Quinta-feira, Março 4, 2021
- Publicidade -

Chamusca | GNR detém homem por violência doméstica e posse de arma proibida

A GNR, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE), deteve no concelho da Chamusca um homem de 38 anos por violência doméstica e posse de arma proibida.

- Publicidade -

Segundo o comunicado daquela força policial, “no âmbito de uma investigação por violência doméstica, os militares da Guarda apuraram que o suspeito agredia física e psicologicamente a vítima, sua ex-companheira de 36 anos, com quem manteve uma relação de 19 anos”.

Apuraram ainda que “o agressor ameaçava a vítima, bem como os seus filhos em comum, exibindo-lhes munições e publicando fotografias das mesmas nas redes sociais, conduta que culminou com o cumprimento de um mandado de detenção e com a realização de uma busca domiciliária”.

- Publicidade -

No decorrer da ação, desenvolvida no dia 10 de fevereiro, a GNR apreendeu 35 munições de calibre .22, cinco cartuchos de calibre 12, três munições de calibre 7.92 mm, um cartucho de calibre 9 mm, um bastão extensível, um sabre e 96 gramas de pólvora.

O detido já tem antecedentes criminais por furtos e por violência doméstica. Presente no dia 11 ao Tribunal Judicial de Santarém, foi-lhe decretada a prisão preventiva.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
O seu nome

APOIE O NOSSO JORNAL, TORNE-SE UM LEITOR BENEMÉRITO

Se lê regularmente as nossas notícias torne-se um leitor benemérito fazendo contribuições a partir de 10€/mês, ou doando valores iguais ou superiores a 100€. Esses leitores passam a constar da ficha-técnica como apoiantes deste projeto independente de jornalismo. Pode também fazer uma contribuição pontual (5€, 10€, 20€, o que puder e quiser).