Chamusca | Novos desafios num ano escolar marcado pela incerteza

Centro Escolar da Chamusca. Foto: DR

Numa época marcada pela incerteza, o arranque de mais um ano letivo no concelho da Chamusca está em marcha e tudo está a ser preparado para que as aulas decorram dentro da normalidade possível, tendo em conta as contingências da pandemia.

PUB

A vice-presidente da Câmara, Cláudia Moreira, aponta três principais objetivos para o ano letivo que se avizinha: “proporcionar um ambiente seguro e tranquilo para alunos e comunidades escolar, apoiar os alunos, docentes, não docentes e encarregados de educação com respostas úteis e eficazes” e, por fim, “incrementar as competências socio emocionais dos alunos e alunas”.

O funcionamento das aulas está previsto ser em regime presencial, no entanto o Agrupamento de Escolas teve de definir três modelos de funcionamento: presencial, à distância e misto.

PUB

À semelhança do que vai acontecer noutras escolas, os intervalos das aulas estão previstos serem desfasados, bem como o período de almoço. A utilização de máscaras é obrigatória apenas para crianças e jovens a partir do 2º ciclo.

Quanto aos horários, ainda estão a ser definidos pelo Agrupamento, mas, ao que tudo indica, pré-escolar e 1º ciclo mantêm-se com horários idênticos. Relativamente ao 2º, 3º ciclo e secundário, as turmas terão manchas horárias predominantes no período da manhã ou da tarde.

PUB
Vice-Presidente da Câmara, Cláudia Moreira. Foto: DR

De acordo com as orientações da DGS – Direção Geral da Saúde e da DGEstE – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, todos os estabelecimentos de ensino têm de estar dotados de planos de contingência

Além do desfasamento de horários escolares, de intervalos e período de almoço, está prevista a limpeza, higienização e desinfeção dos espaços e equipamentos entre utilizações, a disponibilização de EPIS para pessoal não docente, docente e alunos a partir do 2º ciclo do ensino básico e disponibilização de álcool gel.

Outra medida adotada em todas as escolas é que as pessoas externas ao processo educativo só podem entrar no recinto escolar quando for considerado imprescindível.

“É imperativo que toda a comunidade escolar compreenda que os tempos que vivemos são muito desafiantes para todos e que é exigido a cada um que contribua com o seu melhor, para que possamos superar as exigências permanentes do contexto atual”, sublinha Cláudia Moreira.

No dia da inauguração do novo Centro Escolar. Foto: mediotejo.ner

Um Agrupamento, 13 estabelecimentos de ensino

O Agrupamento de Escolas da Chamusca é composto por 13 estabelecimentos de ensino, seis de pré-escolar, um Centro Escolar da EB1/JI da Chamusca (com valências de apoio ao Ensino Especial e ao ensino Científico e Criativo (Laboratórios de Aprendizagens Inovadoras e Criativas), cinco Escolas Básicas de 1º ciclo e a Escola Básica e Secundária da Chamusca. Relativamente ao número de alunos ainda estão a decorrer algumas atualizações relativas a transferências de alunos pelo que os números seguintes são aproximados: Pré-escolar 171 alunos, 1ºciclo 243 alunos, 2º ciclo 134 alunos, 3º ciclo 224 e ensino secundário 140.

Existe oferta de creche de âmbito privado pela Santa Casa da Misericórdia no edifício “O Coelhinho”, cujas obras de requalificação foram alvo de candidaturas de financiamento já aprovadas. No entanto, quer estas, quer as obras da Escola Sede do Agrupamento, ainda não vão avançar no próximo ano letivo, revela a responsável pelo pelouro da educação.

Um “modelo inovador” nas AECs

Se há característica que diferencia o Agrupamento de Escolas da Chamusca são os inúmeros projetos e atividades ao longo do ano. Funcionam atividades lúdico-pedagógicas, em monodocência coadjuvada, para crianças do ensino pré-escolar e 1º ciclo com vista ao desenvolvimento de expressões física e motora através da prática de dança e yoga, atividade física e desportiva, música, promoção da leitura e introdução às TIC.

No âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular para crianças do 1.º ciclo, o que se pretende é que elas “promovam nos alunos, em contexto lúdico, as suas competências essenciais para o século XXI: autonomia, responsabilidade, criatividade, pensamento crítico, cidadania, entre outras competências essenciais para a sua felicidade e sucesso”, explica Cláudia Moreira.

O modelo inovador de funcionamento das Atividades de Enriquecimento Curricular, assenta em três áreas de projeto: Vila Utopia – Ligação da criança com o seu meio envolvente; Educ’Arte – Educação através das expressões artísticas; e Pequenos Heróis – Cidadania, Solidariedade e Voluntariado; além de, todas as semanas haver atividade física, dança e yoga num programa designado “Mexe-te”.

Chamusca aderiu à Rede de Cidades Amigas das Crianças, programa desenvolvido pela UNICEF que preconiza a adoção de uma política coordenada para a infância e adolescência, potenciando a articulação entre todos os sectores municipais e o estabelecimento de parcerias com instituições da comunidade de modo a promover o bem-estar de todos os cidadãos, em particular das crianças.

Centro Escolar da Chamusca. Foto: mediotejo.net

Está em curso o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar na Lezíria do Tejo – PIICIE LT, que resulta de uma candidatura de um projeto inovador com vista à promoção do sucesso escolar, de âmbito intermunicipal.

Redução e prevenção do abandono escolar precoce e promoção da igualdade de acesso a um ensino infantil, primário e secundário de boa qualidade, incluindo percursos de aprendizagem, formais e não formais para a reintegração no ensino e formação são alguns dos objetivos. Pretende-se também promover a igualdade no acesso ao ensino, a melhoria do sucesso educativo dos alunos e a qualidade e eficiência do sistema de educação.

Educação Positiva é um modelo com origem nos anos 20 através do qual se procura estabelecer um modelo para compreender melhor o comportamento das crianças, baseado na comunicação, no amor e na empatia.

Outro eixo é a Educação pela Inovação, “uma mudança deliberada e consciente que visa uma melhoria da ação educativa e que traz novos procedimentos para a Escola, atribuindo um sentido: inovar para que todos os alunos se sintam motivados a aprender”, sublinha Cláudia Moreira.

Quanto a projetos, referência para o “Salto de Gigante”, aplicado ao pré-escolar. Trata-se de Academias do Conhecimento da Fundação Calouste Gulbenkian, um programa de caráter universal, que pretende desenvolver competências sociais e emocionais e melhorar a adaptação escolar das crianças em transição do pré-escolar para o primeiro ano.

No campo da saúde, o projeto “Agentes Vitamina” tem por objetivo a promoção da literacia em saúde, o apoio às famílias, pais, educadores e comunidade em geral, no crescimento e no manter-se saudável ao longo da vida. Desenvolvido através dos princípios do Marketing Social para a literacia em saúde pretende aumentar os níveis de conhecimento e de motivação para a prática estilos de vida saudáveis. Através de um conjunto de recursos sobre aspetos essenciais ao bem-estar físico, mental e social, desenvolvidos por agentes especializados na missão de ser sadio.

Música é uma das atividades extra-curriculares. Foto: mediotejo.net

Apoios para quem estuda 

O Município da Chamusca atribui Vales Escolares a todos os alunos estudantes e residentes no concelho, vales para material escolar e apoio a visitas de estudo com cedência de transporte, por exemplo.

Aos alunos que frequentam o Ensino Superior há a possibilidade de se candidatarem a Bolsas de Estudo (no valor de 400 euros) e de Mérito para o Ensino Superior (no valor total a propina).

Outro apoio disponível é o serviço de Ocupação de Tempos Livres – OTL´s nas interrupções letivas, este em parceria entre Câmara Municipal, Agrupamento de Escolas e Juntas de Freguesia.

Há ainda os chamados “Bootcamps” que são Programas de Ocupação de Tempos Livres para Crianças e Jovens com atividades educativas e lúdicas, bem como a Ludoteca que funciona durante todo o ano, fora e dentro do período letivo.

Desde 2019 que a autarquia aposta na dinamização do Posto de Informação Jovem visando a disponibilização aos jovens de informação sobre todos os mecanismos de apoio existentes, nas diversas áreas.

Os Transportes Escolares e as atividades desenvolvidas pelas CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens ao longo do ano completam o rol de apoios e serviços disponibilizados na Chamusca.

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).

pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here