- Publicidade -

Quarta-feira, Janeiro 19, 2022
- Publicidade -

Chamusca | Colónia Balnear da Nazaré em vias de reabilitação pela AMVT

Perante a ameaça de tomada de posse administrativa do edifício da Colónia Balnear da Nazaré por parte da Câmara desta cidade, a Associação de Municípios do Vale do Tejo (AMVT), entidade proprietária do imóvel, não teve outro remédio senão acatar as exigências da Câmara e fazer algumas obras de reabilitação. Em resposta a uma questão levantada pela vereadora Gisela Matias (CDU), o presidente da AMVT, Paulo Queimado, que também preside à Câmara da Chamusca, deu conta dos trabalhos realizados recentemente na Colónia.

- Publicidade -

O edifício foi entaipado para evitar o perigo de intrusão, procedeu-se à limpeza de caleiras, reparou-se o telhado numa zona que tinha sido alvo de atos de vandalismo, foi feita uma “pintura ligeira” dando um “aspeto mais uniformizado e menos de abandono”.

Além disso, Paulo Queimado refere ainda a desmatação dos terrenos na zona envolvente e uma ação de desarborização para breve dado que no local estão a nascer vários pinheiros mansos.

- Publicidade -

O autarca anunciou, sem adiantar prazos, que vai ser entregue na Câmara da Nazaré o pedido prévio para a reabilitação do edifício que data dos anos 40.

De acordo com o auto de vistoria da autarquia nazarena a que o mediotejo.net teve acesso, a AMVT foi intimada a executar “de imediato as medidas necessárias de proteção de acesso ao prédio, colocação de caixilharias nos vãos e reparação da cobertura”. Foi ainda dado um prazo de 120 dias para a “execução das obras necessárias de conservação e reabilitação do conjunto de edifícios de modo a repor as condições mínimas de utilização dos mesmos, assegurando assim a segurança de pessoas e bens, arranjo estético, salubridade e preservação e valorização do edificado”.

- Publicidade -

Na penúltima reunião da Câmara da Chamusca, o Presidente recordou o processo da Colónia Balnear da Nazaré que está inoperacional e em estado de abandono desde 2008.

“Se tivéssemos avançado com o projeto inicial de requalificação, provavelmente a Colónia já estaria a ser utilizada”, afirmou Paulo Queimado criticando alguns dos 19 autarcas que constituem a associação proprietária, à qual preside.

“Cada cabeça, sua sentença” (…) “Tem sido uma luta inglória” (…) “Sentimo-nos frustrados e também defraudados com a posição de cada Município” “andámos dois anos a enrolar com estudos, anteprojetos e projetos, que sabíamos à partida que não eram exequíveis”, desabafou o autarca da Chamusca numa referência ao projeto de hotel e do parque de estacionamento subterrâneo. Fez notar que o terreno onde está implantada a Colónia Balnear está avaliado em 10 milhões de euros.

Colónia Balnear da Nazaré (Foto de arquivo). Foto: DR

Nesta altura o pré-projeto da Colónia, que prevê a recuperação do edificado apenas para fins sociais, está aprovado pela Assembleia Geral da AMVT e analisa-se a possibilidade de candidaturas a financiamentos como ao IFRRU 2020- Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas.

Vídeo de 2018

 

A Colónia Balnear da Nazaré, fundada na década de 40 no século XX, teve várias utilizações ao longo dos tempos, sendo utilizada, sobretudo, como equipamento de apoio social para o acolhimento de crianças, jovens e adultos com menores recursos socioeconómicos, permitindo que tivessem acesso à praia da Nazaré, sendo, possivelmente, para a maioria, a única oportunidade que tiveram de participar nessas atividades.

O edifício foi património da Assembleia Distrital de Santarém, prestando relevantes serviços à comunidade do Distrito.

Devido à falta de manutenção, o edifício atingiu um estado de degradação que impossibilitou a sua utilização, por não cumprir os requisitos legais e de segurança, podendo colocar em risco os seus utilizadores, tendo sido encerrado no ano 2008.

Ao longo de vários anos, não foi possível avançar com a recuperação do imóvel, sobretudo por falta de capacidade logística e financeira da Assembleia Distrital.

No ano 2010, foi apresentada à Assembleia Geral, pela Direção da altura, uma proposta de projeto de requalificação do edifício da Colónia Balnear da Nazaré, compreendendo a remodelação quase total, em termos de infraestruturas, obra que rondava os 2,5 milhões de euros.

Com a extinção das Assembleias Distritais, o seu património foi transferido para a Associação de Municípios do Vale do Tejo – AMVT, entidade constituída em 2014 por 19 Municípios tendo como objeto a gestão e exploração do Arquivo Distrital de Santarém e da Colónia Balnear da Nazaré, entre outros bens.

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

- Publicidade -
- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça o seu comentário, por favor!
O seu nome