Apoie o jornalismo que fazemos,
junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -
Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Apoie o jornalismo que fazemos, junte-se à nossa Comunidade de Leitores

- Publicidade -

Chamusca | Mais de 230 animais já foram esterilizados

No Concelho da Chamusca, através de um protocolo entre a Câmara e a Associação dos Amigos dos Animais e do Ambiente, está a decorrer até final de novembro uma campanha de esterilização de animais de companhia. Segundo a Autarquia, até outubro já tinham sido esterilizados 233 animais, entre gatas e cadelas.

- Publicidade -

- Publicidade -

Com este número, Chamusca está na linha da frente na região da Lezíria do Tejo no âmbito da campanha de apoio à esterilização de cães e gatos como forma de controlo da sua população e de eliminar o recurso à eutanásia, conforme a recente legislação que estabelece a proibição do abate de animais errantes como forma de controlo populacional.

Para a campanha de esterilização, a autarquia da Chamusca conseguiu uma verba de 15 mil euros, contratou serviços veterinários e estabeleceu um protocolo para a gestão logística do processo com a Associação dos Amigos dos Animais e do Ambiente da Chamusca que ficou responsável por apoiar na identificação e no reencaminhamento dos animais. Coube a esta associação priorizar os animais errantes e também acolhê-los no período temporário de recobro, após o processo cirúrgico de esterilização. O acolhimento está a ser feito em instalações contíguas ao seu Centro de Atendimento Temporário de Animais.

- Publicidade -

O protocolo com a Associação dos Amigos dos Animais não é financeiro e é concretizado através da cedência dos serviços veterinários contratados pelo Município. O Município entregou também vários sacos de ração para fazer face às despesas com os animais em recobro e forneceu 350 chips eletrónicos para serem colocados nos animais aquando da esterilização e que servem para os identificar como já tendo sido sujeitos a este procedimento. Estes chips permitem ainda fazer a manutenção e controlo das colónias de animais de forma mais facilitada.

O investimento na campanha são cerca de 25 mil euros e, tendo em conta o apoio financeiro, estima-se que a comparticipação do Estado se fixe nos 63%.

Legislação recente proíbe o abate de animais errantes como forma de controlo de população. Antes da sua aplicação, os municípios tiveram um período de dois anos para se adaptarem e foram vários os que avançaram com medidas necessárias para cumprimento da lei, como foi o caso da Chamusca. Desde 2003 que é obrigatório os municípios procederem à recolha dos animais em estado de errância. Contudo, nem todos os municípios dispõem de centro de recolha, no entanto, recorreram às associações de proteção animal do município para celebrarem protocolos e, em conjunto, conseguiram suprir as falhas que existiam. Para além da responsabilidade penal, os municípios que não cumpram podem também ser alvo de ações judiciais de âmbito administrativo, nomeadamente ações de condenação na prática do ato devido ou de responsabilidade civil.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome