- Publicidade -

CIM do Médio Tejo quer reforçar internacionalização das PME da região e estreitar laços com a China

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo e a Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China assinaram hoje em Tomar um protocolo de cooperação com o objetivo de promover a internacionalização das empresas da região.

- Publicidade -

O objetivo desta parceria, num acordo de colaboração com duração de dois anos, visa a promoção da internacionalização das empresas da região do Médio Tejo na China e a criação de dinâmica de investimentos e relações económicas, apoiando empresas e investidores na prossecução dos seus negócios.

A presidente da CIM do Médio Tejo mencionou acreditar nas condições que a região tem para oferecer como uma “mais-valia para o estabelecimento de futuras relações de cooperação internacional”, e manifestou interesse em promover “entendimento e ligação forte” com a cidade de chinesa de Changchung, com cerca de 7 milhões de habitantes, algo que já está protocolado entre o Médio Tejo e aquela cidade.

- Publicidade -

“O Médio Tejo é uma região que usufrui de uma posição geográfica privilegiado no território de Portugal Continental, pela sua localização central e proximidade à capital administrativa do país, Lisboa”, referiu Anabela Freitas, salientando que a região “congrega zonas industriais com infraestruturas dotadas de todas as condições para atrair pequenas, médias e grandes empresas, onde o emprego e mão-de-obra qualificada assentam na forte tradição da indústria automóvel, metalúrgica e metalomecânica, produção de energia e exploração florestal, indústria produtora de talentos, turismo, agro-alimentares e áreas emergentes como a cortiça, madeira, azeite e vinho”.

Foto: DR

Da parte da CIM do Médio Tejo já foram identificados locais nos 13 concelhos da região que poderão acolher investimentos oriundos do protocolo ora celebrado, sendo esta identificação um dos primeiros passos para acolhimento e dinamização da parceria. “Todo o trabalho virá a seguir, e agora mais dificultado por estarmos a viver esta pandemia, que dificulta muitos mais as relações”, admitiu Anabela Freitas.

“O Médio Tejo é uma excelente região para trabalhar, para viver, para visitar e sobretudo para investir”, concluiu a presidente da CIM do Médio Tejo.

Por seu turno, também presente na assinatura do documento, Y Ping Chow, presidente da Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME), reconheceu que o presente protocolo permite “tentar criar uma equipa de trabalho para melhor conhecer a região do Médio Tejo e saber o que é necessário e o que podemos fazer por cá”.

Foto: DR

Assumindo que a penetração das pequenas e médias empresas portuguesas no mercado chinês não será tão fácil, Y Ping Chow disse que é necessário muito investimento e viagens para negociação. “Já criámos 15 delegações regionais de províncias [na China], na sua maioria empresários e que têm alguma relação com Portugal”, disse, acrescentando que estas delegações estão dispostas a representar produtos portugueses e empresas na China. O mesmo trabalho está a ser desenvolvido no sentido de trazer até Portugal os produtos regionais chineses assim como investidores.

Y Ping Chow salientou a importância da região do Médio Tejo “conseguir estabelecer uma boa relação com a cidade de Changchun”, reconhecida pelas “fábricas de construção de comboios, camiões, carros, com indústria pesada bastante forte”.

O presidente da Câmara do Comércio Portugal-China referiu ser igualmente importante o esforço conjunto e sinergias entre a CIM do Médio Tejo e a associação empresarial NERSANT, pois “há muito trabalho a fazer” e “para poder concretizar e fazer alguma coisa também preciso do apoio de todos, se não, só com a minha vontade é difícil concretizar”, aludiu.

Foto: DR

Este acordo, conforme informação da CIM do Médio Tejo, e sublinhados pela presidente Anabela Freitas, assenta em objetivos como a “procura e seleção, em cada país, de projetos e iniciativas que possam conduzir a ações de cooperação conjunta; difusão e intercâmbio regular de informação sobre as atividades desenvolvidas por ambas instituições, bem como sobre programas e iniciativas que possam contribuir para o reforço da cooperação, através da manutenção atualizada de uma carteira de oportunidades existentes; apoio à organização, promoção, divulgação e participação mútua em feiras e mostras, conferências temáticas bilaterais e ações de transferência de tecnologia/bolsas de contacto empresariais em áreas de interesse de acordo com a especialização produtiva da região”.

Também prevê “participação em missões externas conjuntas cujos objetivos se enquadrem no presente protocolo de colaboração; colaboração em ações que configurem oportunidades de penetração em mercados externos; apoio ao desenvolvimento de projetos inovadores conjuntos de cooperação”.

Foto: DR

O protocolo assinado entre o presidente da Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME) e a CIM do Médio Tejo, na presença de António Campos, em representação da Comissão Executivo da NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém é válido por dois anos, estando já em vigor e sendo automaticamente renovado por períodos de um ano.

Nascida no seio da atual pandemia de covid-19, a Câmara de Comércio PME Portugal-China foi formalmente constituída a 7 de Maio de 2020, no Cartório Notarial de Condeixa-a-Nova. O Conselho Executivo da nova Câmara é presidido por Y Ping Chow, presidente da Liga dos Chineses em Portugal e representante da Comunidade Chinesa no Alto Comissariado da Migração, e o Conselho Estratégico é presidido por Bian Fang, CEO do Bison Bank, entidade financeira de capital chinês que opera em Portugal.

A CCPC-PME tem como destinatárias as Pequenas e Médias Empresas interessadas em exportar e importar de e para a China, e tem sede na vila de Condeixa, num espaço cedido pelo Município, e delegações em Lisboa e no Porto. Em território chinês também já foi acordado em Macau, Beijing, Shanghai e nas províncias de Henan, Hainan e Shangdong a criação de delegações da CCPC-PME.

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres: o conhecimento e o saber, a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).