concessão do serviço de abastecimento de água e saneamento com a empresa Be Water.

PUB

Segundo a Tejo Ambiente, o objetivo era “conhecer a avaliação feita pelos utilizadores ao serviço prestado” e, com os resultados obtidos, “delinear uma estratégia com vista colmatar as necessidades reportadas”.

Nas “indicações conclusivas”, a que o mediotejo.net teve acesso, refere-se que, sobre o serviço de abastecimento de água, “de uma forma geral o serviço é bem avaliado em todas as nuances em que foi questionado, nunca registando médias globais inferiores a 3,80 (de 1 a 5). Os melhores resultados são observados em Vila Nova da Barquinha e em Ferreira do Zêzere e, por oposição, é em Mação e sobretudo, no Sardoal que se evidenciam os resultados menos positivos.

PUB

No entanto, há uma percentagem significativa (37% em termos globais) que afirma não beber habitualmente água da torneira, uma incidência que tem maior expressão entre os consumidores de Tomar (41%).

Sobre o serviço de saneamento (esgotos), de uma forma geral é avaliado de forma “positiva moderada”. Segundo o relatório final do estudo, a limpeza das fossas é o principal ponto fraco (média global de 3,62). Vila Nova da Barquinha e Mação são os concelhos onde se regista maior satisfação com o serviço, “em contraste com a maior postura crítica observada em Tomar e no Sardoal”, realça-se nas conclusões.

Entre os 300 inquiridos em Ferreira do Zêzere, a maioria (69%) afirma não beneficiar de serviço de saneamento (esgotos).

Apenas no concelho de Vila Nova da Barquinha é pouco expressiva a representação de habitações sem serviço de saneamento (18%). Junto de quem beneficia do serviço de saneamento é muito positiva a avaliação produzida sobre o mesmo: média global de 4,13; médias concelhias sempre superiores a 4,00; avaliações negativas praticamente inexpressivas, atingindo o seu máximo em Tomar (4%).

Foto: D.R.

Em relação à recolha de resíduos urbanos, a avaliação deste serviço “apresenta algumas disfuncionalidades no plano dos contentores, tanto em termos do volume de equipamentos existentes (média global de 3,63) como, e sobretudo, em termos do seu respetivo estado de limpeza, manutenção e conservação (média global de 3,32)”.

É nos concelhos de Vila Nova da Barquinha e Tomar que a opinião é mais favorável, por oposição ao verificado em Ferreira do Zêzere e no Sardoal. Neste concelho, verifica-se mesmo uma avaliação negativa, no plano da limpeza, manutenção e conservação dos contentores.

A frequência das recolhas de lixo é positivamente avaliada nos cinco concelhos (média global de 3,86), com especial relevância em Tomar, onde quase se atinge os 4,00 de média. Das entrevistas efetuadas, conclui-se que os clientes de Ferreira do Zêzere e Sardoal são os mais insatisfeitos.

Relativamente à faturação, um dos pontos que tem gerado alguns protestos por parte dos consumidores, sobretudo através das redes sociais, o estudo conclui que “não há preocupações dignas de especial registo em relação à faturação, situando-se a avaliação menos positiva (média global de 3,67) no plano das mensagens comunicadas na fatura”.

“Foi muito equilibrada a avaliação positiva assumida nos diferentes concelhos em termos de informação de apoio disponibilizada ao cliente: Variação das médias entre um mínimo de 3,70 (Sardoal) e um máximo de 3,91 (Mação), traduzida numa média global de 3,83”, conclui-se.

O estudo avalia ainda outros aspetos como meios de contacto disponibilizados aos clientes e o atendimento, por exemplo.

As entrevistas foram realizadas entre 20 de fevereiro e 9 de outubro, o que significa que, em alguns concelhos, abarcou ainda o serviço prestado pelas anteriores entidades gestoras.

A Empresa Intermunicipal Tejo Ambiente iniciou a sua atividade no dia 1 de janeiro de 2020 e é composta pelos Municípios de Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar e Vila Nova da Barquinha. Tem como objetivos garantir o abastecimento da água, o saneamento de águas residuais e a recolha de resíduos urbanos nestes seis concelhos.

PUB
PUB
José Gaio
Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

1 COMENTÁRIO

  1. Ou isto é uma grande farsa, ou então devo viver num mundo diferente. Então como se explica o aumento brutal no valor das faturas? como é que o jornal Médio Tejo Net publicou uma entrevista do presidente da Câmara municipal de Mação, Sr. vasco Estrela, em que este dizia, que iria ser criado um subsidio para as familias mais carenciadas, para assim poderem pagar o seu consumo? como se expilica que residentes tenham pago 200 euros e até 300 euros de consumo doméstico? Eu próprio paguei 217,09 euros na fatura nº. 202010203343, referente ao consumo no período de 24 de julho 2020 a 17 agosto 2020. Por último, tenho na minha posse o meu histórico, referente ao consumo de água e seus respetivos pagamentos, durante vários anos, antes da empresa tejo ambiente iniciar a sua atividade. E é fácil a conclusão é só comparar o passado com a atualidade. Isto tudo só para falar do consumo de água, pois muito haveria a dizer sobre outras matérias à responsabilidade desta empresa INTERMUNICIPAL. Será que foram verificadas as reclamações dos consumidores em livro de reclamações? Só à minha conta foram feitas duas uma já respondida eoutrav ainda por responder. NOTA: os intervistados seriam todos do mesmo rebanho sob o domínio do mesmo carneiro?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).