Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Segunda-feira, Outubro 25, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Chamusca | Município vai reabilitar diques no rio Tejo 

São ao todo seis diques no rio Tejo que vão ser reabilitados pelo Município da Chamusca. O concurso público para a empreitada está a decorrer havendo 10 empresas na corrida.

- Publicidade -

A empreitada tem por objeto a realização dos trabalhos de reabilitação dos diques Pequeno do Arripiado, Grande do Arripiado, Casal Velho, Senhora das Dores, Cabido e Junceira, localizados na margem esquerda do rio Tejo, no concelho da Chamusca.

Na reunião de Câmara realizada no final de julho, foi apresentado o relatório final da análise das propostas elaborado pelo júri do concurso, bem como a minuta do contrato.

- Publicidade -

A empresa que apresentou orçamento mais baixo (415 mil euros) foi a Tâmega Engineering, S.A., mas ainda não está tomada uma decisão final quanto ao adjudicatário.

O concurso público foi lançado em abril com um preço base de 851.365.50 euros. O prazo de execução da empreitada é de 180 dias.

Segundo nos explicou o Presidente da Câmara, Paulo Queimado, de forma sucinta, a empreitada contempla a desmatação, corte de árvore e arranque de raízes, fechamento de lacunas, tratamento de juntas, enrocamento onde for necessário e melhoria dos pavimentos de circulação, entre outras ações.

O dique que revela maiores fragilidades e levanta maiores preocupações quanto à sua estabilidade, segundo o autarca da Chamusca, é o da Junceira, na fronteira com o concelho de Alpiarça.

O projeto é coordenado pela Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, em articulação com a Agência Portuguesa do Ambiente. Neste caso, a Autarquia é apenas a dona da obra. O objetivo dos diques é essencialmente a prevenção de cheias, com vista à proteção de pessoas e bens.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome