- Publicidade -

Terça-feira, Dezembro 7, 2021
- Publicidade -

Chamusca | Mais de 430 mil euros para tratamento de esgotos

Com um valor estimado de 433 mil euros, a construção de uma nova estação elevatória de águas residuais (EEAR), emissário e rede de drenagem das águas residuais de Porto do Carvão para a ETAR da Chamusca tem financiamento garantido depois de ser aprovada a candidatura apresentada pelas Águas do Ribatejo.

- Publicidade -

As obras que arrancam no segundo semestre de 2018 têm por objetivo garantir o tratamento eficaz e seguro das águas residuais provenientes da Zona Industrial e da Zona Norte da vila e rua do Rone.

Após o tratamento na ETAR da Chamusca, as águas limpas serão devolvidas ao Rio Tejo, explica a Autarquia em comunicado

- Publicidade -

A operação aprovada será financiada em 85% pelo POSEUR Portugal 2020, suportando a AR a comparticipação nacional.

A empreitada a lançar a concurso prevê a construção de uma estação elevatória de águas residuais, conduta elevatória e emissário no local da atual fossa séptica.

Segundo Paulo Queimado, Presidente da Autarquia, “este é um investimento para melhorar a qualidade e segurança do saneamento no concelho da Chamusca onde a AR já investiu cerca de 10 Milhões de Euros desde 2010. Não nos esqueçamos que esta é também uma medida de proteção do ambiente, que segue as políticas de gestão ambiental seguidas pelo Município.”

Francisco Oliveira, presidente do Conselho de Administração da AR congratula-se com o avanço desta obra que será mais um contributo para a melhoria da qualidade de vida das populações da Chamusca.

“Com os investimentos realizados, cerca de 10 ME, de acordo com as necessidades partilhadas com a Câmara Municipal Chamusca, Juntas de Freguesia, entidades e populações, demos um contributo para a proteção da biodiversidade existente na Bacia Hidrográfica do Tejo e ecossistemas envolventes”, frisa.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome