Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Julho 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Cinco anos depois, vítimas do tornado de Tomar, F. Zêzere e Sertã vão finalmente ser apoiadas

O Fundo de Emergência Municipal que foi criado para enfrentar os prejuízos do tornado que afectou os municípios de Tomar, Ferreira de Zêzere e Sertã a 7 de dezembro de 2010 vai ser pago antes da Páscoa a todos os particulares que sofreram prejuízos na ocasião e avançaram com a sua candidatura a este apoio.

- Publicidade -

IMG_2076
Jorge Gomes durante o uso da palavra

A garantia foi dada pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, que esteve em Tomar na tarde desta quinta-feira, 21 de janeiro.

- Publicidade -

“Em dezembro de 2010 houve um temporal que provocou muitos estragos. O Governo de então abriu um procedimento para que os habitantes pudessem socorrer-se de uma conta de emergência, que existe em permanência e que está sob minha tutela. Como temos alguns processos recentes – como é o caso de Albufeira, onde houve estragos de milhões de euros – tentei saber junto dos meus serviços se havia algum processo pendente e disseram-me que havia ainda por resolver o processo de Tomar”, começou por explicar ao mediotejo.net.

IMG_2066
O Governante com a presidente da CIMT, Maria do Céu Albuquerque

O Governante refere que não se sentia bem em estar a resolver um problema que aconteceu há poucos meses quando existem situações de há cinco anos à espera de resposta. “Não podemos ter tratamentos diferentes para casos iguais. O que fiz foi retirar o processo da prateleira, fazer reavaliações, tentar saber as pessoas que têm direito a receber indemnizações e proceder ao pagamento dessas verbas”, explicou ao mediotejo.net, acrescentando que os lesados irão ser contactados.

Jorge Gomes acrescenta que o levantamento das situações já foi feito, à época, faltando apenas organizar o processo e falar com as Câmaras de Tomar e Ferreira do Zêzere para organizar a forma como se vai processar, sendo que o pagamento será feito directamente do Estado aos lesados, podendo a autarquia ser uma mediadora neste processo. Em relação ao valor que este fundo de emergência municipal representa para os cofres do Estado, o governante refere que ainda não tem dados concretos. “Para nós não é importante quantificar mas proceder de acordo com os cidadãos merecem de um Estado de Bem”, disse, acrescentando que as pessoas vão ser ressarcidas antes da Páscoa.

IMG_2063
Colóquio realizado no Instituto Politécnico de Tomar

A presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas (PS), disse ao mediotejo.net que esta é uma excelente notícia. “Houve um conjunto vasto de famílias que ficaram com as suas casas danificadas – e que eram a sua primeira habitação – e que agora, finalmente, podem ser ressarcidos pelo danos causados por esta catástrofe”, disse. A edil recorda que os casos estão sinalizados pela autarquia e tinham sido enviados para os Governos Civis, estando na Secretaria de Estado da Administração Interna após estas entidades terem sido extintas.

Foto: Luís Ribeiro
O tornado provocou estragos avultados e, até hoje, as populações não receberam ainda verbas do Fundo de Emergência. Foto: Luís Ribeiro

O tornado que passou por Tomar, Ferreira do Zêzere e Sertã na terça-feira, 7 de dezembro de 2010, provocou 40 feridos, sendo 19 deles crianças do Jardim-Escola João de Deus, de Tomar.
A boa-nova foi dada durante o Colóquio “Riscos Naturais no Médio Tejo”, que decorreu no Auditório Pacheco de Amorim, no Instituto Politécnico de Tomar. Uma sessão que contou com a presença de muitos autarcas e responsáveis pela Proteção Civil do distrito e onde foi apresentado o Laboratório de Investigação Aplicada em Riscos Naturais (NHRC.ipt) e traçado o Diagnóstico de Riscos Naturais no Médio Tejo.

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

- Publicidade -
- Publicidade -

2 COMENTÁRIOS

  1. a Senhora jornalista sabe mais alguma informaçao relativa a este assunto?parece me estranho que tendo sido garantido pelo próprio Secretario de Estado da AI que os pagamentos seriam feitos até á Pascoa,e tal nao se tenha sucedido,que nao se questione o porque?!!!para alguém que diz que desde os 12 anos queria ser jornalista,parece me que o acompanhamento a este caso,deixa muito a desejar das suas capacidades profissionais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here