Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Domingo, Outubro 24, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Ciclismo | Em Abrantes Venceslau Fernandes defendeu a amarela com galhardia (c/fotogaleria)

Francisco Campos (Miranda-Mortágua) venceu hoje a terceira etapa da Volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros, uma ligação de 151,5 quilómetros, entre Arganil e Abrantes, que permitiu a Venceslau Fernandes (Liberty Seguros-Carglass) reforçar o comando da geral.

- Publicidade -

A etapa foi muito movimentada, com os corredores a aproveitarem o terreno ondulado, com quatro contagens de montanha, para colocar à prova a consistência do camisola amarela.

O ataque mais sério aconteceu na última subida pontuável, a cerca de 30 quilómetros do final. A Miranda-Mortágua colocou quatro corredores no grupo de 12 que, então, passou a ser a cabeça de corrida. Venceslau Fernandes quedou-se sem qualquer companheiro de equipa para o ajudar. A iniciativa acabaria por não frutificar, criando-se condições para uma disputa ao sprint.

- Publicidade -

Na chegada, numa rampa de grande inclinação, Francisco Campos foi o mais rápido, seguido por José Martínez (Baqué/Ideus/BH Team), com o mesmo tempo, e por Venceslau Fernandes, a 3 segundos.

Os “cortes” na chegada permitiram dar mais cor à camisola amarela de Venceslau Fernandes. Hugo Nunes continua a ser o segundo classificado, agora a 8 segundos. João Barbosa (Fortunna/Maia) é o terceiro, a 24 segundos.

Venceslau Fernandes (Liberty Seguros-Carglass) reforçou o comando.

Venceslau está a revelar-se o corredor mais forte de todo o pelotão e, além da geral, é também o primeiro por pontos e na montanha. Entre as classificações secundárias sobra apenas a juventude, que é comandada por Ander del Castaño (Froiz). A Aldro Team passou para o topo da geral coletiva.

Champanhe para os vencedores.

O quarto dia de competição, neste sábado, será palco de uma jornada dupla. Às 9h20 o pelotão parte para uma viagem de 79,9 quilómetros, entre Abrantes e Castelo de Vide. Às 16h30, naquela vila do Norte do Alentejo, inicia-se o contrarrelógio individual de 8,4 quilómetros, que se adivinha decisivo para o desfecho desta Volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros.

*Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo
*Com David Belém Pereira (fotos)

FOTOGALERIA:

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome